Endividamento Público: Uma Proposta de Mensuração para Municípios Brasileiros a partir da Elaboração de um Constructo Outros Idiomas

ID:
54468
Resumo:
O objetivo deste trabalho consiste em propor um instrumento de mensuração do endividamento público para municípios brasileiros a partir da elaboração de um constructo. Dentro dos procedimentos adotados, define-se quanto aos objetivos como pesquisa descritiva, quantos aos procedimentos como pesquisa bibliográfica e quanto à abordagem do problema como quantitativa. O objeto de investigação foram os municípios brasileiros, sendo adotado o processo de amostragem não aleatória por julgamento para seleção da amostra. Desta forma, compõe a amostra deste estudo os municípios com população acima de 30 mil habitantes, totalizando 1.158 municípios. O constructo de endividamento público, elaborado com a utilização da técnica estatística da análise fatorial exploratória, apresentou 34 variáveis envolvidas e a proposição de três dimensões: capacidade financeira, relação Estado-sociedade e dependência de terceiros. Com estes fatores o modelo apresentou um poder explicativo de 78,87% da variância total observada. Este resultado demonstra a relevância de análise do endividamento público a partir do modelo de mensuração proposto, visto o alto grau de adequação do mesmo. Conclui-se, com a elaboração do constructo, que o endividamento público dos municípios brasileiros possui uma faceta multidimensional e, por este motivo, deve ser analisado a partir de um modelo que considere as correlações entre os indicadores sociais e de resultado, dentre outros que se mostram significativos na formação do constructo.
Citação ABNT:
COSTA, C. B.; RAUPP, F. M.; TEZZA, R. Endividamento Público: Uma Proposta de Mensuração para Municípios Brasileiros a partir da Elaboração de um Constructo. Contabilidade Vista & Revista, v. 30, n. 1, p. 123-153, 2019.
Citação APA:
Costa, C. B., Raupp, F. M., & Tezza, R. (2019). Endividamento Público: Uma Proposta de Mensuração para Municípios Brasileiros a partir da Elaboração de um Constructo. Contabilidade Vista & Revista, 30(1), 123-153.
DOI:
https://doi.org/10.22561/cvr.v30i1.4896
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54468/endividamento-publico--uma-proposta-de-mensuracao-para-municipios-brasileiros-a-partir-da-elaboracao-de-um-constructo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Andrade, M. M. de. (2002). Como preparar trabalhos para cursos de pósgraduação: noções práticas. São Paulo: Atlas.

Canadian Institute Off Chartered Accountants. (2006). Report of the auditor general: To the house of assembly. http://www.ag.gov.nl.ca/ag/finStatements/2006FinancialStatements/FS2006.htm

Cardoso, T. L. (2017). Avaliação de desempenho construtivista para apoiar a gestão da Universidade do Mindelo. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Corbari, E. C. (2008). Grandes municípios brasileiros: estrutura do endividamento e impactos da Lei de Responsabilidade Fiscal. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Costa, C. B., Raupp, F., & Tezza, R. (2017). Endividamento público: uma análise da dívida consolidada e dos resultados nominal e primário dos municípios catarinenses –Brasil. Anais do Congresso Iberoamericano de Contabilidade e Gestão e I Congresso Iberoamericano de Contabilidade e Finanças, 11.

Costa, C. E. E. L. da. (2009). Sustentabilidade da dívida pública. (2009). In: Silva, A. C.; Carvalho, L. O. de, & Medeiros, O. L. de. (Org.). Dívida pública: a experiência brasileira. Brasília: Estação Gráfica Ltda.

Costa, D. M. D.; Faroni, W.; Vieira, R. S. (2006). Avaliação econômico-financeira dos municípios mineiros à luz da Lei de Responsabilidade Fiscal no período de transição de governo. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Belo Horizonte, 13.

Fávero, L. P.; Belfiore, P.; Silva, F. L. da.; Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Gerigk, W.; Clemente, A. (2011). Influência da LRF sobre a gestão financeira: espaço de manobra dos municípios paranaenses extremamente pequenos. Revista de Administração Contemporânea, 15(3), 513-537.

Gerigk, W.; Clemente, A. (2012). Gestão financeira dos municípios brasileiros de porte médio. Revista Pretexto, 13(1), 34-59.

Hair Junior, J. F.; Babin, B.; Money, A.; Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Hair Junior, J. F.; Black, W. C.; Babin, B. J.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Hendrick, R. (2004). Assessing and measuring the fiscal heath of local governments: focus on Chicago Suburban Municipalities. Urban Affairs Review, 40(1), 78-114.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Características gerais dos moradores: 2012-2016. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/bibliotecacatalogo?view=detalhes&id=2101377

Kloha, P.; Weissert, C.; Kleine, R. (2005). Developing and testing a composite model to predict local fiscal distress. Public Administration Review, 65(3), 313-323.

Kohama, H. (2011). Balanços públicos: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

Linhares, F.; Penna, C.; Borges, G. (2013). Os efeitos da Lei de Responsabilidade Fiscal no endividamento dos municípios do Piauí. Revista de Administração Pública, 47(6), 1359-1373.

Macedo, J de J.; Corbari, E. C. (2009). Efeitos da Lei de Responsabilidade Fiscal no endividamento dos Municípios Brasileiros: uma análise de dados em painéis. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), 44-60.

Maher, C. S.; Deller, S. C. (2011). Measuring municipal fiscal condition: do objective measures of fiscal health relate to subjective measures? Journal of Public Budgeting, Accounting & Financial Management, 23(3), 427-450.

Maher; C. S.; Nollenberger, K. (2009). Revisiting Kenneth Brown’s “10-Point Test”, 25(5), 61-66.

Marconi, M de A.; Lakatos, E. M. (2009). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Matias, A. B.; Campello, C. A. G. B. (2000). Administração financeira municipal. São Paulo: Atlas.

Mello, G. R. de; Macedo, F de Q.; Tavares Filho, O, F.; Slomski, V. (2006). Identificando o endividamento dos estados brasileiros: uma proposta através de análise discriminante. Enfoque: Reflexão Contábil, 25(1), 05-14.

Mello, G. R. de; Slomski, V. (2008). O endividamento dos estados brasileiros: verificação da situação utilizando a análise multivariada de dados. Contabilidade Vista & Revista, 19(1), 11-35.

Mello, G. R.; Dalchiavon, E. C. (2012). A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e o impacto sobre o endividamento dos municípios potiguares. Contextus, 10(2), 4860.

Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Manual técnico de orçamento MTO. (2016). Brasília.

Nd. (1964). Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964. Estatui normas gerais de direito financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l4320.htm

Nd. (2000). Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dão outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LCP/Lcp101.htm

Nd. (2001). Resolução nº 40, de 20 de dezembro de 2001. http://legis.senado.leg.br/legislacao/DetalhaSigen.action?id=562458.

Nd. (2001). Resolução nº 43, de 20 de dezembro de 2001. de http://legis.senado.leg.br/legislacao/DetalhaSigen.action?id=582615.

Nd. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Fundação João Pinheiro. (2018). Base de dados. http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/download/base/

Nd. Constituição da República Federativa do Brasil. (1988). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Oliveira, D.; Souza, W. A. R. (2017). Lei de Responsabilidade Fiscal: uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento do Estado de Alagoas. Reuna, 22(4), 65-88.

Passos, A de P. F.; Castro, P de S. C. (2009). O orçamento e a dívida pública federal. In: Silva, A. C.; Carvalho, L. O. de; Medeiros, O. L. de. (Org.). Dívida pública: a experiência brasileira. Brasília: Estação Gráfica Ltda.

Piscitelli, R. B.; Timbó, M. Z. F. (2010). Contabilidade pública. São Paulo: Atlas.

Raupp, F. M.; Beuren, I. M. Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. (2004). In: Beuren, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rogers, P.; Sena, L. B. (2007). Análise agregada dos municípios mineiros de grande porte quanto à adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Revista Contemporânea de Contabilidade, 4(8), 99-119.

Santos, P. S. A. dos; Machado, D. G.; Scarpin, J. E. Gerenciamento de resultados no setor público: análise por meio das contas orçamentárias outras receitas e despesas correntes dos Municípios de Santa Catarina. Contabilidade Vista & Revista, 23(4), 15-43.

Secretaria do Tesouro Nacional.Secretaria do Orçamento Federal. Portaria STN∕ SOF nº 02, de 22 de dezembro de 2016. (2016). Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP). http://www.tesouro.fazenda.gov.br/-/mcasp

Silva Neto, A. F. da; Silva, J. D. G. da; Silva, M. C. da. (2017). Análise da eficiência da gestão pública das capitais brasileiras. Revista Reunir, 7(2), 85-100.

Silva, A. C.; Cabral, R.; Baghdassarian, W. (2009). Gerenciamento de riscos da dívida pública federal. (2009). In: Silva, A. C.; Carvalho, L. O. de; Medeiros, O. L. de. (Org.). Dívida pública: a experiência brasileira. Brasília: Estação Gráfica Ltda.

Silva, A. D de M.; Medeiros, O. L. (2009) Conceitos e estatísticas da dívida pública. In: Silva, A. C.; Carvalho, L. O. de.; Medeiros, O. L. de. (Org.). Dívida pública: a experiência brasileira. Brasília: Estação Gráfica Ltda.

Sodré, A C de A. (2002). Lei de Responsabilidade Fiscal: condição insuficiente para o ajuste fiscal. RAE eletrônica, 1(2), 02-15.

STN - Secretaria do Tesouro Nacional. (2018). Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Base de dados. https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/index.jsf

Suzart, J A da S. (2013). A hipótese do grau de endividamento e o setor público: uma análise do nível de endividamento dos governos estaduais. Contabilidade Vista & Revista, 23(4), 73-101. https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/1730

Vieira, L. M. (2009). Marcos regulatórios e auditoria governamental da dívida pública. In: Silva, A. C.; Carvalho, L. O. de; Medeiros, O. L. de (Org.). Dívida pública: a experiência brasileira. Brasília: Estação Gráfica Ltda.