A racionalidade na gestão do setor social: estudos em organizações de caráter solidário Outros Idiomas

ID:
5334
Periódico:
Resumo:
O crescimento da prática do trabalho solidário abre espaço para que os pesquisadores possam voltar o foco de suas pesquisas aos diversos tipos de organizações sociais. Tomando como campo de investigação empírica o crescente número de pessoas que se dedicam ao trabalho em Organizações Não-Governamentais (ONGs), este trabalho retrata pesquisa desenvolvida em quatro ONGs atuantes na cidade de Natal-RN, nas quais foi explorado o tipo de racionalidade presente nas ações de seus atores, à luz da discussão teórica de Ramos (1989) sobre racionalidade. A coleta de dados constituiu-se de entrevista semiestruturada e técnicas de associação livre, sob a ótica da representação social. Os resultados destacam a valorização da racionalidade substantiva, mesmo quando esta não aparece difundida em toda a organização. Verificou-se também que, ao buscarem trabalho em organizações de caráter solidário, as pessoas almejam crescer, nos sentidos pessoal e profissional.
Citação ABNT:
MEDEIROS, J. P.; SOUZA, W. J. A racionalidade na gestão do setor social: estudos em organizações de caráter solidário. Revista de Gestão, v. 18, n. 2, art. 2, p. 145-158, 2011.
Citação APA:
Medeiros, J. P., & Souza, W. J. (2011). A racionalidade na gestão do setor social: estudos em organizações de caráter solidário. Revista de Gestão, 18(2), 145-158.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/5334/a-racionalidade-na-gestao-do-setor-social--estudos-em-organizacoes-de-carater-solidario/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, M. A. Organizações do terceiro setor e sua(s) racionalidade(s). In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 26., 2002, Salvador. Anais... Salvador: ANPAD, 2002. CD-ROM.

ALVESSON, M.; DEETZ, S. Teoria crítica e abordagens pós-modernas para estudos organizacionais. In: CLEGG, S. R. et al. (Orgs.). Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. p. 227-266.

BARRETO, C. R. Sobre a Racionalidade Humana: conceitos, dimensões e tendências. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 17., 1993, Salvador. Anais... Salvador: ANPAD, 1993.

COELHO, S. C. T. Terceiro setor: um estudo comparado entre Brasil e Estados Unidos. São Paulo: SENAC, 2000.

COLLINS, J. C.; PORRAS, J. Feitas para durar: práticas bem-sucedidas de empresas visionárias. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

CORREIA, G. S.; DORNELES, S. B. Uma nova concepção de criatividade na perspectiva da racionalidade. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 27., 2003, Atibaia–SP. Anais... Atibaia: ANPAD, 2003. CD-ROM.

DORNELLES, S. B.; DELLAGNELO, E. H. L. Autogestão e racionalidade substantiva: a Bruscor – Ind. e Comércio de Cordas e Cadarços Ltda. em Análise. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 27., 2003, Atibaia–SP. Anais... Atibaia: ANPAD, 2003.

ESCOBAR, J. J.; GUTIERREZ, A. C. M. Tercer sector y univocidad conceptual: necesidad y elementos configuradores. Revista Katálysis, v. 11, n. 1, jan./jun. 2008.

HABERMAS, J. Teoria de la acción comunicativa: Racionalidad de la acción y racionalización social. Madri: Grupo Santillana de Ediciones, 1999.

LIMA, S. M. M.; HOPFER, K. R.; SOUZA-LIMA, J. E. Complementaridade entre racionalidades na construção da identidade profissional. RAEeletrônica, v. 3, n. 2, Art. 19, jul./dez. 2004.

LOUBACK, J.; TEIXEIRA, M. L. M.; BIDO, D. S. Valores organizacionais e racionalidades: uma visita ao terceiro setor. Revista Organização e Sociedade, v. 16, n. 49, p. 225-246, abr./jun. 2009.

MANNHEIM, K. O homem e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1962.

MATOS, O. C. F. Filosofia – A polifonia da razão: Filosofia e Educação. São Paulo: Scipione, 1997.

MORIN, E. Ciência com consciência. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

PIZZA JÚNIOR, W. Razão substantiva. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro: FGV, v. 28, n. 2, p. 7-14, abr./jun. 1994.

RAMOS, A. G. A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1989.

RAMOS, M. F. Racionalidade nas organizações do terceiro setor: tensões e implicações para avaliação de programas sociais. Dissertação (Mestrado em Gestão Social e Trabalho) – Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1996

SERVA, M. A racionalidade administrativa demonstrada na prática administrativa. Revista de Administração de Empresas, São Paulo: FGV, v. 37, n. 2, p. 18-30, abr./jun. 1997.

SERVA, M. O fenômeno das organizações substantivas. Revista de Administração de Empresas, São Paulo: FGV, v. 33, n. 2, p. 36-43, mar./abr. 1993.

TENÓRIO, F. G. Gestão de ONGs: principais funções gerenciais. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

WEBER, M. Economía y sociedad. México: Fondo de Cultura Económica, 1984.