Parcerias Organizacionais no Brasil: Problemas e Desafios em Resíduos Sólidos Outros Idiomas

ID:
53008
Resumo:
O objetivo deste artigo é compreender o alinhamento entre as propostas das organizações de catadores de materiais recicláveis e dos demais membros responsáveis pela institucionalização da parceria da coleta seletiva de Uberlândia / MG no Brasil, documentar a resolução da atividade, para apresentar os problemas e desafios da governança social em resíduos sólidos, a partir da perspectiva de cada ator social envolvido. Usamos métodos de análise de documentos, entrevistas e, especialmente, a técnica de sombreamento. Identificou-se que a entrada em vigor, no final de 2016, da Lei Municipal 12.504, mostrou-se um desafio aos atores e ao governo, pois, cada vez mais, pede-se ao movimento social organizado que melhore o alinhamento entre todos os atores envolvidos.
Citação ABNT:
MEDEIROS, C. R. O.; VALADÃO JÚNIOR, V. M.; PIRES, L. R.; COSTA, M. C. Organizational Partnerships in Brazil: Problems and Challenges in Solid Waste . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 13, n. 1, p. 16-30, 2019.
Citação APA:
Medeiros, C. R. O., Valadão Júnior, V. M., Pires, L. R., & Costa, M. C. (2019). Organizational Partnerships in Brazil: Problems and Challenges in Solid Waste . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 13(1), 16-30.
DOI:
http://dx.doi.org/10.12712/rpca.v13i1.27267
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53008/parcerias-organizacionais-no-brasil--problemas-e-desafios-em-residuos-solidos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
Kickbusch, I., & Gleicher, D. (2012). Governance for health in the 21st century. Geneva: World Health Organization.

Situação social dos catadores e catadoras de material reciclável e reutilizável – Brasil – Brasília: IPEA, 2013. Disponível em: . Acesso em 10 de janeiro de 2016.

Baptista, V. F. (2015). As políticas públicas de coleta seletiva no município do Rio de Janeiro: onde e como estão as cooperativas de catadores de materiais recicláveis? Revista de Administração Pública, 49(1), 141-164.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo (Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro, trad.). Lisboa: Edições, 70.

Besen, G. I. N. A., Ribeiro, H., Rissogünther, W., & Jacobi P. R. (2014). Coleta seletiva na região metropolitana de São Paulo: impactos da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Ambiente & Sociedade, 17(3).

Besen, G. R. (2011). Coleta seletiva com inclusão de catadores: construção participativa de indicadores e índices de sustentabilidade. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da USP.

Besen, G. R., & Ribeiro, H. (2006). Indicadores de sustentabilidade para programas municipais de coleta seletiva–métodos e técnicas de avaliação. In WORKSHOP INTERNACIONAL DE PESQUISA EM INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE–WIPIS, II (pp. 159-174).

Bhuiyan, S. H. (2010). A crisis in governance: Urban solid waste management in Bangladesh. Habitat International, 34(1), 125-133.

Bronzo, C., Teodósio, A. D. S. D. S., & Rocha, M. C. G. D. (2012). Tri-sector partnerships in social entrepreneurship: discourse and practice of the actors from the circles of action and reflection. Revista de Administração (São Paulo), 47(3), 446-460.

Buque, L. I. B., & Ribeiro, H. (2015). Overview of the selective waste collection with pickers in Maputo municipality, Mozambique: challenges and perspectives. Saúde e Sociedade, 24(1), 298-307.

Demajorovic, J., Besen, G. R., & Rathsam, A. A. (2006). Os desafios da gestão compartilhada de resíduos sólidos face à lógica do mercado. Diálogos em ambiente e sociedade no Brasil.

Diagnóstico sobre os catadores de resíduos sólidos. Brasília: IPEA, 2012. Disponível em:. Acesso em 27 de fevereiro de 2016. .

Dias, S. L. F. G. (2009). Catadores: uma perspectiva de sua inserção no campo da indústria de reciclagem (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo). Flick, U. (2009). Qualidade na pesquisa qualitativa: coleção pesquisa qualitativa. Bookman Editora.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA.

Grafakos, S., BAUD, I., & Klundert, A. (2001). Alliances in Urban Environmental Management. A process analysis for indicators and contributions to sustainable development in urban SWM. Working document, 14.

Grimberg, E., & Blauth, P. (1998). Coleta seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. In Coleta seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. Pólis.

Hoornweg, D., & Bhada-Tata, P. (2012). What a waste: a global review of solid waste management.

IBAM (Instituto Brasileiro de Administração Municipal). 2001. Manual: Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: IBAM/SEDU-PR.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Pesquisa sobre pagamento por serviços ambientais urbanos para gestão de resíduos sólidos. Brasília: Ipea, 2010. Disponível em:. Acesso em 25 de fevereiro de 2016.

Loschiavo dos Santos, M. C. (2008). Consumo, descarte, catação e reciclagem: notas sobre design e multiculturalismo. Cadernos de Estudos Avançados em Design, v.1, Belo Horizonte: UEMG, Julho.

Ludke, M., & André, A. (1986). Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

McDonald, S. (2005). Studying actions in context: a qualitative shadowing method for organizational research. Qualitative research, 5(4), 455-473.

MNCR – MOVIMENTO NACIONAL DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS (2015). Princípios e objetivos do MNCR. Disponível em:. Acesso em: 02 de abril de 2016. . Artigos: A importância dos catadores já foi aceita, agora o debate é sobre a sua valorização, 05 de dez. 2016. Entrevista. Disponível em:. Acesso em: 05 de jan. 2017.

Najam, A. (2000). The four C's of government third Sector‐Government relations. Nonprofit management and leadership, 10(4), 375-396.

Ocampo, J. A. (2018). Global economic and social governance and the United Nations system. Just Security in an Undergoverned World, 265.

PMU (2016). Relatório do Peso de materiais recicláveis destinados às associações e cooperativa. Relatório produzido pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos.

Quinlan, E. (2008). Conspicuous invisibility: Shadowing as a data collection strategy. Qualitative Inquiry, 14(8), 1480-1499.

Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2014. Brasília: MCIDADES.

SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (2012). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2011. Brasília: MCIDADES.

SNSA. (2013). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2012. Brasília: MCIDADES.

SNSA. (2014). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2013. Brasília: MCIDADES.SNSA. (2016).

SNSA. (2017). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2015. Brasília: MCIDADES.SNSA.

Teodósio, A., Gonçalves-Dias, S. F. L., Santos, M. C. L., & Mswaka, W. (2015). From Outlaw to Regular Worker: trajectories, challenges and achievements of recyclers running social businesses in Brazil.

Veenstra, G. (2002). Social capital and health (plus wealth, income inequality and regional health governance). Social science & medicine, 54(6), 849-868.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso-: Planejamento e Métodos. Bookman editora.