Estudo Comparativo sobre a Divulgação de Intangíveis e Capital Intelectual em Instituições de Ensino Superior no Brasil e na Áustria Outros Idiomas

ID:
54117
Resumo:
A presente investigação analisou, sob o aspecto de divulgação de Intangíveis e do Capital Intelectual, os modelos de avaliação de instituições de ensino superior adotados no Brasil e na Áustria, visando explorar e evidenciar similaridades e diferenças entre os modelos, bem como contribuir para o avanço de estudos sobre da criação de valor para os stakeholders. O estudo foi desenvolvido sob a forma de pesquisa comparativa, em que foi empreendida a análise documental dos instrumentos de avaliação institucional e de cursos adotados nos dois países. Entre os principais pontos em comum, foram identificados: a obrigatoriedade por lei; o incentivo à produção científica, cultural, artística e tecnológica; a análise de experiência profissional e de magistério superior do docente; e ações de responsabilidade social. Entre as principais diferenças: a avaliação da titulação dos professores; o incentivo à realização de cursos e pesquisas em outros países; e o nível de especificidade nos indicadores relacionados às ações de inclusão social e diversidade. Achados e cruzamentos apontaram que as IES austríacas retratam com mais intensidade itens de capital humano e de capital relacional enquanto no Brasil, o foco das IES recai sobre itens de capital estrutural, com a divulgação de seus recursos e modos de gestão.
Citação ABNT:
REZENDE, J. F. C.; LOTT, A. C. O.; QUINTANILHA, G. Estudo Comparativo sobre a Divulgação de Intangíveis e Capital Intelectual em Instituições de Ensino Superior no Brasil e na Áustria . Administração: Ensino e Pesquisa, v. 20, n. 2, p. 10-10, 2019.
Citação APA:
Rezende, J. F. C., Lott, A. C. O., & Quintanilha, G. (2019). Estudo Comparativo sobre a Divulgação de Intangíveis e Capital Intelectual em Instituições de Ensino Superior no Brasil e na Áustria . Administração: Ensino e Pesquisa, 20(2), 10-10.
DOI:
10.13058/raep.2019.v20n2.1201
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54117/estudo-comparativo-sobre-a-divulgacao-de-intangiveis-e-capital-intelectual-em-instituicoes-de-ensino-superior-no-brasil-e-na-austria-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABHAYAWANSA, S.; ABEYSEKERA, I. Intellectual capital disclosure from sell-side analyst perspective. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 2, p. 294-306, 2009.

AGUIAR, D. R. M. A. O relato do capital intelectual nos relatórios e contas das universidades públicas portuguesas: os casos da Universidade do Minho, Universidade do Porto e Universidade de Aveiro. Dissertação (Mestrado em Contabilidade) Escola de Economia e Gestão, Universidade do Minho. Cidade do Minho. 2013.

ANSARI, S. et al. Intellectual capital as the facilitating infrastructure of knowledge creating and sharing. International Journal of Economics, Commerce and Management, v. 4, n. 6, p. 100-117, 2016.

BAILOA, S.; DA SILVA, P. R. O Capital Intelectual na Administraçao Pública. Uma análise a partir das páginas de Inernet das Autarquias Portuguesas. In: Conocimiento, innovación y emprendedores: camino al futuro. Universidad de La Rioja, p. 116, 2007.

BLAU, P. M. O estudo comparativo das organizações. In: CAMPOS, E. (Org.). Sociologia da Burocracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

BONTIS, N. Intellectual capital: an exploratory study that develops measures and models. Management Decision, v. 36, n. 2, p. 63-76. 1998.

BRATIANU, C.; PINZARU, F. Challenges of the university capital in the knowledge economy. Management Dynamics in the Knowledge Economy, v. 3, n. 4, p. 609-627. 2015.

CAÑIBANO, L.; SANCHÉZ, M. P. Intangibles in universities: current challenges for measuring and reporting. Journal of Human Resource Costing & Accounting, v. 13, n. 2, p. 93-104. 2009.

CAVALCANTE, R. B. et al. Análise de conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Informação & Sociedade: Estudos, v. 24, n. 1, 2014.

CLEARY, P. Exploring the relationship between management accounting and structural capital in a knowledge-intensive sector. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 1, p. 37-52. 2009.

CÓRCOLES, Y. Intellectual capital management and reporting in European higher education institutions. Intangible Capital, v. 9, n. 1, p. 01-19. 2013.

CÓRCOLES, Y.; PEÑALVER, J.; PONCE, A. Intellectual capital in Spanish public universities: stakeholders information needs. Journal of Intellectual Capital, v. 12, n. 3, p. 356376. 2011.

DUMAY, J. A critical reflection on the future of intellectual capital: from reporting to disclosure. Journal of Intellectual Capital, v. 17, n. 1, p. 168-184, 2016.

DURST, S.; GUELDENBERG, S. Marketing the university as an attractive employer through intellectual capital reports: a longitudinal study in Austrian Universities. 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2016.

EDVINSSON, L.; MALONE, M. S. Capital intelectual: descobrindo o valor real de sua empresa pela identificação de seus valores internos. São Paulo: Makron Books, 1998.

ELENA-PEREZ, S. et al. Ready for the future? Universities’ capabilities to strategically manage their intellectual capital. Foresight, v. 13, n. 2, p. 31-48, 2011.

FARIAS MOURA, S. et al. O Valor do Intangível em Instituições de Ensino Superior: um enfoque no capital humano. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 7, n. 18, 2005.

FEDERAL MINISTRY OF EDUCATION, SCIENCE AND CULTURE OF AUSTRIA. Federal Act on the Organization of Universities and their Studies Universities Act 2002. Federal Law Gazette In. 120/2002. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2016.

FEDERAL MINISTRY OF EDUCATION, SCIENCE AND CULTURE OF AUSTRIA. Verordnung Über die Wissensbilanz – WBV. BGB1, II n. 63/2006. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2016.

GUERRERO, Y. M. N.; MONROY, C. R. Gestão de recursos intangíveis em instituições de ensino superior. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 55, n. 1, p. 65-77, 2015.

GUTHRIE, J.; PETTY, R.; JOHANSON, U. Sunrise in the knowledge economy: managing, measuring and reporting intellectual capital. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 14, n. 4, p. 365-384. 2001.

HEYDEBRAND, W. V. Hospital bureaucracy: a comparative study of organizations. New York: Dunellen, 1973.

HOSS, O. Modelo de avaliação de ativos intangíveis para instituições de ensino superior privado. Tese de Doutorado (Doutorado em Engenharia da Produção) Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. 2003.

INEP. Evolução da Educação Superior Graduação 1980/1998. Brasília, fev. 2016. Disponível em: < http://download.inep.gov.br/download/censo/1998/superior/evolucao_1980-1998.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2016.

INEP. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância. Brasília, abr. 2016b. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2016.

INEP. Instrumento de avaliação institucional externa. Brasília, ago. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2016.

INEP. Manual do estudante ENADE 2015. Brasília, jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2016.

INEP. Sinopses Estatísticas da Educação Superior – 2014. Brasília, mai. 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2016.

INEP. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES. Brasília, fev. 2016a. Disponível em: < http://inep.gov.br/sinaes>. Acesso em: 15 mai. 2016.

INKINEN, H. Review of empirical research on intellectual capital and firm performance. Journal of Intellectual Capital, v. 16, n. 3, p. 518-565, 2015.

KAUFMANN, L.; SCHNEIDER, Y. Intangibles: a synthesis of current research. Journal of Intellectual Capital, v. 5, n. 3, p. 366-88. 2004.

KIANTO, A. et al. The interaction of intellectual capital assets and knowledge management practices in organizational value creation. Journal of Intellectual Capital, v. 15, n. 3, p. 362-375, 2014.

LEITNER, K. Intellectual capital reporting for universities: conceptual background and application within the reorganization of Austrian universities… 2007. Trabalho apresentado na conferência “The transparent enterprise. The value of intangibles”, Madrid, 2007. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2016.

LEV, B. Remarks on the measurement, valuation, and reporting of Intangible Assets. NYU working paper no. Baruch Lev-08, New York, 2003. Disponível em:. Acesso em: 16 jul. 2018.

LIMA, E. P.; PEREIRA, S. L.; RODRIGUES, L S.; SOUZA, A. C.; MIGUEL, M. A. B. A Empresa do Conhecimento e suas dimensões organizacionais. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2016.

LISBOA, V. Número de estudantes no ensino superior aumenta. Agência brasil. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2017.

MARIZ, R. Brasil tem alto gasto público em educação, mas investimento por aluno está entre os piores. O globo. 2016. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2017.

MORENO, T. C. B. et al. Capital Intelectual e o Sistema de Controles Gerenciais das Instituições Públicas de Ensino Superior: Um Ensaio Teórico sob a Perspectiva da Teoria da Contingência. Revista Ibero Americana de Estratégia, v. 15, n. 3, p. 39-52, 2016.

NAZARI, J. A.; HERREMANS, I. M. Extended VAIC model: measuring intellectual capital components. Journal of Intellectual Capital, v. 8, n. 4, p. 595-609. 2007.

OECD. Country Note Education at a Glance 2014. Disponível em: . Acesso em: 31 mai. 2017.

OECD. OECD Better Life Index. 2017. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2017.

PACHECO, V. Mensuração e divulgação do capital intelectual nas demonstrações contábeis: teoria e empiria. Tese de Doutorado. (Doutorado em Engenharia de Produção) Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. 2005.

PEROBA, Tiago Luiz Cabral. Modelo de avaliação de capital intelectual para os cursos de mestrado profissional em Administração: uma contribuição para a gestão das instituições de ensino superior. Tese de Doutorado (Doutorado em Administração) – FGV. Rio de Janeiro. 2013.

PIERCHER, R.; PAUSITS, A. Information and knowledge management at higher education institutions. Management Information Systems, v. 6, n. 2, p. 08-16. 2011.

PISA 2015 Results in Focus. 2015. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2017.

PORTER, M. E. A vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro: Campus, 1993.

REINA, D.; ENSSLIN, S. R. Mapeamento da produção científica em capital intelectual: um estudo epistemológico a partir das perspectivas propostas por Marr (2005). BASE Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 1, n. 8, p. 58-77, jan./mar. 2011.

REZENDE, J. F. C.; SILVA, C. M. M.; FERREIRA, D.; CAVALCANTI NETO, S.; ANDRADE, R. O. B. The Intellectual Capital and the value creation on the Brazilian higher education institutions: perspectives of the coordinators of undergraduate Business Administration Courses. International Journal of Business Management and Economic Research (IJBMER), v. 8, p. 849-861, 2017.

REZENDE, J. F. C.; SILVA, C. M. M.; GOMES, B. C. P. A.; PINHEIRO, A. M. Drivers of value creation in the Brazilians private higher education institutions: the deans? Perspectives. International Journal of Business Administration, v. 8, p. 34-49, 2016.

RODRIGUES, S. B.; CARRIERI, A. P. A tradição anglo-saxônica nos estudos organizacionais brasileiros. Revista de Administração Contemporânea, v. 5, n. spe, p. 81-102, 2001.

SANCHÉZ, M. P.; ELENA, S.; CASTRILLO, R. Intellectual capital dynamics in universities: a reporting model. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 2, p. 307-324. 2009.

SECUNDO, G. et al. An Intellectual Capital framework to measure universities’ third mission activities. Technological Forecasting and Social Change, v. 123, p. 229-239, 2017.

SHERMAN, A. J. Harvesting Intangible Assets: Uncover Hidden Revenue in Your Company’s Intellectual Property. Amazom Books, 2012.

SILVA, C. M. M.; REZENDE, J. F. C. Geração de valor no ensino superior privado: uma análise do plano de desenvolvimento institucional (PDI). Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 15, n. 3, p. 66-90, 2017a.

SILVA, C. M. M.; REZENDE, J. F. C. Os direcionadores de valor nas universidades: um estudo comparativo entre Wissensbilanz (Áustria) e o Plano de Desenvolvimento Institucional (Brasil). Revista FSA (Faculdade Santo Agostinho), v. 14, p. 67-88, 2017b.

SINGH, I.; VAN DER ZAHN, J-L.W. M. Intellectual capital prospectus disclosure and post-issue stock performance. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 3, p. 425-450, 2009.

SOUZA, B. Só 16% dos trabalhadores têm ensino superior completo. Exame. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2017.

STEWART, T. A. Intellectual capital: The new wealth of organizations. Performance Improvement, p. 1-4, sept. 1998.

TAHIR INAYATULLAH, S. et al. Alternative scenarios for BRAC University. On the Horizon, v. 21, n. 4, p. 275-285, 2013.

TAYLES, M; PIKE, R. H.; SOFIAN, S. Intellectual capital, management accounting practices and corporate performance. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 20, n. 4, p. 522-548, 2007.

TEECE, D. J. Capturing value from knowledge assets: The new economy, markets for know-how, and intangible assets. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 55-79, 1998.

TEIXEIRA Jr., F. Análise dos métodos de pesquisa utilizados em artigos de administração da informação: levantamento dos artigos publicados nos ENANPADs de 1999 a 2002... 2002. Trabalho apresentado no 26. Encontro Anual da ANPAD, Salvador, 2002.

TEODOROSKI, Rita de Cassia Clark et al. Contribuição do Capital Intelectual no Compartilhamento do conhecimento em uma rede de ensino superior privada. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 3, n. 2, p. 105-113, 2013.

THUM-THYSEN, A. et al. Unlocking investment in intangible assets in Europe. Quarterly Report on the Euro Area (QREA), v. 16, n. 1, p. 23-35, 2017.

TILLY, C. Big structures, large processes, huge comparisons. New York: Russel Sage Foundation., 1984.

VALLEJO-ALONSO, B.; RODRIGUES-CASTELLANOS, A.; ARREGUI-AYASTUY, G. Identifying, measuring, and valuing knowledge-based intangible assets. New perspectives, 2011.