Análise entre os Gastos do Governo Local e o Crescimento Econômico das Cidades Portuárias Outros Idiomas

ID:
53404
Resumo:
O estudo investigou a relação existente entre as variáveis que compõem os gastos públicos e o crescimento econômico das cidades portuárias brasileiras. A estratégia de pesquisa usada para atender ao objetivo estabelecido foi a análise de dados secundários. Quanto à abordagem do problema, a pesquisa se enquadrou como quantitativa, em que a amostra foi intencional e não probabilística, compreendendo 32 cidades portuárias brasileiras. A dimensão temporal aplicada à pesquisa foi em um recorte transversal, compreendendo os Gastos Públicos per capita de 2013 e o Produto Interno Bruto (PIB) per capita de 2015. Com a finalidade de analisar a regressão, foi utilizado o software estatístico Gretl, e a partir dos aspectos avaliados, constatou-se que os gastos com saúde e investimentos possuem relação direta com o PIB per capita das cidades portuárias. Dessa forma, conclui-se que os gastos observados no estudo influenciaram o crescimento econômico, analisados por meio da variável PIB per capita das cidades portuárias elencadas para o presente trabalho. Por fim, em observação aos resultados do modelo analisado, concluiu-se que os gastos públicos possuem um alto poder de explicação, haja vista que 76,8% do PIB per capita das cidades portuárias é explicado pelas variáveis dos gastos públicos investigados.
Citação ABNT:
SILVA, C. A.; AMARAL, B. G.; ANZILAGO, M.; LUNKES, R. J. Análise entre os Gastos do Governo Local e o Crescimento Econômico das Cidades Portuárias. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 18, n. 1, p. 177-200, 2019.
Citação APA:
Silva, C. A., Amaral, B. G., Anzilago, M., & Lunkes, R. J. (2019). Análise entre os Gastos do Governo Local e o Crescimento Econômico das Cidades Portuárias. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 18(1), 177-200.
DOI:
https://doi.org/10.18593/race.19085
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53404/analise-entre-os-gastos-do-governo-local-e-o-crescimento-economico-das-cidades-portuarias/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Acciaro, M. (2008). The role of ports in the development of Mediterranean islands: The case of Sardinia. International Journal of Transport Economics/Rivista internazionale di economia dei trasporti, 295-323.

Al-Faris, A. F. (2002). Public expenditure and economic growth in the Gulf Cooperation Council countries. Applied economics, 34(9), 1187-1193.

Araújo, E.; Fajardo, J.; Tavani, L. C. D. (2006). CAPM usando uma carteira sintética do PIB Brasileiro. Estudos Econômicos, 36(3), 465-505.

Ashwani, B.; Sheera, V. P. (2017). Public spending and economic growth for Indian states. International Journal of Public Sector Performance Management, 3(3), 250-265.

Barro, R. J. (1990, October). Government spending in a simple model of endogenous growth. Journal of Political Economy, 98, 103-125.

Bloom, D. E.; Canning, D.; Sevilla, J. (2004). The effect of health on economic growth: A production function approach. World development, 32(1), 1-13.

Bogoni, N. M.; Hein, N.; Beuren, I. M. (2011, janeiro/fevereiro). Análise da relação entre crescimento econômico e gastos públicos nas maiores cidades da Região Sul do Brasil. Revista de Administração Pública, 45(1), 159-179.

Bottasso, A.; Conti, M.; Ferrari, C.; Merk, O.; Tei, A. (2013). O impacto da produção portuária no emprego local: Evidências de um painel de regiões europeias. Política de Transporte, 27, 32-38.

Castro, C. M. (1977). A prática da pesquisa. Estados Unidos: McGraw-Hill.

Chan, S. G.; Ramly, Z.; Karim, M. Z. A. (2017). Government Spending Efficiency on Economic Growth: Roles of Value-added Tax. Global Economic Review, 46(2), 162-188.

Chen, B. L. (2006). Economic growth with an optimal public spending composition. Oxford Economic Papers, 58(1), 123-136.

Colauto, R. D.; Beuren, I. M. (2012). Coleta, Análise e Interpretação dos dados. In: I. M. Beuren (Org.), Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: Teoria e prática (pp. 117-144). São Paulo: Atlas.

Cooper, D. R.; Schindler, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração. 10ª ed. Porto Alegre: Bookman.

Ensslin, L.; Dezem, V.; Dutra, A.; Ensslin, S. R.; Somensi, K. (2017). Seaport-performance tools: an analysis of the international literature. Maritime Economics & Logistics, 1, 1-16.

Ensslin, S. R.; Dutra, A.; Ensslin, L.; Valmorbida, S. M. I.; Cardoso, T. L. (2015). Avaliação Multicritério de Desempenho de Portos Marítimos Brasileiros: Estudo de Caso para apoiar a gestão do Porto São Francisco do Sul. Anais do Cidesport – Congresso Internacional de Desempenho Portuário, Florianópolis, 2, 1-25.

Ferreira, P. C. (1996). Investimento em infra-estrutura no Brasil: Fatos estilizados e relações de longo prazo. Pesquisa e Planejamento Econômico, 26(2), 231-252.

Ferreira, P. C.; Malliagros, T. G. (1998). Impactos produtivos da infra-estrutura no Brasil – 1950/95. Pesquisa e Planejamento Econômico, 28(2), 315-338.

Furtuoso, M. C. O.; Guilhoto, J. J. M. (2003). Estimativa e mensuração do Produto Interno Bruto do Agronegócio da Economia Brasileira, 1994 a 2000. Revista de Economia e Sociologia Rural, 41(4), 803-827.

Giner-Fillol, A.; Lunkes, R. J.; Ripoll-Feliu, V. M.; Rosa, F. S. (2013). Gestão Portuária – Com caso prático no Porto de Valência (Valencia Port). Insular, 192.

Guerrero, J. I. F.; Selva, L. M.; Medina, R. P. (2008). Economic impact of Western Mediterranean leisure ports. International Journal of Transport Economics/Rivista internazionale di economia dei trasporti, 251-272.

Gyimah-Brempong, K.; Wilson, M. (2004). Health human capital and economic growth in Sub-Saharan African and OECD countries. The Quarterly Review of Economics and Finance, 44(2), 296-320.

Hsieh, E.; Lai, K. S. (1994). Government spending and economic growth: the G-7 experience. Applied Economics, 26(5), 535-542.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). www.ibge.gov.br

Irmen, A.; Kuehnel, J. (2009). Productive government expenditure and economic growth. Journal of Economic Surveys, 23(4), 692-733.

Jouili, T.; Allouche, M. A. (2016). Investment in seaports and economic growth. International Journal of Transport Economics. Rivista Internazionale de Economia dei Trasporti, 43(4).

Kolluri, B. R.; Panik, M. J.; Wahab, M. S. (2000). Government expenditure and economic growth: Evidence from G7 countries. Applied Economics, 32(8), 1059-1068.

Landau, D. (1983). Government expenditure and economic growth: A cross-country study. Southern Economic Journal, 783-792.

Lea, T. M. H.; Choib, H. R.; Alfaroc, L. A. M. (2017). An Exploratory Study on Policy of the Public-Private Partnership to Develop Seaport in Vietnam. International Journal of Applied Business and Economic Research, 15(3), 57-68.

Lupu, D.; Asandului, M. (2017). The Nexus between Economic Growth and Public Spending in Eastern European Countries. Engineering Economics, 28(2), 155-161.

Mayer, D. (2001). The long-term impact of health on economic growth in Latin America. World development, 29(6), 1025-1033.

Merza, E.; Alhasan, N. (2016). Public Spending and Economic Growth in the Rentier State: The Case of Kuwait. Asian Social Science, 12(8), 160. Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. (2017). Lista de Portos Nacionais. www.transporte.gov.br

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. (2017). Lista de Portos Nacionais. www.transporte.gov.br

Monié, F.; Vidal, S. M. do S. C. (2006). Cidades, portos e cidades portuárias na era da integração produtiva. Revista de Administração Pública – RAP, 40(6).

Morozumi, A.; Veiga, F. J. (2016). Public spending and growth: The role of government accountability. European Economic Review, 89, 148-171.

Ogundari, K.; Abdulai, A. (2014). Determinants of household’s education and healthcare spending in Nigeria: Evidence from survey data. African Development Review, 26(1), 1-14.

Ogundari, K.; Awokuse, T. (2018). Human capital contribution to economic growth in Sub-Saharan Africa: Does health status matter more than education? Economic Analysis and Policy, 58, 131-140.

Oliveira, C. A. (2004). Crescimento econômico das cidades nordestinas: Um enfoque da nova geografia econômica. Anais do Encontro Regional de Economia, Fortaleza, 9.

Pegkas, P.; Tsamadias, C. (2014). Does higher education affect economic growth? The case of Greece. International Economic Journal, 28(3), 425-444.

Rajkumar, A. S.; Swaroop, V. (2008). Public spending and outcomes: Does governance matter? Journal of development economics, 86(1), 96-111.

Riani, F. (2002). Economia do Setor Público: Uma abordagem introdutória. 4ª ed. São Paulo: Atlas.

Richardson, R. J. (1999). (1999). Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. 3ª ed. São Paulo: Atlas.

Samudram, M.; Nair, M.; Vaithilingam, S. (2009). Keynes and Wagner on government expenditures and economic development: The case of a developing economy. Empirical Economics, 36(3), 697-712.

Secretaria do Tesouro Nacional. (2017). Contabilidade governamental. www. stn.gov.br

Shan, J.; Yu, M.; Lee, C. Y. (2014). An empirical investigation of the seaport’s economic impact: Evidence from major ports in China. Transportation Research Part E: Logistics and Transportation Review, 69, 41-53.

Sinha, D. (1998). Government expenditure and economic growth in Malaysia. Journal of Economic Development, 23(2), 71-80.

Song, L.; Mi, J. (2016). Port infrastructure and regional economic growth in China: A Granger causality analysis. Maritime Policy & Management, 43(4), 456-468.

Thomas, D.; Frankenberg, E. (2002). Health, nutrition and prosperity: A microeconomic perspective. Bulletin of the World Health Organization, 80, 106-113.

Tukan, M.; Achmadi, T.; Widjaja, S. (2015). Seaport Dimensional Analysis towards Economic Growth in Archipelagic Regions. International Journal of Technology, 6(3), 422-431.

Van Niekerk, H. C. (2005). Port reform and concessioning in developing countries. Maritime Economics & Logistics, 7(2), 141-155.

Zanmaria, N. A.; Castilho, M. L. (2006). Gastos públicos com educação e seus reflexos no crescimento econômico brasileiro. Revista Faz Ciência, 8(1), 123.