Aprendizagem em Negócios Sociais: Um Levantamento sob a Perspectiva do Público Interno Outros Idiomas

ID:
53481
Resumo:
Esta pesquisa objetiva caracterizar o processo de aprendizagem organizacional em negócios sociais sob a perspectiva do público interno. Os negócios sociais são organizações cuja finalidade é promover soluções para problemas que afetam as populações menos favorecidas da sociedade, utilizando-se de mecanismos de mercado. Entender o processo de aprendizagem nessas organizações mostra-se relevante, uma vez que seu sucesso pode ser influenciado pela oportunidade que os indivíduos têm de aprender e aplicar seus aprendizados. Foi realizada uma survey para captar a percepção dos profissionais de negócios sociais acerca da aprendizagem nas dimensões Individual, Organizacional, Coletivo e Liderança. Os resultados indicam que a aprendizagem ocorre por meio de iniciativas informais, como na execução de atividades cotidianas e interação com colegas e líderes, e por iniciativas formais voltadas para o coletivo, como palestras e treinamentos. Tais características evidenciam a necessidade de estruturar os processos de aprendizagem nos negócios sociais para que atendam tanto a necessidades individuais quanto às estratégias da organização.
Citação ABNT:
ROSOLEN, T.; VISOTO, K. L.; COMINI, G. M. Aprendizagem em Negócios Sociais: Um Levantamento sob a Perspectiva do Público Interno . Gestão & Regionalidade, v. 35, n. 103, p. 200-219, 2019.
Citação APA:
Rosolen, T., Visoto, K. L., & Comini, G. M. (2019). Aprendizagem em Negócios Sociais: Um Levantamento sob a Perspectiva do Público Interno . Gestão & Regionalidade, 35(103), 200-219.
DOI:
10.13037/gr.vol35n103.4538
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53481/aprendizagem-em-negocios-sociais--um-levantamento-sob-a-perspectiva-do-publico-interno-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANTONELLO, C. Contextos do Saber: a aprendizagem informal. In: ANTONELLO, C; GODOY, A. Aprendizagem Organizacional no Brasil. São Paulo: Ed. Bookman, 2011a.

ANTONELLO, C. O autodesenvolvimento e a perspectiva da aprendizagem organizacional. In: BITENCOUT, C. Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre: Ed. Bookman, 2010.

ANTONELLO, C. Saberes no singular? Em discussão a falsa fronteira entre aprendizagem formal e informal. In:

BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G.; LOIOLA, E. Aprendizagem organizacional versus organizações que aprendem: características e desafios que cercam essas duas abordagens de pesquisa. RAUSP-Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 3, p. 220-230, 2004.

BORZAGA, C.; GALERA, G; DEPREDI, S. Interpreting Social Enterprises. RAUSP-Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 47, n. 3, p. 398-409, 2012.

BROWN, J.; DUGUID, P. Organizational learning and communities-of-practice: towards a unified view of working, learning and innovation. Organization Science, v. 2, n. 1, p. 40-57, 1991.

CAMILLIS, P. K. Um Estudo Acerca dos Processos de Aprendizagem de Trabalhadores que não Exercem Função Gerencial. In: ANTONELLO, C; GODOY, A. Aprendizagem Organizacional no Brasil. São Paulo: Ed. Bookman, 2011.

COMINI, G.; BARKI, E.; AGUIAR, L. A three-pronged approach to social business: A Brazilian multi-case analysis. RAUSP-Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 47, n. 3, p. 385-397, 2012.

COOK, S. D. N.; YANOW, D. Culture and organizational learning. Journal of Management Inquiry, v. 2, n. 4, p. 373-390, 1993.

COSTA, L. A. Ambiente organizacional e sua influência no processo de aprendizagem dos indivíduos. In: ANTONELLO, C; GODOY, A. Aprendizagem Organizacional no Brasil. São Paulo: Ed. Bookman, 2011.

CUNNINGHAM, P.; ILES, P. Managing learning climates in a financial services organization. Journal of Management Development, v. 21, n. 6, p. 477-492, 2002.

DUTRA, J. Gestão de Pessoas. São Paulo: Atlas, 2002.

EASTERBY-SMITH, M; BURGOYNE, J.; ARAUJO, L. (org.). Aprendizagem Organizacional e Organização de Aprendizagem: desenvolvimento na teoria e na prática. São Paulo: Atlas, 2001.

GARVIN, D. A. Learning in Action: A Guide to Putting the Learning Organization to Work. Boston: Harvard Business School Press, 2000. Disponível em: http://www.cio.com/ article/2439387/ leadership-management/book-excerpt--learningin-action.html. Acesso em: 7 nov. 2015.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Ed. Atlas, 2008.

GODOY. A.; ANTONELLO, C. Cartografia da aprendizagem Organizacional: uma revisão multipragmática. In: ANTONELLO, C; GODOY, A. Aprendizagem Organizacional no Brasil. São Paulo: Ed. Bookman, 2011.

IIZUKA, E. S.; VARELA, C. A.; LARROUDÉ, E. R. A. Social business dilemmas in Brazil: Rede Asta case. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 55, n. 4, p. 385-396, 2015.

JENNINGS, C.; WARGNIER J. Effective Learning with 70:20:10. The new frontier for the extended enterprise. [S.I.]: CrossKnowledge, 2011. Disponível em: http://www.crossknow ledge.net/crossknowledge/ whitepapers/effective-learning-with-70_20_10-whitepaper.pdf. Acesso em: 6 nov. 2015.

KERLIN, J. Social Enterprise in the United States and Europe: Understanding and Learning from the Differences. Voluntas International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 17, n. 3, p. 247-263, 2006.

KIYAMA, R. S; COMINI, G. M.; D`AMARIO, E. Q. Criação de Negócios Sociais no Brasil: Um Estudo Exploratório. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO,38., 2014, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPAD, 2014.

KOLB, D. A. Experiential learning: experience as the source of learning and development. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1984.

LEGGE, K. Human resources, realities and rethorics. London: Palgrave, 2005.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. Metodologia Científica. Ed. Atlas: São Paulo, 2011.

PRAHALAD, C. K.; HART, S. The Fortune at the Bottom of the Pyramid. Strategy + Business, v. 26, p.1-14, 2002.

PRANGE, C. Aprendizagem organizacional: desesperadamente em busca de teorias? In: EASTERBY-SMITH, M.; BURGOYNE, J.; ARAUJO, L. (org.). Aprendizagem organizacional e organizações de aprendizagem: Desenvolvimento na teoria e na prática. São Paulo: Atlas, p. 41-63, 2001.

ROSOLEN, T.; TISCOSKI, G. P.; COMINI, G. M. Empreendedorismo Social e Negócios Sociais: Um Estudo Bibliométrico da Publicação Nacional e Internacional. Revista Interdisciplinar de Gestão Social RIGS, v. 3, p. 85-105, 2014.

SLATER, S. F.; NARVER, J. C. Market orientation and the learning organization. Journal of Marketing, v. 59, n. 3, p. 63-74, 1995.

SMITH, W. K.; GONIN, M.; BESHAROV, M. L. Managing social business tensions: A review and research agenda for social enterprise. Business Ethics Quarterly, v. 23, n. 3, p. 407-442, 2013.

YOUNG, D. Alternative Perspectives on Social Enterprise. In: CORDES, J.; STEUERLE, E. (eds.). Nonprofits and Business. Washington, D.C.: The Urban Institute Press, 2009.