Qualidades de Liderança para a Inovação em Organizações do Setor Público Outros Idiomas

ID:
53415
Resumo:
As organizações públicas têm sofrido transformações constantes em suas práticas de gestão e organização do trabalho, o que aumenta a importância da capacidade de inovação e da liderança no sucesso e crescimento desses órgãos. Entretanto, a tríade liderança-inovaçãosetor público tem sido pouco explorada e não tem recebido a atenção merecida. Isso posto, este artigo almeja identificar as qualidades atribuídas ao líder que podem impactar a capacidade de inovação em organizações do setor público. Para tanto, utilizou-se o método de pesquisa bibliográfico e documental. O estudo é qualitativo em relação ao objetivo, e descritivo no que se refere à abordagem. Quanto aos resultados, observou-se 10 qualidades essenciais à liderança no setor público brasileiro que potencializam a capacidade de inovação. Concluiu-se que as qualidades dos líderes inovadores no setor público estão prioritariamente relacionadas às habilidades humanas dos líderes, ou seja, à capacidade de lidar com os membros do grupo. Além disso, para inovar no setor público brasileiro o líder não precisa, necessariamente, dominar todos os conhecimentos técnicos das atividades desenvolvidas. Como contribuição, as qualidades discutidas neste estudo podem auxiliar os gestores públicos brasileiros e seus liderados a percorrerem a inovação.
Citação ABNT:
MELO, F. G. O.; SILVA, G. Qualidades de Liderança para a Inovação em Organizações do Setor Público . Revista Brasileira de Gestão e Inovação, v. 6, n. 3, p. 121-143, 2019.
Citação APA:
Melo, F. G. O., & Silva, G. (2019). Qualidades de Liderança para a Inovação em Organizações do Setor Público . Revista Brasileira de Gestão e Inovação, 6(3), 121-143.
DOI:
10.18226/23190639.v6n3.06
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53415/qualidades-de-lideranca-para-a-inovacao-em-organizacoes-do-setor-publico-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Barlach, L. (2013). Liderança e inovação na administração pública. Revista Gestão & Políticas Públicas, 2(1).

Barsh, J., Capozzi, M. M., & Davidson, J. (2008). Leadership and innovation. McKinsey Quarterly, 1(36).

Bass, B. M., & Stogdill, R. M. (1990). Bass & Stogdill's handbook of leadership: theory, research, and managerial applications. Simon and Schuster.

Bergamini, C. W. (1994). Liderança: a administração do sentido. Revista de Administração de Empresas, 34(3), 102-114.

Bernardo, J. (1985). Gestores, estado e capitalismo de estado. São Paulo.

Borins, S. (2001). Encouraging innovation in the public sector. Journal of Intellectual Capital, 2(3), 310-319.

Borins, S. (2002). Leadership and innovation in the public sector. Leadership & Organization Development Journal, 23(8), 467-476.

Brasil. Constituição. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1998. Recuperado em 18, setembro, 2018, de http://www.senado.gov.br/legislação/const/con1988/CON1988_06/06/2013/index.shtm

Brasil. Tribunal de Contas da União. (2014). Governança Pública: referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública e ações indutoras de melhoria. Brasília: TCU, Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão.

Costa, E. M., & Bittencourt, D. F. (2008). As Causas e Conseqüências do Desvio de Função nos Quadros de Servidores do Poder Judiciário Catarinense – Propostas de soluções. De http://tjsc25.tjsc.jus.br/academia/arquivos/Edenir_Murilo_da_Costa.pdf.

Cribbin, J. J. (1981). Leadership: strategies for organizational effectiveness. Amacom.

Daglio, M., Gerson, D., & Kitchen, H. (2014, November). Building organisational capacity for public sector innovation. In Background Paper prepared for the OECD Conference “Innovating the Public Sector: from Ideas to Impact”, Paris.

Damanpour, F., & Schneider, M. (2006). Phases of the adoption of innovation in organizations: Effects of environment, organization and top managers. British journal of Management, 17(3), 215-236.

Damanpour, F., & Schneider, M. (2009). Characteristics of innovation and innovation adoption in public organizations: Assessing the role of managers. Journal of Public Administration Research and Theory, 19(3), 495-522.

De Vries, H., Bekkers, V., & Tummers, L. (2016). Innovation in the public sector: A systematic review and future research agenda. Public Administration, 94(1), 146-166.

Dias, J. M. A. M., & Borges, R. S. G. (2015). Estilos de liderança e desempenho de equipes no setor público. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 21(1).

Donelly, J. H., Ivancevich, J. M., & Gibson, J. L. (1985). Organizations: Behavior, structure, processes.

Dorow, P. F., Wilbert, J. K. W., Neto, R. J., & Dandolini, G. A. (2015). O líder inovador segundo a percepção de gestores intermediários. RAI Revista de Administração e Inovação, 12(3), 209-225.

Ferrarezi, E., Amorim, S. N. D., Tomacheski, J. A., & Vargas, E. R. D. (2010). Sustentabilidade de iniciativas premiadas no Concurso Inovação: indícios de mudança da gestão no governo federal?

Ferreira, V. D. R. S., Tete, M. F., da Silva Filho, A. I., & de Moraes Sousa, M. (2015). Inovação no setor público federal no Brasil na perspectiva da inovação em serviços. RAI Revista de Administração e Inovação, 12(4), 99-118.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Hood, C. (1991). A public management for all seasons? Public Administration, 69(1), 3-19.

Horth, D., & Buchner, D. (2009). Innovation leadership: How to use innovation to lead effectively, work collaboratively and drive results. Center for Creative Leadership.

Hunter, S., Steinberg, P., & Taylor, M. (2012). Shifting to a Strategy Innovation: The Key Role of Leadership in Consumer Packaged. Goods Penn State Executive Programs.

Katz, R. L. (1974). Skills of an effective administrator. In: HBR Classics: fifteen key concepts for managerial success. Boston: Harvard Business Review, 74509, sep.-oct.

Lawson, B., & Samson, D. (2001). Developing innovation capability in organisations: a dynamic capabilities approach. International Journal of Innovation Management, 5(03), 377400.

Lima, D. H., & de Vargas, E. R. (2012). Estudos internacionais sobre inovação no setor público: como a teoria da inovação em serviços pode contribuir? Revista de Administração Pública, 46(2), 385-401.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2011). Técnicas de pesquisa: planejamento, execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração e interpretação de dados. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

Martins, H. F. (1997). Burocracia e a revolução gerencial-a persistência da dicotomia entre política e administração. Revista do Serviço Público, 48(1), 42.

Monteiro, I. P. (2008). Comportamentos do líder inovador no sector do turismo.

Motta , F. C. P. (2003). Teoria das organizações: evolução e crítica. São Paulo: Pioneira.

Mulgan, G. (2009). The art of public strategy. Oxford: OUP.

Munshi, N. (2005). Leading for innovation: The impact of leadership on innovation. Advanced Institute of Management Research.

Oliveira, F. B. D., Sant'Anna, A. D. S., & Vaz, S. L. (2010). Liderança no contexto da nova administração pública: uma análise sob a perspectiva de gestores públicos de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Revista de Administração Pública-RAP, 44(6).

Oliveira, L. G. D. (2014). Inovação no setor público: uma reflexão a partir das experiências premiadas no Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Osborne, S. P., & Brown, K. (2005). Managing change and innovation in public service organizations. New York, NY: Routledge.

Peng, D. X., Schroeder, R. G., & Shah, R. (2008). Linking routines to operations capabilities: A new perspective. Journal of Operations Management, 26(6), 730-748.

Peretomode, O. (2012). Situational and contingency theories of leadership: Are they the Same.

Prentice, W. C. H. (1961). Understanding leadership. Harvard Business Review, 39(5), 143151.

Raipa, A., & Giedraityte, V. (2014). Innovation process barriers in public sector: a comparative analysis in Lithuania and the European Union. International Journal of Business and Management, 9(10), 10.

Rauch, C. F., & Behling, O. (1984). Functionalism: Basis for an alternate approach to the study of leadership. Leaders and managers, 45-62.

Ricard, L. M., & Lewis, J. (2014). Innovation Capacity in the Public Sector: The link between leadership and innovation. In International Research Society for Public Management Conference.

Ricard, L. M., Klijn, E. H., Lewis, J. M., & Ysa, T. (2017). Assessing public leadership styles for innovation: A comparison of Copenhagen, Rotterdam and Barcelona. Public Management Review, 19(2), 134-156.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. Ed. São Paulo Atlas.

Salge, T. A. (2011). Behavioral Model of Innovative Search: Evidence from Public Hospital services. Journal of Public Administration Research and Theory, 21(1), 181-210.

Saunders, M., Lewis, P., & Thornill, A. (2000). Research Methods for Business Students. 2. ed. Harlow, England: Pearson Education.

Soares, S. I. S., & Bezerra, G. S. (2015). O Papel da Liderança na Gestão Pública: um estudo sobre o estilo de liderança dos gestores nas escolas municipais de Mossoró-RN. Revista Cogitatem, 1(2), 1-20.

Sobral, F., & Peci, A. (2008). Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. Pearson Prentice Hall.

Stogdill, R. M. (1950). Leadership, membership and organization. Psychological bulletin, 47(1).

Tannenbaum, R. W. I. R, & Massarik, F.(1961). Leadership and organization. A behavioral science approach. McGraw-Hill. New York.

Tidd, J., Bessant, J., & Pavitt, K. (2008). Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Treinta, F. T., Farias Filho, J. R., Sant’Anna, A. P., & Rabelo, L. M. (2014). Metodologia de pesquisa bibliográfica com a utilização de método multicritério de apoio à decisão. Production, 24(3), 508-520.

Zaleznik, A. (1992). Managers and leaders: are they different? Harvard Business Review, 70(2), 126-135