Concepções sobre Ciência e Saber na Administração: Discussão Teórica e Análise do Discurso de Estudantes de Doutorado Outros Idiomas

ID:
53493
Resumo:
Este estudo tem como objetivo realizar uma análise do discurso sobre ciência e saber de estudantes do doutorado em administração. Na fundamentação teórica é apresentado o debate sobre ciência e saber nas ciências sociais, bem como suas implicações nos estudos organizacionais e o modelo paradigmático desenvolvido por Burrell e Morgan, bem como algumas de suas críticas. Para alcançar o objetivo proposto foi realizada uma pesquisa qualitativa com trezes estudantes de doutorado que estavam no final do primeiro ano do curso. Os enunciados foram analisados por meio da análise francesa do discurso, enfatizando o contexto social da produção do discurso, as personagens discursivas e os postos, pressupostos e subentendidos. A análise indicou uma proeminência de uma concepção de ciência tradicional e positivista nos discursos, no entanto, com a presença de discursos críticos. Por fim, é defendida a pertinência de diferentes paradigmas e a abertura para o diálogo entre eles, de modo que a perspectiva positivista não permaneça livre da crítica, nem a crítica isolada em pequenos grupos acadêmicos.
Citação ABNT:
VASCONCELOS, M. E. S. M.; DOMINGUES, F. F.; CARRIERI, A. P. Concepções sobre Ciência e Saber na Administração: Discussão Teórica e Análise do Discurso de Estudantes de Doutorado. Pensamento & Realidade, v. 33, n. 3, p. 110-128, 2018.
Citação APA:
Vasconcelos, M. E. S. M., Domingues, F. F., & Carrieri, A. P. (2018). Concepções sobre Ciência e Saber na Administração: Discussão Teórica e Análise do Discurso de Estudantes de Doutorado. Pensamento & Realidade, 33(3), 110-128.
DOI:
http://dx.doi.org/10.23925/2237-4418.2018v33i3p110-128
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53493/concepcoes-sobre-ciencia-e-saber-na-administracao--discussao-teorica-e-analise-do-discurso-de-estudantes-de-doutorado/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ASTLEY, W. G. Administrative science as socially constructed truth. Administrative Science Quarterly, v. 30, n. 4, 1985.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade 36 ed. Petrópolis: vozes, 2014.

BIROCHI, R.; SILVA, M.; DOMINGUES, F., B, A.; S, R. Mapeamento de abordagens epistemológicas em publicações sobre estratégia organizacional. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 259-279, dez. 2012. . doi:http://dx.doi.org/10.19177/reen.v5e32012259-279.

BRANDÃO, H. H. N. Introdução à análise do discurso. 8ª ed. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2002

CRESWELL, John. Qualitative inquiry and research design: choosing among five approaches. Thousand Oaks: Sage, 1997.

FARIA, A. A. M. de; LINHARES, P. T. F. S. O preço da passagem no discurso de uma empresa de ônibus. Cadernos de Pesquisa do NAPQ, n. 13, v, 10, 1993.

FOUCAULT, M. Verdade e poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 5ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 2017. P. 35-54.

HABERMAS, J. Técnica e Ciência como Ideologia. Edições 70, Lisboa. 1994.

MARIZ, L. A; GOULART, S.; REGIS, H. P.; DOURADO, D. O reinado dos estudos de caso na Teoria das Organizações: imprecisões e alternativas. Cad. EBAPE.BR, v. 3, n. 2, p. 01-14, 2005.

MATTOS, P. L. C. L. Administração é ciência ou arte?: O que podemos aprender com este mal-entendido? RAE, n. 3 v. 49, 2009.

MERRIAM, Sharan B. Qualitative research and case study applications in education. San Francisco: Jossey-Bass, 1998.

PAULA, Ana Paula Paes. Repensando os estudos organizacionais: o círculo das matrizes epistemológicas e a abordagem Freudo-Frankfurtiana. Tese para Provimento Efetivo de Vaga de Professor Titular, Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil, 2013.

PAULIUKONIS, M. A. L. Texto e discurso: os processos de desvendamento inferencial. In: I Simpósio Internacional de Letras e Linguística (SILEL), 1., 2006, Uberlândia, Anais... Uberlândia: UFU, 2006.

SARAIVA, L. A. S.; CARRIERI, A. P. Por que simbolismo organizacional no Brasil? In: CARRIERI, A. P; SARAIVA, L. A. S. (Orgs.). Simbolismo organizacional no Brasil. São Paulo: Atlas, 2007. p. 1-11

ALVESSON, M.; WILLMOTT, H. On the idea of emancipation in management and organizational studies. Academy of Management Review, v. 17, n. 3, 1992.

BURRELL, G.; MORGAN, G. Sociological Paradigms and Organisational Analysis. Elements of the Sociology of Corporate Life. Vermont: Ashgate, 1979.

MARGOLIS, J. Knowledge in the humanities and social sciences. In: MINILUOTO, I, SINTONEN, M.; WOLENSKI, J. (ED). Handbook of epistemology. Dordrecht: Springer, 2004. p. 607-645.