O Estresse em Graduandos de Ciências Contábeis e Administração Outros Idiomas

ID:
52629
Resumo:
Pesquisas de diversas áreas têm apontando a incidência de adversidades psicológicas em estudantes no período universitário, dentre as quais destaca-se o estresse. Esse fenômeno tem sido investigado, principalmente, em relação às suas causas e possíveis implicações no ambiente acadêmico. Nesse cenário, situa-se a proposta deste estudo, o qual objetivou investigar o nível de estresse, bem como as fontes do estresse em alunos de Ciências Contábeis e Administração em uma instituição de ensino superior pública federal. Para cumprir tal objetivo, foram investigados 684 estudantes, sendo 60% do curso de Ciências Contábeis e 40% do curso de Administração. Por meio da análise descritiva, verificou-se que 51,17% dos respondentes se encontram com altos níveis de estresse. Para averiguar possíveis fatores relacionados ao estresse, utilizou-se da análise de regressão linear múltipla. Dentre os resultados encontrados, destaca-se a relação significativa das variáveis sexo e renda, evidenciando que estudantes do sexo feminino e com menor renda familiar apresentaram maiores níveis de estresse. Já os estressores mais frequentes são a falta de motivação e a decepção com determinadas disciplinas. Para avaliar a relação do estresse com o rendimento acadêmico dos alunos, realizou-se o teste de correlação de Spearman, o qual não evidenciou relação significativa. Desse modo, entende-se que é preciso direcionar a atenção aos principais elementos que se relacionam com o estresse, visto que esse fenômeno, em níveis elevados, pode gerar implicações diversas na vida dos estudantes.
Citação ABNT:
SILVA, T. D.; PEREIRA, J. M. O Estresse em Graduandos de Ciências Contábeis e Administração. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 11, n. 2, p. 330-350, 2018.
Citação APA:
Silva, T. D., & Pereira, J. M. (2018). O Estresse em Graduandos de Ciências Contábeis e Administração. Advances in Scientific and Applied Accounting, 11(2), 330-350.
DOI:
http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2018110208
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52629/o-estresse-em-graduandos-de-ciencias-contabeis-e-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aguiar, S. M.; Vieira, A. P. G. F.; Vieira, K. M. F.; Aguiar, S. M.; Nóbrega, J. O. (2009). Prevalência de sintomas de estresse nos estudantes de medicina. J Bras Psiquiatr, 58(1), 34-8.

Aniţei, M.; Cojocaru, F.; Burtaverde, V.; Mihaila, T. (2015). Differences in Academic Specialization Regarding Stressor Perception, Coping and Stress Effects Perception in Young Students. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 203, pp. 433-437.

Assis, C. L.; Silva, A. P. F.; Souza Lopes, M.; Silva, P. D. C. B.; de Oliveira Santini, T. (2013). Sintomas de estresse em concluintes do curso de psicologia de uma faculdade privada do norte do País. Mudanças-Psicologia da Saúde, 21(1), 23-28.

Azila-Gbettor, E. M.; Atatsi, E. A.; Danku, L. S.; Soglo, N. Y. (2015). Stress and academic achievement: empirical evidence of business students in a Ghanaian polytechnic. International Journal of Research in Business and Management, 2, 14.

Bakar, N. A.; Ghani, E. K.; Majdi, S. Reasons to High Stress Level among Undergraduate Accounting Students: A Case Study. Saudi Journal of Business and Management Studies, 2(1), 1-11

Baker, S. R. (2004). Intrinsic, extrinsic, and amotivational orientations: Their role in university adjustment, stress, well-being, and subsequent academic performance. Current Psychology, 23(3), 189-202.

Bardagi, M. P. (2007). Evasão e comportamento vocacional de universitários: estudo sobre desenvolvimento de carreira na graduação. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/10762

Bardagi, M. P.; Hutz, C. S. (2011). Eventos estressores no contexto académico: uma breve revisão da literatura brasileira. Interação em Psicologia, 15(1).

Bondan, A. P.; Bardagi, M. P.(2008). Comprometimento profissional e estressores percebidos por graduandos regulares e tecnológicos. Paidéia, 18(41).

Brasil. (2004). Resolução CNE/CES nº. 10, de 16 de dezembro de 2004. Institui as Diretrizes Nacionais Curriculares para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. .

Brasil. (2005). Resolução CNE/ CES nº. 4, de 13 de Julho de 2005. Institui as Diretrizes Nacionais Curriculares para o Curso de Graduação em Administração, bacharelado, e dá outras providências. Disponível em: .

Bukhsh, Q.; Shahzad, A.; Nisa, M. (2011). A study of learning stress and stress management strategies of the students of postgraduate level: a case study of Islamia University of Bahawalpur, Pakistan. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 30, 182-186.

Calais, S. L.; Carrara, K.; Brum, M. M.; Batista, K.; Yamada, J. K.; Oliveira, J. R. S. (2007). Stress entre calouros e veteranos de jornalismo. Estudos de Psicologia (Campinas), 69-77.

Campos, E. A. R.; Kuhl, M. R.; de Andrade, S. M.; Stefano, S. R. (2016). Análise dos níveis de estresse em formandos de administração e ciências contábeis de uma universidade pública. Revista Gestão & Conexões, 5(1), 121-140.

CEPES. Perfil Nacional dos Graduandos. .

Cohen, S.; Kamarck, T.; Mermelstein, R. (1983). A global measure of perceived stress. Journal of health and social behavior, pp.385-396.

Credé, M.; Niehorster, S. (2012). Adjustment to College as Measured by the Student Adaptation to College Questionnaire: A Quantitative Review of its Structure and Relationships with Correlates and Consequences. Educ Psychol Rev, 24,133-165.

Draper, N. R.; Smith, H. (2014). Applied regression analysis. John Wiley & Sons.

Elias, H.; Ping, W. S.; Abdullah, M. C. (2011). Stress and academic achievement among undergraduate students in Universiti Putra Malaysia. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 29, pp. 646-655.

Everly Jr, G. S.; Lating, J. M. (2012). A clinical guide to the treatment of the human stress response. Springer Science & Business Media

Faro, A.; Pereira, M. E. (2013). Estresse: Revisão narrativa da evolução conceitual, perspectivas teóricas e metodológicas. Psicologia, Saúde & Doenças, 14(1), 78-100.

Faro, A.; Pereira, M. E. (2013). Estresse: Revisão narrativa da evolução conceitual, perspectivas teóricas e metodológicas. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 14, n. 1, p. 78-100.

Faro, A.; Pereira, M. E. (2013). Medidas do estresse: uma revisão narrativa. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 14, n. 1, pp. 101-124.

Gabre, H.; Kumar, G. (2012). The effects of perceived stress and Facebook on accounting students’ academic performance. Accounting and Finance Research, 1(2), 87.

Gomes, G.; Benevides Soares, A. (2013). Inteligência, habilidades sociais e expectativas acadêmicas no desempenho de estudantes universitários. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(4).

Guimarães, E. R. (2014). A síndrome de Burnout em estudantes de ciências contábeis: pesquisa na cidade de São Paulo.

Hair, J. F.; Black, W. C.; Babin, B. J.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. Bookman Editora.

Hamaideh, S. H. (2011). Stressors and reactions to stressors among university students. International journal of social psychiatry, 57(1), 69-80.

Ji, H.; Zhang, L. (2011). Research on college students’ stresses and coping strategies. Asian Social Science, 7(10), 30.

Lameu, J. D. N.; Salazar, T. L.; Souza, W. F. D. (2016). Prevalência de sintomas de stress entre graduandos de uma universidade pública. Psicologia da Educação, (42), 13-22.

Lazarus, R. S. (1986). Folkman. S. (1984) Stress, Appraisal, and Coping. New York, 1.

Lipp, M. E. N.; Malagris, L. E. N. (2001). O stress emocional e seu tratamento. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria, 475-490.

Luft, C. D. B.; de Oliveira Sanches, S.; Mazo, G. Z.; Andrade, A. (2007). Versão brasileira da Escala de Estresse Percebido: tradução e validação para idosos. Revista de Saúde Pública, 41(4), 606-615.

Malagris, L. E. N.; Fiorito, A. C. C. (2006). Avaliação do nível de stress de técnicos da área de saúde. Estud. Psicol., 23(4), 391-398.

Martins, G. A. (2000). Estatística geral e aplicada . Editora Atlas SA.

Melaku, L.; Mossie, A.; Negash, A. (2015). Stress among medical students and its association with substance use and academic performance. Journal of Biomedical Education, 2015.

Mondardo, A. H.; Pedon, E. A. (2005). Estresse e desempenho acadêmico em estudantes universitários. Revista de Ciências Humanas, 6(6), 159-180.

Monroe, S. M. (2008). Modern approaches to conceptualizing and measuring human life stress. Annu. Rev. Clin. Psychol.; 4, 33-52.

Pereira, C. D. A.; Miranda, L. C. D. S.; Passos, J. P. (2010). O estresse e seus fatores determinantes na concepção dos graduados de enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem, 14(2), 204-209.

R Core Team. (2017). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria.

Rezende, M. S.; Miranda, G. J.; Pereira, J. M..; Cornacchione JR, E. B. (2017). Stress e desempenho acadêmico na pós-graduação stricto sensu em ciências contábeis no Brasil. Education Policy Analysis Archives, v. 25, pp 1-23.

Sancovschi, M.; Fernandes, L. D. J. D.; Santos, A. D. S. (2010). Custos Pessoais do Empenho Imoderado de Alunos de Cursos de Graduação em Contabilidade nos Estágios: A Relação entre Empenho dos Alunos, Sobrecarga de Trabalho, Estresse no Trabalho e Aspectos Significativos da Vida Acadêmica. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 4(1), 142-157.

Sekhon, T. S.; Grewal, S.; Gambhir, R. S.; Sharma, S. (2016). Perceived sources of stress among dental college students: An Indian perspective. European Journal of General Dentistry, 4(3), 121.

Selye, H. (2013). Stress in health and disease. Butterworth-Heinemann.

Soares, A. B.; Mello, T. V. S.; Baldez, M. D. O. M. (2011). Vivências acadêmicas em estudantes universitários do Estado do Rio de Janeiro. Interação em Psicologia, 15(1), 59-69.

Talwar, P.; Kumaraswamy, N.; AR, M. F. (2013). Perceived social support, stress and gender differences among university students: A cross sectional study. Malaysian Journal of Psychiatry, 22(2), 42-49.

Teixeira, M. A. P.; Dias, A. C. G.; Wottrich, S. H.; Machado Oliveira, A. (2008). Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicologia escolar e educacional, 12(1), 42-49

Tosevski, D. L.; Milovancevic, M. P.; Gajic, S. D. (2010). Personality and psychopathology of university students. Current opinion in psychiatry, 23(1), 48-52.

Vieira, L. N.; Schermann, L. B. (2015). Estresse e fatores associados em alunos de psicologia de uma universidade particular do sul do Brasil. Aletheia, 46.

Wynaden, D.; Wichmann, H.; Murray, S. (2013). A synopsis of the mental health concerns of university students: Results of a text-based online survey from one Australian university. Higher Education Research & Development, 32(5), 846-860.