Fatores Contingenciais que Afetam a Implementação do Subsistema de Informação de Custos do Setor Público (SICSP) na Percepção dos Controllers e Contadores Municipais Outros Idiomas

ID:
52622
Resumo:
O controle de custos é elemento essencial para a tomada de decisões dos gestores, eficiência e lucratividade dentro das organizações. Tal controle é utilizado pelas empresas do setor privado que buscam alcançar lucratividade em seus produtos e serviços. No setor público, a utilização de custos encontra-se em fase embrionária e ainda existem muitos desafios para a sua implantação, por tratar-se de um fato relativamente novo. Diante disso, o estudo teve por objetivo geral identificar a influência e a relação dos fatores contingenciais na implementação do SICSP. A partir de uma amostra de 203 respondentes e a aplicação de um questionário estruturado, foram realizados os procedimentos estatísticos de correlação de Spearman e regressão linear múltipla. Os principais resultados encontrados apontam para a existência de influência dos fatores Ambiente Externo, Estrutura, Tecnologia e Estratégia na implementação do SICSP. Além disso, não existem relações consideráveis entre os fatores contingenciais e a implementação do SICSP. Como contribuição teórica do estudo, destaca-se o entendimento dos fatores contingenciais em entidades do setor público, evidenciando lacunas na própria teoria, visto que alguns fatores não podem ser explicados, e, como contribuições técnicas/práticas, destacam-se as limitações que os gestores públicos precisam superar.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
CAVICHIOLI, D.; DALL'ASTA, D.; FIIRST, C.; BALDISSERA, J. F. Fatores Contingenciais que Afetam a Implementação do Subsistema de Informação de Custos do Setor Público (SICSP) na Percepção dos Controllers e Contadores Municipais. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 11, n. 2, p. 188-204, 2018.
Citação APA:
Cavichioli, D., Dall'asta, D., Fiirst, C., & Baldissera, J. F. (2018). Fatores Contingenciais que Afetam a Implementação do Subsistema de Informação de Custos do Setor Público (SICSP) na Percepção dos Controllers e Contadores Municipais. Advances in Scientific and Applied Accounting, 11(2), 188-204.
DOI:
10.14392/asaa.2018110201
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52622/fatores-contingenciais-que-afetam-a-implementacao-do-subsistema-de-informacao-de-custos-do-setor-publico--sicsp--na-percepcao-dos-controllers-e-contadores-municipais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Araújo, C. A.; Carneiro, A. F.; Santana, A. F. B. (2015). Sistemas de Custos Públicos: entendimento e implantação nos municípios de Rondônia. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 20 (2), 70-89.

Beuren, I. M.; Fiorentin, M. (2014). Influência de Fatores Contingenciais nos Atributos do Sistema de Contabilidade Gerencial: um estudo em empresas têxteis do Estado do Rio Grande do Sul. Revista de Ciências da Administração, 16(38), 195.

Bitti, E. J. S.; Aquino, A. C. B.; Cardoso, R. L. (2011). Adoção de sistemas de custos no setor público: reflexões sobre a literatura nacional veiculada em periódicos acadêmicos. Revista Universo Contábil, 7(3), 06-24.

Borgert, A.; Viega Alves, R.; Schultz, C. A. (2010). Processo de implementação de um sistema de gestão de custos em hospital público: um estudo das variáveis intervenientes. Revista Contemporânea de Contabilidade, 7(14).

Burns, T. E.; Stalker, G. M. (1961). The management of innovation. University of Illinois at Urbana-Champaign’s Academy for Entrepreneurial Leadership Historical Research Reference in Entrepreneurship.

Camacho, R. R. (2010). Fatores condicionantes da gestão de custos interorganizacionais na cadeia de valor de hospitais privados no Brasil: uma abordagem à luz da Teoria da Contingência (Doctoraldissertation, Universidade de São Paulo).

Carneiro, A. F.; Silva Neto, J. M.; Locks, R.; Santos, M. M. A. (2012). Custos na Administração Pública: revisão focada na publicação de artigos científicos a partir da promulgação da Lei de Responsabilidade Fiscal. Revista Contemporânea de Contabilidade, 9(18), 3-22.

Chapman, C. S. (1997). Reflections on a contingent view of accounting. Accounting, organizations and society, 22(2), 189-205.

Chen, S. (2008). DCF techniques and nonfinancial measures in capital budgeting: a contingency approach analysis. Behavioral Research in Accounting, 20(1), 13-29.

Chenhall, R. H. (2003). Management control systems design within its organizational context: findings from contingency-based research and directions for the future. Accounting, organizations and society, 28(2), 127-168.

Chiavenato, I. (2003). Introdução à teoria geral da administração. Elsevier Brasil.

Dias, H. L.; Gondrige, E. O.; Clemente, A.; Espejo, M. M. D. S. B.; Voese, S. B. (2009). Custos no setor público: a percepção dos controladores de recursos públicos do Estado de Santa Catarina. Revista Digital del Instituto Internacional de Costos, (5), 373-399.

Fernandes, E. S.; Bezerra Filho, J. E. (2016). Subsistema de Informação de Custos no Setor Público: Proposta de um modelo de mensuração e acumulação com base no regime de competência. Advances in Scientific & Applied Accounting, 9(2).

Fiirst, C. (2016). Contradições, práxis e forças externas que impulsionaram a gêneses da mudança institucional para implantação do sistema de custos em um município brasileiro. (Doctoral dissertation, Universidade Regional de Blumenau).

Franco, L. M. G.; Nascimento, C.; Espejo, M. M. D. S. B.; Voese, S. B. (2013). Sistemas de Custos: importância, viabilidade e utilidade na concepção dos agentes públicos do Estado do Paraná (Brasil). Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 7(2).

Freitas, M. M. M.; Freitas, W. F.; Gomes, P. H. V. (2014). Sistema de Informação de Custos no Setor Público. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC.

Frezatti, F.; Rocha, W.; Nascimento, A. R.; Junqueira, E.; R. (2009). Controle gerencial: uma abordagem da contabilidade gerencial no contexto econômico, comportamental e sociológico. São Paulo: Atlas.

Gorla, M. C.; Lavarda, C. E. F. (2012). Teoria da contingência e pesquisa contábil. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace, 3(2).

Goularte, J. L. L.; Behr, A.; Tomasel, N. (2015). Benefícios e problemas na implantação de um sistema de informação de custos do setor público no estado do Rio Grande do Sul. Anais da Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul. Bento Gonçalves, RS, Brasil, 15.

Granero, L. P.; Guillén, M.; Bañón-Gomis, A. J. (2016). Influencia de los factores de contingencia em el desarrollo del cuadro de mando integral y su asociación com um rendimento mejor. El caso de las empresas españolas. Revista de Contabilidad.

Guerreiro, R.; Pereira, C. A.; Rezende, A. J. (2008). Em busca do entendimento da formação dos hábitos e das rotinas da contabilidade gerencial: um estudo de caso. Revista de administração Mackenzie, 7(2).

Hansen, S. C.; Van der Stede, W. A. (2004). Multiple facets of budgeting: an exploratory analysis. Management accounting research, 15(4), 415-439.

Ikeanyibe, O. M. (2016). New Public Management and Administrative Reforms in Nigeria. International Journal of Public Administration, 39(7), 563-576.

Lovato, E. L. (2015). Sistema de informações de custos no setor público: percepção dos usuários sobre a adoção, implementação e utilidade das informações de custos na gestão e desenvolvimento municipal (Doctoraldissertation, Universidade Tecnológica Federal do Paraná).

Machado, N. (2002). Sistema de Informação de Custo: Diretrizes para Integração ao Orçamento Público e à Contabilidade Governamental (Doctoraldissertation, Universidade de São Paulo).

Machado, N.; Holanda, V. B. D. (2010). Diretrizes e modelo conceitual de custos para o setor público a partir da experiência no governo federal do Brasil. Revista de Administração Pública-RAP, 44(4).

Marques, K. C. M. (2012). Custeio alvo à luz da teoria da contingência e da nova sociologia institucional: estudo de caso sobre sua adoção, implementação e uso (Doctoraldissertation, Universidade de São Paulo).

Mintzberg, H. (2006). O Processo da Estratégia-4. Bookman Editora.

Parcianelo, E.; Gonçalves, H. S.; Soares, C. S. (2015). A contabilidade de custos no setor público: a realidade das prefeituras da região central do RS. In: Anais do 6º Congresso UFSC de Controladoria e Finanças.

Rezende, D. A.; Abreu, A. F. D. (2000). Tecnologia da informação aplicada a sistemas de informação empresariais. São Paulo: Atlas, 3.

Rosa, F. S.; Silva, L. C.; Soares, S. V. (2015). Aspectos de convergência da contabilidade no setor público: um enfoque sobre a implantação do sistema de custos segundo a percepção de contadores municipais do estado de Santa Catarina. Contabilidad y Negocios, 10, (19), 27-42.

Santos, L. M.; Gomes, D. T.; Ferreira, M. A. M.; Dutra, D. R. (2011). Análise do Desempenho de Empresas do Setor de Confecções Brasileiro sob a Ótica da Teoria da Contingência Estrutural: Um Estudo Empírico. Revista Gestão & Tecnologia, 11(2), 34-52.

Silva, M. Z.; Scarpin, J. E.; Barp, A. D.; Dias, D. R. (2013). Determinantes Contingenciais que Contribuem para Efetividade do Sistema de Custeio em Hospitais: Um Estudo de Caso em um Hospital do Vale do Itajaí-SC. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 2(1), 67-90.

Silva, P. G. K. (2014). O papel do controle interno na administração pública. ConTexto, 2(2).

Silva, T. P.; Fank, O. L.; Scarpin, J. E. (2011). Entendimento e grau quanto à aplicação de sistemas de custos pelos gestores públicos com base na lei de responsabilidade fiscal. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC.

Verbeeten, F. H. (2011). Public sector cost management practices in The Netherlands. International Journal of Public Sector Management, 24(6), 492-506.

Woodward, J. (1965). Industrial organization; theory and practice. London: Oxford Unity Press.

Zonatto, V. C. S.; Carli, S. B.; Magro, C. B. D.; Scarpin, J. E. (2014). Investigação de práticas de gestão de custos conjuntos em indústrias de laticínios: uma abordagem contingencial. Enfoque Reflexão Contábil, 33(1), 123-142.