Balanced Scorecard no Setor Público: Uma Análise de sua Aplicação nos Ministérios Públicos Estaduais Outros Idiomas

ID:
53188
Resumo:
Este artigo teve como objetivo analisar o nível de aplicabilidade do Planejamento Estratégico/ Balanced Scorecard nos Ministérios Públicos (MPs) estaduais. Para tanto, valeu-se de uma pesquisa de caráter descritivo, exploratório e qualitativo, realizando uma análise documental a partir de buscas nos sites eletrônicos dos Ministérios Públicos dos 26 estados e do Distrito Federal e Territórios. Verificou-se o reporte de elementos do planejamento estratégico/ BSC por esses sites. Os resultados produziram um quadro comparativo entre os MPs, bem como uma ferramenta de análise balizada na classificação em níveis de implementação do planejamento estratégico. No Geral, há pouca implementação do Planejamento Estratégico nos Ministérios Públicos Estaduais do Brasil. Apenas o MP da Bahia se mostrou satisfatório em todos os quesitos investigados.
Citação ABNT:
SANTOS, Y. D. D.; CALLADO, A. A. C. Balanced Scorecard no Setor Público: Uma Análise de sua Aplicação nos Ministérios Públicos Estaduais. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 17, n. 2, p. 86-100, 2019.
Citação APA:
Santos, Y. D. D., & Callado, A. A. C. (2019). Balanced Scorecard no Setor Público: Uma Análise de sua Aplicação nos Ministérios Públicos Estaduais. Revista Capital Científico - Eletrônica, 17(2), 86-100.
DOI:
10.5935/2177-4153.20190014
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53188/balanced-scorecard-no-setor-publico--uma-analise-de-sua-aplicacao-nos-ministerios-publicos-estaduais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BEMFICA, Melina França Cabral; CALLADO, Antônio André Cunha. Balanced scorecard no setor público: uma análise dos mapas estratégicos dos ministérios públicos estaduais. I Simpósio de Controladoria da UFRPE/SIMPCONT. Recife. 19 e 20 de agosto de. 2016.

BEUREN, Ilse Maria; RAUPP, Fabiano Maury. Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In: Ilse Maria Beuren. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 1 ed.) São Paulo: Atlas. 2003. p. 76-97.

BLONSKI, Fabiano; PRATES, Rodolfo Coelho; COSTA, Mayla; VIZEU, Fábio. O controle gerencial na perspectiva do new public management: o caso da adoção do balanced scorecard na receita federal do brasil. Administração Pública e Gestão Social, v. 9, n. 1, p. 15-30, 2017.

BORGES, Thiago Bernardo; MATIAS, Márcia Athayde. Contabilidade gerencial no setor público: o caso de minas gerais. Contabilidade Vista & Revista, v. 22, n. 3, pp. 73-98. 2011

BRASIL. Plano diretor da reforma do estado. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado, Brasília, 1995.

CUNHA, Marcos Ribeiro; KRATZ, Lucia. Fatores críticos de sucesso no processo de implementação do balanced scorecard: um estudo de caso nas instituições federais de ensino superior. Revista de Ciências da Administração, v. 18, n. 46, p. 96-108, 2016.

FELIX, Rozelito; FELIX, Patrícia do Prado; TIMÓTEO, Rafael. Balanced Scorecard: adequação para a gestão estratégica nas organizações públicas. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 62, n. 1, p. 51-74, 2011.

FERNANDES, Alan Gabriel; FURTADO, Renata Pedretti Morais; FURTADO, Renata Pedretti Morais. Aplicação do balanced scorecard no auxílio à formulação do planejamento estratégico no setor público: o caso dae/ufla. E&G Economia e Gestão, Belo Horizonte, v. 16, n. 42, 2016

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed.São Paulo:Atlas, 2002.

KAPLAN, Robert S. A estratégia em ação: balanced scorecard. Gulf Professional Publishing. 1997.

KAPLAN, Robert S. Organização orientada para a estratégia: como as empresas que adotam o balanced scorecard prosperam no novo ambiente de negócios. Gulf Professional Publishing. 2000.

KAPLAN, Robert S.; NORTON, David P. The balanced scorecard: measures that drive performance Harvard Business Review. January-February 1992.

LEMOS, Livia Vilar; MIRANDA, Luiz Carlos; LIBONATI, Jeronymo José; WANDERLEY, Cláudio de Araújo. Balanced scorecard: um estudo sobre sua aplicação nos tribunais de contas estaduais. Revista Gestão.Org, v. 11, n. 3, p. 38-57. 2013.

PESSOA, Maria Naiula Monteiro. Gestão das universidades federais brasileiras - um modelo fundamentado no balanced scorecard. Tese (Doutorado). 304 fls. Programa de PósGraduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. 2000.

PETRI, Sérgio Murilo; ROSA, Marcelo Medeiros da; BERNARDO, Fabiano Domingos; BIANCO, Patrícia. Gestão pública através de mapas estratégicos do balanced scorecard: um estudo de caso do festival floripa teatro isnard azevedo. Revista Catarinense da Ciência Contábil - CRCSC, Florianópolis, v. 13, n. 40, p. 67-79, 2014.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ROSA, Marcelo Medeiros da; PETRI, Sérgio Murilo; PETRI, Luana Ramos Figueiredo; CASAGRANDE, Maria Denize Henrique. O balanced scorecard como ferramenta de gestão estratégica e orçamentária da fundação cultural de florianópolis. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, João Pessoa, v. 2, n. 1, p. 39-58, 2014.

SILVA, Flávia de Araújo e; GONÇALVES, Carlos Alberto. O processo de formulação e implementação de planejamento estratégico em instituições do setor público. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, v. 4, n. 3, pp. 458-476. 2011.

SOUZA, Michael Lucena; ARAUJO FILHO, Rodolfo. Balanced scorecard: uma análise da eficácia nas escolas técnicas do governo do estado de Pernambuco. Exacta, v. 14, n. 1, pp. 11-26. 2016

SOUZA, Ricardo Gabbay de; CORDEIRO, João Sérgio. Mapeamento cognitivo e balanced scorecard na gestão estratégica de resíduos sólidos urbanos. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 3, p. 483-496, 2010.