Análise Espacial do ICMS Ecológico e suas Relações com o Desenvolvimento Socioeconômico dos Municípios Mineiros Outros Idiomas

ID:
53777
Periódico:
Resumo:
O ICMS Ecológico (ICMS-E) é um dos critérios de distribuição da cota parte do ICMS, como recurso adicional, aos Municípios, que atendam ao subcritério unidade de conservação. Assim, além da distribuição de recursos considerando o Valor Adicional Fiscal – VAF, o ICMS-E, em Minas Gerais, compõe o elenco de mais dez critérios, que objetivam corrigir o viés relacionado a desconcentração da renda, atendimento as regiões mais pobres, investimentos na área social, dentre outros. Diante deste contexto uma questão é levantada: O repasse do ICMS_E implicou em mudanças nos indicadores de desenvolvimento socioeconômico dos municípios mineiros? Dessa forma, este estudo analisou a distribuição espacial dos repasses financeiros do ICMS-E e suas implicações no Índice Mineiro de Responsabilidade Social – IMRS e no Produto Interno Bruto (PIB) per capita. Como aspectos metodológicos, dado o efeito spillover entre as decisões de gestores de municípios vizinhos, foi utilizada a análise exploratória de dados espaciais (AEDE), considerando variáveis de repasses do ICMS-E para os municípios, IMRS e PIB per capita nos períodos de 2004 a 2012. Os resultados indicaram ampliação no número de municípios atendidos pelo critério e semelhança de arrecadação entre os municípios espacialmente vizinhos. A análise bivariada indicou que nos anos de 2010 e 2012 municípios com IMRS mais elevados possuíam em sua circunvizinhança municípios com maiores repasses de ICMS-E. Apurou-se baixa e decrescente correlação, ao longo do tempo, ao ser avaliada a relação com o PIB per capita, refletindo o perfil redistributivo do imposto.
Citação ABNT:
SGARBI, L. A.; GONÇALVES, R. M. L.; ABRANTES, L. A.; BRUNOZI JÚNIOR, A. C. Análise Espacial do ICMS Ecológico e suas Relações com o Desenvolvimento Socioeconômico dos Municípios Mineiros . Reuna, v. 23, n. 4, p. 15-41, 2018.
Citação APA:
Sgarbi, L. A., Gonçalves, R. M. L., Abrantes, L. A., & Brunozi Júnior, A. C. (2018). Análise Espacial do ICMS Ecológico e suas Relações com o Desenvolvimento Socioeconômico dos Municípios Mineiros . Reuna, 23(4), 15-41.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/2179-8834/2018v23n4p15-41
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53777/analise-espacial-do-icms-ecologico-e-suas-relacoes-com-o-desenvolvimento-socioeconomico-dos-municipios-mineiros-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, E. Econometria Espacial Aplicada. Campinas: Alínea, 2012.

ALMEIDA, E. S.; HADDAD, E. A.; HEWINGS, G. J. D. The spatial pattern of crime in Minas Gerais: an exploratory analysis. Economia Aplicada, v. 9, n. 1, 2005.

ANSELIN, Luc.. Exploratory spatial data analysis in a geocomputacional environment. In: Longley P. A.; Brooks; S. M.; MCDONNELL, R.; MACMILLIAN; B. Geocomputation a primer. Chichester: John Willey & Sons Ltd. 1998, p. 77-94.

ANSELIN, Luc. Spatial econometrics: methods and models. Boston: Kluwer Academic. 1988.

ANSELIN, Luc; SYABRI, I.; KHO, Y. GeoDa: an introduction to spatial data analysis. [S.l.]: University of Illinois, 2003. (mimeo).

BALLEIRO, A. Direito tributário brasileiro. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

BORGES, F. H.; TACHIBANA, W. K. A evolução da preocupação ambiental e seus reflexos no ambiente dos negócios: uma abordagem histórica. In: XXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 25, 2005, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Abepro-PUCRS, Nov./2005, p. 5235-5242.

BRANDÃO, R. F. Incentivo Fiscal Ambiental: Parâmetros e Limites para sua Instituição à Luz da Constituição Federal de 1988. 2013. 267 f. Tese (Doutorado em Direito) - Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2013.

BRASIL Constituição. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 18 ed. Brasília, DF: Senado, 1988.

CASE, A., ROSEN, H. S.; HINES, J. R. Budget spillovers and fiscal policy interdependence: evidence from the states, Journal of Public Economics, v. 1, n. 52, p. 285-307, 1993.

DA SILVA JÚNIOR, L.H.; SOBRAL, E.M.F. O ICMS Socioambiental de Pernambuco: Uma avaliação dos componentes socioeconômicos da política a partir do processo de Markov. Planejamento e Políticas Públicas, v. 1, n. 42, p. 189-217, 2014.

DROSTE, N.; LIMA, G. R.; MAY, P. H.; RING,I. Municipal responses to ecological fiscal transfers in Brazil - a microeconometric panel data approach. Environmental Policy and Governance, v. 27, n. 4, p. 378-393, 2017.

DUARTE, L. C. B. A Politica Ambiental Internacional: Uma Introdução. Cena Internacional - Revista de Análise em Política Internacional, v. 6, n. 1, p. 4-12, jun. 2004.

EUCLYDES, A. C.P. Contradições da política ambiental por meio de incentivos financeiros: os casos do ICMS ecológico e da CFEM nos municípios do Quadrilátero Ferrífero (Minas Gerais, Brasil). Revista Árvore, v. 37, n. 6, p. 1083-1092, Dez. 2013.

FERNANDES, L. L.; COELHO, E. A. F.; FERNANDES, E. A.; LIMA, J. E. Compensação e incentivo à proteção ambiental: o caso do ICMS ecológico em Minas Gerais. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 1, v. 49, n. 3, jul./set. 2011.

FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Manual Lei 18.030 - 2010. . Acesso em: 25 ago. 2010.

HACK, E. As finalidades do tributo: como ele pode ser utilizado como instrumento de arrecadação e busca dos objetivos do Estado. ANIMA: Revista Eletrônica do Curso de Direito das Faculdades OPET, v. 3, n. 7, p. 135-153, jan/jun. 2012.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, 2015. . Acesso em: 10 dez. 2015.

IVERSEN, Carl. Política Fiscal em Países Subdesenvolvidos. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 3, p. 21-99, n. dez. 1955.

KOLLNER, T.; SCHELSKE, O.; SEIDL, I. Integrating biodiversity into intergovernmental fiscal transfers based on cantonal benchmarking: a Swiss case study. Basic and Applied Ecology, v. 3, n. 4, p. 381-391, 2002.

LESAGE, J.; PACE, R. K. Introduction to spatial econometrics. New York: Champain & Hall/CRC, 2009.

LIMA, C. Clube de Roma debate futuro do planeta há quatro décadas. Portal PUC-RJ digital. 16 de março de 2012. . Acesso em: 27 set. 2012.

LOBO, Rogério Leite. Os atos de tributação interventivos no domínio econômico. Revista de Direito Administrativo, v. 232, n. 1, p. 29-52, Abr/Jun. 2003.

MARCONATO, Márcio. Análise Espacial da Pobreza nos Municípios Brasileiros no Ano de 2010. 2015. Dissertação (Mestrado em Economia Regional) - Centro de Estudos Sociais aplicados da Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

MAY, P.H.; VEIGA NETO, F.; DENARDIN, V.; LOUREIRO, W. Using fiscal instruments to encourage conservation: municipal responses to the ‘ecological’ value-added tax in Paraná and Minas Gerais, Brazil. In: Pagiola, S., Bishop, J., Landell-Mills, N. (Eds.), Selling Forest Environmental Services: Market-based Mechanisms for Conservation and Development. Earthscan: London. 2002, p. 173-199.

NABAIS, J. C. Por uma liberdade com responsabilidade: Estudos sobre direitos e deveres fundamentais. Coimbra: Coimbra editora, 2007.

PASSOS, P. N. C. A Conferência de Estocolmo como Ponto de Partida para a Proteção Internacional do Meio Ambiente. Revista Direitos Fundamentais & Democracia, v. 6, n. 6, p. 1-25, 2009.

PEROBELLI, F. S.; ALMEIDA, E. S.; ALVIM, M. I. S. A.; FERREIRA, P. G. C. Produtividade do setor agrícola brasileiro (1991-2003): uma análise espacial. Nova economia, v. 17, n. 1, p. 65-91, 2007.

PIMENTEL, E. A.; HADDAD, E. A. Análise da distribuição espacial da renda no Estado de Minas Gerais: uma abordagem setorial. 2004. . Acesso em: 11 out. 2004.

RING, I. Ecological public functions and fiscal equalisation at the local level in Germany. Ecological Economics, v. 42, n. 3, p. 415-427, 2002.

RING, I. Integrating local ecological services into intergovernmental fiscal transfers: the case of the ecological ICMS in Brazil. Science Direct Land Use Policy, v. 25, n. 4, p. 485-497, 2008.

SAUQUET, A.; MARCHAND, S.; FÉRES, J. Protected areas, local governments, and strategic interactions: the case of the ICMS-Ecológico in the Brazilian state of Paraná. Ecological Economics, v. 107, n. 1, p. 249-258, 2014.

SCAFF, F. F.; TUPIASSU, L. V. C. Tributação e políticas públicas: O ICMS ecológico. Hiléia - Revista de Direito Ambiental da Amazônia, v. 2, n. 2, 2004.

SCAFF, F. F.; TUPIASSU, L. V. C. Tributação e políticas públicas: o ICMS ecológico. In: TORRES, H. T. (Org.) Direito tributário ambiental. São Paulo: Malheiros, 2005.

SCHOUERI, L. E. Normas tributárias indutoras e intervenção econômica. Rio de Janeiro: Forense, 2005.

THE NATURE CONSERVANCY. ICMS Ecológico. . Acesso em: 29ago.2005.

TORRES, R. L. A ideia de liberdade no Estado patrimonial e no Estado fiscal, Rio de Janeiro: Renovar, 1991.

VEIGA NETO, F. C. Análise de incentivos econômicos nas políticas públicas para o meio ambiente – O caso do ICMS Ecológico em Minas Gerais. 2000. 161 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.