A Fase Embrionária do Campo de Públicas: O Processo de Expansão e Diversificação do Ensino de Graduação de Administração Pública no Brasil entre 1995 e 2006 Outros Idiomas

ID:
53719
Resumo:
Este artigo é per se uma radiografia do ensino de graduação de Administração Pública no Brasil que evidencia um macroambiente favorável para o ressurgimento dessa formação acadêmica e contextualiza sua oferta no País entre 1995 e 2006. Resultado de uma investigação de natureza exploratória que se utilizou da compilação de dados secundários do Inep/MEC e do levantamento de informações primárias de alguns cursos, o trabalho descreve e analisa a expansão e a diversificação de tal ensino em território nacional, sugerindo a existência de um ciclo ou fase embrionária que antecedeu a institucionalização do chamado campo de públicas.
Citação ABNT:
COELHO, F. S.A Fase Embrionária do Campo de Públicas: O Processo de Expansão e Diversificação do Ensino de Graduação de Administração Pública no Brasil entre 1995 e 2006. Revista Administração em Diálogo, v. 21, n. 2, p. 240-267, 2019.
Citação APA:
Coelho, F. S.(2019). A Fase Embrionária do Campo de Públicas: O Processo de Expansão e Diversificação do Ensino de Graduação de Administração Pública no Brasil entre 1995 e 2006. Revista Administração em Diálogo, 21(2), 240-267.
DOI:
http://dx.doi.org/10.23925/2178-0080.2019v21i2.42277
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53719/a-fase-embrionaria-do-campo-de-publicas--o-processo-de-expansao-e-diversificacao-do-ensino-de-graduacao-de-administracao-publica-no-brasil-entre-1995-e-2006/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abrucio, F. (2005). Reforma do Estado no federalismo brasileiro: a situação das administrações públicas estaduais. Revista de Administração Pública, mar./abr. Brasiliense-

Bresser Pereira, L., & SPINK, P. (1998). Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

Carneiro, J. (2002). Formação Profissional para Administração Municipal no Brasil: a experiência do IBAM. (Tese de doutorado). Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas. São Paulo.

Cavalcanti, B. (2005). O Gerente Equalizador: estratégias de gestão no setor público. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

Coelho, F. (2002). A Educação Profissional no Brasil entre o Estado e a Sociedade Civil: evolução, debate atual e experiência recente. (Dissertação de mestrado). Escola de Administração de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

Coelho, F. (2006). Educação superior, formação de administradores e setor público: um estudo sobre o ensino de administração pública – em nível de graduação – no Brasil. (Tese de doutorado). Escola de Administração de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

Coelho, F. (2008). A problemática atual do ensino de graduação em Administração Pública no Brasil. Revista Cadernos EBAPE, edição especial.

Farah, M. (2006). Inovação e Governo Local no Brasil. In: Jacobi, P., & Pinho, J. (org.). Inovação no Campo da Gestão Pública Local: novos desafios, novos patamares. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

Ferraz, S. (2000). Estratégias de Desenvolvimento Local e Mercado de Trabalho: a emergência de um campo profissional. (Tese de doutorado). Escola de Administração de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

Fischer. T. (1984). O Ensino de administração pública no Brasil: os ideais de desenvolvimento e as dimensões de racionalidade (1948-1984). (Tese de doutorado). Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1984.

Gaetani, F. (1999). O ensino de administração pública no Brasil em um momento de inflexão. Revista do Serviço Público, out./dez.

Longo, F. (2000). A consolidação institucional do cargo de dirigente público. Revista do Serviço Público, abr./jun.

Mezzomo Keinert, T. (1994). Análise das propostas dos cursos de administração pública no Brasil em função da evolução do campo de conhecimento. São Paulo: FGV/NPP, 1996.

Mezzomo Keinert, T. (1994). Os paradigmas da administração pública no Brasil (1900-92). Revista de Administração de Empresas, maio/jun.

Paes de Paula, A. (2005). Administração Pública Brasileira entre o Gerencialismo e a Gestão Social. Revista de Administração de Empresas, jan./mar.

Pires, V., Midlej, S., Fonseca, S., Vendramini, P., & Coelho, F. (2014). Dossiê – Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais. Revista Administração Pública e Gestão Social, jul./set.

Schommer, P. (2003). Gestão Pública no Brasil: notícias do teatro de operações – pensata. Revista de Administração de Empresas, out./dez.

Silva, B. (1952). A necessidade do ensino de administração pública. Discurso no ato inaugural da Escola Brasileira de Administração Pública, em 15 de abril de 1952. Rio de Janeiro: FGV, 1952. (mimeografado).