Circos Brasileiros de Lona, um Campo em Constante Movimento e Transformação Simbólica Outros Idiomas

ID:
53985
Resumo:
O objetivo deste artigo é analisar o universo circense, ou seja, os circos e aqueles que estão envolvidos em suas atividades cotidianas de criação, manutenção e desenvolvimento da organização circense tendo como lente a teoria de campos de Bourdieu. Empiricamente buscamos construir um corpus qualitativo e diversificado, tendo como base 28 circos e 116 entrevistas e conversas gravadas, artigos de jornais, acompanhando circos, assistindo espetáculos, etc. Particularmente as entrevistas semi estruturadas e construídas pela técnica “bola de neve”. Buscando fugir aos estereótipos e dar voz à aqueles que fazem as organizações, desdobramos essa pesquisa, em que as várias vozes dos agentes são ouvidas, nos esclarecendo como sujeitos circenses e organizações – os circos - se entrelaçam e se constroem. Não identificamos uma dominação clara de um agente em relação ao outro no campo. Exceto pelas dificuldades legais apontadas pelos circos de menor porte, as relações de poder são muito mais visíveis quando se trata da permanência no campo. Estando os agentes mais distantes do acesso aos recursos simbólicos e de poder, mais estão eles sujeitos ao desaparecimento ou a uma continuidade precária.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
NATT, E. D. M.; AGUIAR, A. R. C.; CARRIERI, A. P. Brazilian Canvas Circuses: A Field in Constant Motion and Symbolic Transformation . Revista de Administração da UFSM, v. 12, n. 2, p. 0-0, 2019.
Citação APA:
Natt, E. D. M., Aguiar, A. R. C., & Carrieri, A. P. (2019). Brazilian Canvas Circuses: A Field in Constant Motion and Symbolic Transformation . Revista de Administração da UFSM, 12(2), 0-0.
DOI:
10.5902/19834659 18179
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/53985/circos-brasileiros-de-lona--um-campo-em-constante-movimento-e-transformacao-simbolica/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
LIMA, O.; AGUIAR, A. R. C.; CARRIERI, A. P. . Usando o sensemaking e conhecendo a gestão de Circos. Espacios (Caracas), v. 37, p. 1-18, 2016.

AGUIAR, A. R. C. ; CARRIERI, A. P.; SOUZA, E. M. The Wonderful, Magnanimous, Spectacular and Possible World of Traveling Circuses in Brazil. Brazilian Administration Review, v. 13, p. 1-19, 2016.

AGUIAR, A. R. C.; CARRIERI, A. P. “Water bag” and “blood saWdust” in the discourses of circus subjects. Organizações & Sociedade, v. 23, n. 77, p. 247-262, 2016.

ALTMAYER, G. M. “O Drama do Circo-Teatro em Sorocaba”: O Encontro de Memes ou o Meme do Encontro? Teatro/Arte – Educação, UNISO , 2008. . 2008.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A Construção Social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis: Editora Vozes, 2005.

BOLOGNESI, M. F. Circos e palhaços brasileiros. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

BOLOGNESI, M. F. Palhaços. São Paulo: Unesp, 2003.

BOURDIEU, P. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Edusp, 2008.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOURDIEU, P. A produção da crença. 3. ed. Porto Alegre: Zouk, 2008.

BOURDIEU, P. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense, 2009.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 9. ed. Campinas: Papirus, 2008.

CARRIERI, A. P.; SILVA, A. R. L.; PIMENTEL, T. D. As representações sociais da temática ambiental em uma empresa de telefonia móvel. Revista Alcance, v. 13, n. 2, p. 287-296, 2006.

COSTA, M. M. F. O Velho e o Novo Circo: Um Estudo de Sobrevivência Organizacional pela Preservação de Valores Institucionais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas – Administração Pública. Dissertação de Mestrado, 2000.

DUARTE, R. H. Noites Circenses: Espetáculos de circo e teatro em Minas Gerais no século XIX. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

DUARTE, R. Pesquisa Qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo. Departamento de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2002.

FUNARTE. Sobre a instituição. In: Fundação Nacional de Artes. Acessado em10deabrilde2015.

GOODMAN, L. Snowball Sampling. Annals of Mathematical Statistics, 32, 148-170, 1961.

GRANT, D; OSWICK, C. Introduction: getting the measure of metaphors. In: GRANT, D.; OSWICK, C. (Eds.). Metaphor and Organizations. London: Sage, 1996.

HOLANDA, A. Questões sobre pesquisa qualitativa e pesquisa fenomenológica. Análise psicológica, v. 24, n. 3, p. 363-372, 2012.

MAGNANI, J. G. C. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo, Ed Hucitec, 1998.

MARTINS, B. C. L.; LOPES, M. C.; EMMENDOERFER, M. L. Organizações circenses no contexto da economia criativa: um estudo exploratório em Minas Gerais-Brasil. REDIGE v. 2, n. 02, ago. 2011

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa Social: teoria método e criatividade. 3 ed. São Paulo: Petrópolis, 1994.

OLIVEIRA, J. S.; CAVEDON, N. R. As tramas políticas emocionais na gênese de processos organizativos em uma organização circense. Organizações & Sociedade, v. 22, n. 72, p. 61-78, 2015.

OLIVEIRA, J. S.; CAVEDON, N. R. Micropolíticas das práticas cotidianas: etnografando uma organização circense. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 2, p. 156-168, 2013.

OLIVEIRA, J. S.; CAVEDON, N. R. Os Circos Contemporâneos como Heterotopias Organizacionais: Uma Etnografia Multissituada no Contexto Brasil-Canadá . Revista de Administração Contemporânea, v. 21, n. 2, p. 142-162, 2017.

OLIVEIRA, J. S.; MELLO, C. M. As Lógicas Institucionais no Campo Organizacional Circo Contemporâneo: Uma Etnografia Multissituada no Contexto Brasil-Canadá . Revista Alcance, v. 23, n. 4, p. 475-494, 2016.

OLIVEIRA, R. N. M; FERNANDES, F. C. O financiamento estatal à cultura no Brasil: a Lei Rouanet, suas mazelas e as propostas do projeto de lei 6.722/10. Revista Direito e Liberdade, v. 18, n. 2, p. 85-112, 2016.

PARKER, M. Organizing the circus: the engineering of miracles. Organizations Studies, v. 32, n. 4, p. 555-569, 2011

PIMENTA, D. Antenor Pimenta: circo e poesia: a vida do autor de... e o céu uniu dois corações. São Paulo : Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Cultura - Fundação Padre Anchieta, 2005.

QUARESMA JÚNIOR, E. A; SILVA, E. R.; CARRIERI, A. P. As alianças estratégicas no picadeiro da arte/negócio circense. Revista de Administração Mackenzie, v. 15, n. 3, p. 101, 2014.

REY, F. L. G. Pesquisa qualitativa e subjetividade: Os processos de construção da informação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

RUIZ, Roberto. Hoje tem espetáculo?As origens do circo no Brasil. Rio de Janeiro: Inacen, 1987.

SILVA, E. As múltiplas linguagens na teatralidade circense. Benjamin de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil. São Paulo: Altana, 2007.

SILVA, E. O Circo: Sua Arte, Seus Saberes: O Circo no Brasil no Final do Século XIX e Meados do Século XX. Campinas: Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp. Dissertação de Mestrado, 1996.

SILVA, E.; ABREU, L A. Respeitável Público... O circo em Cena. Rio de Janeiro: Funarte, 2009.

SOUZA FILHO, O. V.; SILVEIRA, R. Z.; CARRIERI, A. P.; TEIXEIRA, J. C. “Um arranjo produtivo em xeque”: campo, habitus e capital simbólico em um Arranjo Produtivo Local moveleiro em Minas Gerais. Revista de Administração, v. 48, n. 4, p. 671-687, 2013.

SOUZA, E. M. (Org.). Metodologias e analíticas qualitativas em pesquisa organizacional: uma abordagem teórico-conceitual. Vitória: Edufes, 2014. Livro Digital.

SOUZA, E. M.; COSTA, A. S. M.; PEREIRA, S. J. N. A Organização (in)corporada: ontologia organizacional, poder e corpo em evidência. Cadernos EBAPE.BR, v. 13, n. 4, p. 727-742, 2015.

THIRY-CHERQUES, H. R. Métodos estruturalistas: pesquisa em ciências de gestão. São Paulo: Atlas, 2008.

THIRY-CHERQUES, H. R. Pierre Bourdieu: the theory in practice. Revista de Administração Pública, v. 40, n. 1, p. 27-53, 2006.

TORRES, A. O Circo no Brasil. Rio de Janeiro: Funarte; São Paulo: Atração, 1998.

WOORTMANN, E. F. Herdeiros, parentes e compadres. São Paulo-Brasília: Hucitec/Edunb, 1995.