Café nas Eleições: O Amargo e o Doce na Gestão Estratégica de uma Cafeteria Outros Idiomas

ID:
54123
Resumo:
Esse caso verossímil à realidade política do Brasil na segunda década do século XXI aborda o impasse de um dos três sócios de uma cafeteria no Rio de Janeiro em relação a conflitos de outros dois sócios e seus posicionamentos políticos divergentes na cafeteria, influenciando o clima organizacional entre eles e o funcionário. A sociedade composta por Steven, João e Guilherme, iniciou-se com o aporte de capital de Steven, casado com Rosa - que é irmã e prima dos outros dois sócios. O conflito ideológico entre João e Guilherme se inflama e clientes também entram na discussão política na Café com Sonhos e se estende para as redes sociais virtuais por meio da hashtag #cafecomsonhosleme. Nas plataformas digitais foram identificados alguns problemas relacionados à imagem e reputação da cafeteria, bem como reclamações sobre a diminuição da qualidade dos produtos. O fim da sociedade não é cogitado em função do alto investimento financeiro de Steven, e pelo fato de João e Guilherme terem na cafeteria suas rendas fixas mensais.
Citação ABNT:
CRUZ, B. P. A.; MONTEIRO, R. A. S. Café nas Eleições: O Amargo e o Doce na Gestão Estratégica de uma Cafeteria. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 20, n. 2, p. 426-449, 2019.
Citação APA:
Cruz, B. P. A., & Monteiro, R. A. S. (2019). Café nas Eleições: O Amargo e o Doce na Gestão Estratégica de uma Cafeteria. Administração: Ensino e Pesquisa, 20(2), 426-449.
DOI:
10.13058/raep.2019.v20n2.1293
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54123/cafe-nas-eleicoes--o-amargo-e-o-doce-na-gestao-estrategica-de-uma-cafeteria/i/pt-br
Tipo de documento:
Caso de Ensino
Idioma:
Português
Referências:
Aborda, de maneira tangencial, como política e religião podem influenciar no boicote de consumidores a partir de políticos conservadores ou progressistas.

Aborda, entre outros conceitos, como a reputação e a imagem podem possibilitar vantagem competitiva.

Apresenta a diferença entre Identidade, Imagem e Reputação na Comunicação Empresarial, bem como sistematiza informações sobre Gestão de Crise em organizações privadas.

Apresenta o conceito de Responsabilidade Social Corporativa, sem que o foco seja em ações filantrópicas ou assistencialistas.

ARGENTI, P. A. Comunicação empresarial. Rio de Janeiro: Campus Elsevier, 2005.

BARBERO, E. R.; MARCHIANO, M. Stakeholders or Shareholders? Board members’ personal values and corporate identity. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 18, n. 61, 348-369 (jan./mar.). 2016. DOI: https://doi. org/10.7819/rbgn.v18i61.3020

CONCETTA, M.; COUTO, C.. Sou barista. São Paulo: Editora SENAC, 2013. Apresenta aspectos gerais relacionados às características do café a ser servido para o consumidor.

CRANE, A., MCWILLIANS, A., MATTEN, D., MOON, J., SIEGEL, D. S. The Oxford handbook of corporate social responsibility. New York: The Oxford University Press, 2008.

CRUZ, B. de P A. Curtir, Comentar, Compartilhar: Redes Sociais e TV no Brasil. Curitiba: Editora CRV, 2016.

CRUZ, B. de P. A. Social Boycott. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 19, n. 63, 5-29 (jan./mar.). 2017. A parte teórica do trabalho contribui para que se entendam os tipos de boicote listados na literatura em comportamento do consumidor.

CRUZ, B. de P. A.; ROSS, S. D. The Buycott intention analyzed from sexual orientation and religion: The O Boticario’s Brazilian case. Almanaque Multidisciplinar de Pesquisa, v. 1, n. 1, Artigo Especial. 2016. Disponível em: http:// publicacoes.unigranrio.edu.br/index. php/amp/article/view/4004. Acesso em 30 Ago. 2018.

Discute a inserção de pessoas transgêneras no mercado de trabalho e as dificuldades de inserção dessas pessoas nos postos de trabalho formal.

Discute o fenômeno das redes sociais no Brasil à luz da influência da televisão, servindo como material para ajudar compreender questões políticas e sociais do consumidor no âmbito da indústria do entretenimento.

Discute o impacto da responsabilidade social corporativa na reputação de uma empresa.

DPASCHOAL, L. N.. Aroma de Café – Guia Prático para Apreciadores de Café. Ed.Fund. Educar Dpaschoal 2006. Discute os tipos de café especiais a partir do aroma e sabor, bem como algumas características específicas do café como a doçura, acidez e as notas cítricas, frutadas ou florais

FERREIRA, R. da S. A informação social no corpo travesti (Belém, Pará): uma análise sob a perspectiva de Erving Goffman. Ci. Inf., Brasília, v. 38, n. 2, p. 35-45, 2009. Disponível em: . Acesso em: 03 Set. 2018.

FRIEDMAN, M. Consumer boycotts: A conceptual framework and research agenda. Journal of Social Issues, v. 47, n. 1, 149-168, 1991. Discute de maneira o boicote do consumidor, sendo um dos primeiros trabalhos a propor uma agenda de pesquisa.

HETZE, K. Effects on the (CSR) Reputation: CSR Reporting Discussed in the Light of Signalling and Stakeholder Perception Theories. Corporate Reputation Review, v. 19, n. 3, p. 281-296, 2016. DOI: https://doi.org/10.1057/s41299-0160002-3

HÖRISCH, J.; FREEMAN, R. Edward; SCHALTEGGER, S. Applying Stakeholder Theory in Sustainability Management: Links, Similarities, Dissimilarities, and a Conceptual Framework. Organization and Enviroment, v. 27, n. 4, 2014. DOI: https://doi. org/10.1177/1086026614535786

Identifica que empresas que se orientam para os stakeholders apresentam em seus quadros de conselho consultivo conselheiros menos individualistas e mais orientados para os interesses dos atores envolvidos.

NASSIF, W.; ROSSI, G. B.; GARCIA, M. N.; BAZANINI, R. The Coffee Shop Influence on Coffee Consumption in the City of Sao Paulo. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 7, n. 19, 21-35, 2005. DOI: https://doi.org/10.7819/ rbgn.v7i19.47.

O livro discute toda a cadeia de suprimentos do café no Brasil. O capítulo aqui escolhido tem como objetivo apresentar os modos de consumo de café no país, discutindo questões relacionadas aos cafés especiais e suas principais características.

O texto apresenta resultados empíricos sobre atributos importantes para consumidores de café, tais como o sabor e aroma.

O texto compara a Teoria dos Stakeholders com Gestão Sustentável, apresentando que os desafios da sustentabilidade (que envolve a noção de RSC) dependem de mecanismos inter-relacionados como educação, regulação e sustentabilidade baseada no valor criado para os stakeholders.

REZENDE, J. C.; CHAGAS, S. J. R.; SILVA, V. A.; CARVALHO, G. R.; BOTELHO, C. E. Modos de consumo da bebida do café. In.: REIS, P. R.; CUNHA, R. L. da; CARVALHO, G. R. Café arábica: da pós colheita ao consumo. Vol. 2. Lavras: U.R.EPAMIG, 2011.

RODRIGUES, J.; MIYAHIRA, N. N.; NASCIMENTO, F.; MARINHO, B. de L. Por que Marcas Corporativas? A Percepção de Executivos Brasileiros sobre os motivos para adotar Corporate Branding. Revista Eletrônica de Administração, v. 23, Dec. 2017. DOI: http://dx.doi. org/10.1590/1413-2311.154.57163