A Corrupção na Perspectiva Durkheimiana: Um Estudo de Caso da Operação Lava Jato Outros Idiomas

ID:
53080
Resumo:
A Operação Lava Jato vem ocupando as principais páginas de notícias como a maior operação de combate à corrupção já realizada no Brasil. A importância deste estudo reside na possibilidade de interpretar e compreender a maior investigação de crimes de corrupção no país utilizando conceitos e raciocínios durkheimianos, com vistas a contribuir para a análise do fenômeno no caso concreto e na administração pública como um todo. Verificou-se que a corrupção descoberta pela Operação Lava Jato é um fato social patológico presente na estrutura de diferentes órgãos e instituições que afeta a ordem social, decorrente de um estado de anomia no qual os indivíduos não aderem às normas sociais e morais vigentes.
Citação ABNT:
GONÇALVES, V. B.; ANDRADE, D. M. A Corrupção na Perspectiva Durkheimiana: Um Estudo de Caso da Operação Lava Jato. Revista de Administração Pública, v. 53, n. 2, p. 271-290, 2019.
Citação APA:
Gonçalves, V. B., & Andrade, D. M. (2019). A Corrupção na Perspectiva Durkheimiana: Um Estudo de Caso da Operação Lava Jato. Revista de Administração Pública, 53(2), 271-290.
DOI:
dx.doi.org/10.1590/0034-761220180192
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53080/a-corrupcao-na-perspectiva-durkheimiana--um-estudo-de-caso-da-operacao-lava-jato/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Pinto, E. C. (2015). Dilma: de 'coração valente' a presidente acuada. Texto para Discussão, 2015(15).

Agnew, R. (1997). The nature and determinants of strain: another look at Durkheim and Merton. In R. Agnew, & P. Nikos (Eds.). The future of anomie theory. p. 27-51). Boston, MA: Northeastern University Press.

Alencar, C. H. R.; Gico, I. T., Jr. (2011). Corrupção e Judiciário: a (in)eficácia do sistema judicial no combate à corrupção. Revista Direito GV, 7(1), 75-98.

Alvarenga, D. (2017, 13 de outubro). Lava Jato levou empresas a vender mais de R$ 100 bilhões em ativos desde 2015. https://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/lava-jato-levouempresas-a-vender-mais-de-r-100-bilhoes-emativos-desde-2015.ghtml

Antunez, M. (Dir.). (2017). Polícia Federal: a lei é para todos (Filme). Rio de Janeiro, RJ: Downtown Filmes.

Arellano Gault, D.; Hernández Galicia, J. F.; Lepore, W. (2015). Corrupción sistémica: límites y desafíos de las agencias anticorrupción.El caso de la Oficina Anticorrupción de Argentina. Revista del CLAD Reforma y Democracia, 61, 75-106.

Bialakowsky, A.; Molina y Vedia, A. (2016). Los sueños de la razón: la crisis de sentido y el suicidio egoísta. Trabajo y Sociedad, 26, 117-140.

Bland, G. (2014). Measuring subnational government corruption in the developing world: a vulnerabilityassessment framework. Public Integrity, 16(3), 265-284.

Boito, A., Jr. (2017). Lava-Jato, classe média e burocracia de Estado. Revista Lumen, 2(3).

Boylan, R. T.; Long, C. X. (2003). Measuring public corruption in the American states: a survey of state house reporters. State Politics & Policy Quarterly, 3(4), 420-438.

Cabral, A. (2004). A sociologia funcionalista nos estudos organizacionais: foco em Durkheim. Cadernos EBAPE.BR, 2(2), 1-15.

Chabova, K. (2016). Measuring corruption in Europe: public opinion surveys and composite indices. Quality & Quantity, 51(4), 1877-1900.

Cioccari, D. (2015). Operação Lava Jato: escândalo, agendamento e enquadramento. Revista Alterjor, 12(2), 58-78.

De Vares, S. F. (2013). Solidariedade mecânica e solidariedade orgânica em Émile Durkheim: dois conceitos e um dilema. Mediações, 18(2), 148-171.

Dreher, A.; Kotsogiannis, C.; McCorriston, S. (2007). Corruption around the world: evidence from a structural model. Journal of Comparative Economics, 35(3), 443-466.

Durkheim, É. (2000). O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Durkheim, É. (2007). As regras do método sociológico. 3 ed.). São Paulo, SP: Martins Fontes.

Durkheim, É. (2010). Da divisão do trabalho social. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Ear, S. (2016). Combating corruption in Cambodia. Asian Education and Development Studies, 5(2), 159-174.

Faoro, R. (2001). Os donos do poder. 3 ed.). Porto Alegre, RS: Globo.

Fauconnet, P.; Mauss, M. (1981). Sociologia(1901). In M. Mauss. Ensaios de sociologia. p. 165-176). São Paulo, SP: Perspectiva.

Fernandes, H. R. (1996). Um século à espera de regras. Tempo Social, 8(1), 71-83.

Filgueiras, F. (2006). A corrupção na política: perspectivas teóricas e metodológicas. Cadernos Cedes, 5, 1-29.

Folha de S. Paulo. (n.d.). Folha explica: Operação Lava Jato. http://arte.folha.uol.com.br/poder/operacao-lava-jato/

Giddens, A. (2001). Sociology. Oxford, England: Blackwell.

Habib, S. (1994). Brasil: quinhentos anos de corrupção — enfoque sócio-histórico-jurídico-penal. Porto Alegre, RS: Sérgio Antônio Fabris.

Huntington, S. P. (1975). Ordem política nas sociedades em mudança. São Paulo, SP: Edusp.

Ioris, A. A. R. (2016). 'La plata llega sola' [the money arrives on it own]: reflections on corruption trends in Peru. Diálogos Latinoamericanos, 25, 82-98.

Lambsdorff, J. G. (2006). Causes and consequences of corruption: what do we know from a cross-section of countries? In S. Rose-Ackerman. (Ed.), International handbook on the economics of corruption. p. 3-51). Cheltenham, England: Edward Elgar.

Lester, B. Y. (2001). Learnings from Durkheim and beyond: the economy and suicide. Suicide and LifeThreatening Behavior, 31(1), 15-31.

Li, X. (2016). Measuring local corruption in China: a cautionary tale. Journal of Chinese Political Science, 21(1), 21-38.

McClosky, H. (1976). On Durkheim, anomie, and the modern crisis. American Journal of Sociology, 81(6), 1481-1488.

Mesquita, N. C.; Moisés, J. A.; Rico, B. (2014). Diferentes dinâmicas da corrupção: mídia, percepção e instituições no contexto brasileiro. In I. F. Cunha, & E. Serrano (Coords.). Cobertura jornalística da corrupção política: sistemas políticos, sistemas mediáticos e enquadramentos legais. p. 283-316). Lisboa, Portugal: Alêtheia.

Ministério Público Federal. (2017). Caso Lava Jato. http://www.mpf.mp.br/para-ocidadao/caso-lava-jato

Mondo, B. V. (2016). Measuring political corruption from audit results: a new panel of Brazilian municipalities. European Journal on Criminal Policy and Research, 22(3), 477-498.

Mousse, R. (Org.). (2011). Émile Durkheim: fato social e divisão do trabalho. São Paulo, SP: Ática.

Neacsu, R.; Dumitrescu, C. D.; Debelka, E. (2009). Underground economy causes and particular manifestation. In Annals of DAAAM and Proceedings of the International DAAAM Symposium. p. 1013-1015). [n.p.].

O Estado de S. Paulo. (n.d.). Tudo sobre Operação Lava Jato. https://www.estadao.com.br/tudo-sobre/operacao-lava-jato

O Globo. (n.d.). Lava-Jato. https://oglobo.globo.com/brasil/lava-jato/

Organização das Nações Unidas. (2003). Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção. Brasília, DF: Autor.

Pathak, H. (2013). Corruption and compliance: preventive legislations and policies in international business projects. Juridical Tribune, 3(2), 136-151.

Polícia Federal. (2017). Operação Lava Jato. http://www.pf.gov.br/imprensa/lava-jato

Rodriguez, V. M. C. (2016). Una investigación sobre la corrupción pública y sus determinantes. Revista Mexicana de Ciencias Políticas y Sociales, 61(227), 103- 135.

Scheller, F. (2017). Em três anos, principais empresas citadas na Lava Jato demitiram quase 600 mil. Estadão, 22 de abril. https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,em-3-anos-principaisempresas-citadas-na-lava-jato-demitiram-quase600-mil,70001748171

Shan, M.; Chan, A. P. C.; Le, Y.; Xia, B.; Hu, Y. (2015). Measuring corruption in public construction projects in China. Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice, 141(4).

Talento, A. (2016, 20 de janeiro). Justiça aceita denúncia sobre corrupção na Petrobras desde 1999. Folha, 20 de janeiro. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/01/1731322-justica-aceita-denunciasobre-corrupcao-na-petrobras-desde-1999.shtml

Transparency International. (2017). Corruption Perceptions Index. http://www. transparency.org/

Tribunal Superior Eleitoral. (2014). Prestação de contas: Eleições 2014. http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes/eleicoes/eleicoes-anteriores/eleicoes-2014/prestacao-de-contas-eleicoes-2014/prestacao-de-contas

Tuyen, T. Q. T.; Huong, V. V.; Tinh, D. T.; Hiep, T. D. (2016). Corruption, provincial institutions and manufacturing firm productivity: new evidence from a transitional economy. Estudios de Economía, 43(2), 199-215.

Weber, R. P. (1990). Basic content analysis. 2a ed.). Newbury Park, CA: SAGE.

World Bank. (2000). Helping countries combat corruption: the role of the World Bank. Washington, DC: Author.