Restrições de Resgate em Fundos de Ações, Liquidez dos Ativos e Desempenho Outros Idiomas

ID:
52855
Resumo:
Este trabalho analisou a relação entre restrições de resgate e liquidez dos ativos sob gestão de fundos de ações brasileiros, bem como seu efeito no desempenho. A amostra contou com 2.706 fundos de ações brasileiros com investimentos em ações listadas na BM&FBovespa ou em cotas de outros fundos de ações no período entre 2009 e 2016. Os dados foram analisados a partir de estatísticas descritivas e aplicação de modelos de regressão linear com dados em painel. Os resultados indicaram que as restrições de resgate impactam positivamente o desempenho dos fundos de ações. Além disso, os resultados sugeriram que as restrições de resgate possibilitam aos fundos explorar investimentos menos líquidos em ações e em cotas de outros fundos. Por outro lado, o investimento em ativos de baixa liquidez por parte dos fundos de ações não necessariamente está relacionado à melhores indicadores de performance.
Citação ABNT:
BORGES JUNIOR, D. M.; MALAQUIAS, R. F. Restrições de Resgate em Fundos de Ações, Liquidez dos Ativos e Desempenho . Revista de Administração de Empresas, v. 59, n. 1, p. 43-56, 2019.
Citação APA:
Borges Junior, D. M., & Malaquias, R. F. (2019). Restrições de Resgate em Fundos de Ações, Liquidez dos Ativos e Desempenho . Revista de Administração de Empresas, 59(1), 43-56.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/S0034-759020190105
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52855/restricoes-de-resgate-em-fundos-de-acoes--liquidez-dos-ativos-e-desempenho-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Agarwal, V.; Daniel, N. D.; Naik, N. Y. (2009). Role of managerial incentives and discretion in hedge fund performance. The Journal of Finance, 64(5), 2221-2256. doi: 10.1111/j.1540-6261.2009.01499.x

Ang, A.; Bollen, N. P. B. (2010). Locked up by a lockup: Valuing liquidity as a real option. Financial Management, 39(3), 1069-1096. doi: 10.1111/j.1755-053X.2010.01104.x

Ang, A.; Rhodes-Kropf, M.; Zhao, R. (2008). Do funds-of-funds deserve their fees-on-fees? National Bureau of Economic Research. NBER Working Paper Series.

Aragon, G. O. (2007). Share restrictions and asset pricing: Evidence from the hedge fund industry. Journal of Financial Economics, 89(1), 33-58. doi: 10.1016/j.jfineco.2005.11.001

Bali, T. G.; Gokcan, S.; Liang, B. (2007). Value at risk and the crosssection of hedge fund returns. Journal of Banking & Finance, 31(4), 1135-1166. doi: 10.1016/j.jbankfin.2006.10.005

Boyle, P.; Li, S.; Zhu, T. (2010). Hedge fund redemption restrictions, financial crisis, and fund performance. European Financial Management Association. Toronto, Canada: York University.

Castro, B. R.; Minardi, A. M. A. F. (2009). Comparação do desempenho dos fundos de ações ativos e passivos. Revista Brasileira de Finanças, 7(2), 143-161.

Dai, N.; Shawky, H. (2012). Diversification Strategies and the performance of funds of hedge funds. The Journal of Alternative Investments, 15(1), 75-85. doi: 10.3905/jai.2012.15.2.075

Dalmácio, F. Z.; Nossa, V.; Zanquetto, H.; Filho. (2007). Avaliação da relação entre a performance e a taxa de administração dos fundos de ações ativos brasileiros. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 1(3), 1-30. doi: 10.17524/repec.v1i3.13

Denvir, E. & Hutson, E. (2006). The performance and diversification benefits of funds of hedge funds. Journal of International Financial Markets, Institutions & Money, 16(1), 4-22. doi: 10.1016/j.intfin.2004.12.002

Ferreira, M. A.; Keswani, A.; Miguel, A. F.; Ramos, S. B. (2013). The determinants of mutual fund performance: A cross-country study. Review of Finance, 17(2), 483-525. doi: 10.1093/rof/rfs013

Gonzaga, L. V. L. (2016). Taxa de performance e os fundos multimercados brasileiros. (Dissertação de Mestrado). http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/

Hong, X. (2014). The dynamics of hedge fund share restrictions. Journal of Banking & Finance, 49(1), 82-99. doi: 10.1016/j.jbankfin.2014.08.002

Juvercina, E.; Sobrinho. (2016). Potenciais efeitos dos dividendos na composição e na performance de fundos de ações no Brasil. (Dissertação de Mestrado). https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/5141

Liang, B. (1999). On the performance of hedge funds. Financial Analysts Journal, 55(4), 72-85.

Malaquias, R. F.; Eid, W.; Junior. (2014). Fundos multimercados: Desempenho, determinantes do desempenho e efeito moderador. Revista de Administração Mackenzie, 15(4), 135-163. doi: 10.1590/1678-69712014/administracao.v15n4p135-163

Matos, P. R. F.; Penna, C. M.; Silva, A. B. G. (2015). Fundos mútuos de investimento em ações no Brasil: Incentivos, gestão e convergência. Brazilian Business Review, 12(2), 115-147. doi: 10.15728/ bbr.2015.12.2.6

Milani, B.; Ceretta, P. S. (2013). Efeito tamanho nos fundos de investimento brasileiros. Revista de Administração da UFSM, 6(1), 119-138. doi: 10.5902/198346593607

Nanda, V.; Narayanan, M. P.; Warther, V. A. (2000). Liquidity, investment ability, and mutual fund structure. Journal of Financial Economics, 57(3), 417-443. doi: 10.1016/S0304-405X(00)00063-5

Pontes, G. A.; Rogers, P.; Malaquias, R. F. (2015). Os fundos Long and Short entregam o prêmio de lockup?Evidências empíricas no Brasil. Revista Contabilidade Vista e Revista, 26(3), 106-123.

Rochman, R. R.; Eid, W., Junior. (2006). Fundos de investimento ativos e passivos no Brasil: Comparando e determinando os seus desempenhos. XXX Encontro da ANPAD, Salvador, BA.

Rochman, R. R.; Ribeiro, M. P. A. (2003). Relação entre a estrutura, conduta e desempenho da indústria de fundos de investimento: Um estudo de painel. XXVII Encontro da ANPAD, Atibaia, SP.

Schaub, N.; Schmid, M. (2013). Hedge fund liquidity and performance: Evidence from the financial crisis. Journal of Banking & Finance, 37(3), 671-692. doi: 10.1016/j.jbankfin.2012.09.019

Silva, S. E.; Iquiapaza, R. A. (2017). Fundos de investimentos socialmente responsáveis e fundos convencionais: Existem diferenças de desempenho? Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(3), 4-21. doi: 10.18405/RECFIN20170301