Espiritualidade no Ambiente de Trabalho e sua Relação com a Percepção de Sucesso na Carreira do Indivíduo Outros Idiomas

ID:
54673
Resumo:
OBJETIVO: analisar a relação entre espiritualidade no trabalho e percepção de sucesso na carreira, assumindo sucesso em âmbito subjetivo e objetivo. MÉTODO: abordagem quantitativa, com ancoragem descritiva, utilizando pesquisa do tipo survey (questionários digitais). Foram adotadas duas escalas: Escala de Percepção de Sucesso na Carreira (EPSCR) e Inventário de Espiritualidade no Trabalho (IETR). ORIGINALIDADE/RELEVÂNCIA: a espiritualidade tem influência sobre o desempenho no ambiente de trabalho, englobando conceitos próprios de diversas culturas e aspectos universais como moral, ética, honestidade, justiça, confiança e incentivo. Ao se admitir que a vida profissional afeta as atividades pessoais, assume-se que a espiritualidade no ambiente das organizações indica que indivíduos são mais que corpos e mentes enquanto trabalham e buscam sucesso. RESULTADOS: a percepção de espiritualidade possibilita vínculo de bem-estar individual e social no ambiente de trabalho. O trabalho, desde que assumido como propósito de vida, impacta de forma positiva na Percepção de Sucesso na Carreira, que apresenta relação significativa com o construto senso de comunidade. Portanto, um trabalho que dê sentido ao indivíduo, tende a tornar positiva sua percepção de sucesso na carreira, ou seja, fazendo sua vida ter mais sentido. CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS/METODOLÓGICAS: reflexão sobre determinadas dimensões intrínsecas ao ser humano no ambiente de trabalho, levando em conta as relações sociais, sob a ótica da espiritualidade, incentivando ampliação do debate sobre a questão humanista nas organizações.
Citação ABNT:
TENFEN, M. F.; VENELLI-COSTA, L.; VIEIRA, A. M.; SANEMATSU, L. S. A. Espiritualidade no Ambiente de Trabalho e sua Relação com a Percepção de Sucesso na Carreira do Indivíduo . Contabilidade, Gestão e Governança, v. 22, n. 2, p. 153-170, 2019.
Citação APA:
Tenfen, M. F., Venelli-costa, L., Vieira, A. M., & Sanematsu, L. S. A. (2019). Espiritualidade no Ambiente de Trabalho e sua Relação com a Percepção de Sucesso na Carreira do Indivíduo . Contabilidade, Gestão e Governança, 22(2), 153-170.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2019v22n2a1
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54673/espiritualidade-no-ambiente-de-trabalho-e-sua-relacao-com-a-percepcao-de-sucesso-na-carreira-do-individuo-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Andrade, G. A. (2009). Carreira tradicional versus carreira proteana: um estudo comparativo sobre a satisfação com a profissão, carreira e emprego. Dissertação - Mestrado em Administração. Belo Horizonte: Faculdade de Ciências Empresariais (FUMEC).

Balassiano, M. (2006). Gestão de Carreiras: dilemas e perspectivas. São Paulo: Atlas.

Burack, E. H. (1999). Spirituality in the workplace. Journal of Organizational Change Management, 12(4), 280-292. Doi:10.1108/09534819910282126

Chanlat, J. (1995). Quais carreiras e para qual sociedade? Revista de Administração de Empresas, 36(1), 13-20. Doi: 10.1590/S0034-75901995000600008

Costa, A. R.; Vieira, A. M. (2014). Percepção de sucesso na carreira, bem-estar no trabalho e desempenho: um estudo com professores universitários. Qualit@s Revista Eletrônica, 16(2), 1-13. Doi: 10.18391/qualitas.v15i2.2061

Costa, Q. (2014). Reflexões sobre a espiritualidade nas organizações. X Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Anais... Rio de Janeiro.

Damião, W. S.; Vieira, A. M.; Spers, V. R. E.; Castro, D. S. P. (2017). Estratégias de conservação de valores organizacionais: a ação de líderes no desenvolvimento da espiritualidade em uma instituição confessional de ensino. Perspectivas Contemporâneas, n. 12, p. 67-87.

Duchon, D.; Plowman, D. A. (2005). Nurturing the spirit at work: impact on work unit performance. The Leardership Quarterly, 16, 807-833. Doi: 10.1016/j.leaqua.2005.07.008

Dutra, J. S. (2011). Administração de Carreiras. São Paulo: Atlas.

Fornell C. E.; Larcker, D. F. (1981). Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, 18(1), 39-50. Doi: 10.2307/3151312

Fry, L. (2003). Toward a theory of spiritual leadership. The Leadership Quarterly, 14(6), 693-727.

Garcia-Zammor, J. (2003). Workplace spirituality and organizational performance. Public Administrations Review, 63(3), 355-363. Doi: 10.1111/1540-6210.00295

Gibbons, P. (2000). Spirituality at work: definitions, measures, assumptions, and validity claims. In J. Biberman & M. Whitty (Eds), Work and Spirit: A Reader of New Spiritual Paradigms for Organizations. p. 111-131). Scranton (PA): University of Scranton Press.

Hair Jr., J. F.; Hult G. T. M.; Ringle, C.; Sarstedt, M. (2014). A primer on partial least squares structural equation modeling (PLS-SEM). Sage Publications.

Harrington, W. J.; Preziosi, R. C.; Gooden, D. J. (2001). Perceptions of workplace spirituality among professionals and executives. Employes Responsabilities & Rights Journal, 13(3), 155-163. Doi: 10.1023/A:1014966901725

Hurd, E. S. (2015). Thinking about Religion, Law, and Politics in Latin America. Revista de Estudios Sociales, n. 51, p. 25-35. Doi: 10.7440/res51.2015.02

Karakas, F. (2010). Spirituality and Performance in Organizations: a Literature Review. Journal Business Ethics, 94(1), 89-106. Doi: 10.1007/s10551-009-0251-5

Konz, G. N. P.; Ryan, F. X. (1999). Maintaining an organizational spirituality: no easy task. Journal of Organizational Change Management, 12(3), 200-210. Doi: 10.1108/09534819910273865

Lima, T. C. B.; Paiva, L. E. B.; Aderaldo Neto, E. O.; Aquino, J. P. C. (2015). Percepção de sucesso na carreira: semelhanças e diferenças entre profissionais do setor. Revista de Carreiras e Pessoas, 5(1), 18-33. Doi: 10.20503/recape.v5i1.23317

Lips-Wiersma, M. (2003). Making Conscious Choices in Doing Research on Workplace Spirituality. Journal of Organizational Change Management, 16(4), 406-425. Doi: 10.1108/09534810310484163

Maranhão, L. M. M. (2016). Espiritualidade no ambiente de trabalho: um estudo de caso no Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco. Dissertação - Mestrado em Administração. Recife: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Marques, A. L.; Pereira, L. Z.; Morais, K.; Andrade, D. F. (2011). Gestão de carreiras no setor público: estudo sobre o processo de inovação e a resistência dos servidores em um governo de estado. III Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho. Anais...; João Pessoa.

Marques, J. F. (2008). The spiritual performance from an organizational perspective the Starbucks way. Corporate Governance, 8(3), 248-257. Doi: 10.1108/14720700810879141

Rego, A.; Souto, S.; Cunha, M. P. (2007). Espiritualidade nas organizações, positividade e desempenho. Comportamento Organizacional e Gestão, 13(1), 7-36.

Rocha, W. S.; Sampaio, J. M. F. (2016). O direito e a religião como formas de controle social: socialização, intersecções e dilemas. Revista Brasileira de Sociologia do Direito, 3(3), 226-240.

Sanchez, G. (2013). PLS Path Modeling with R. Berkeley: Trowchez Editions.

Schein, E. H. (1996). Career anchor. San Diego: Pfeiffer.

Silva, L. B. (2016). Correlações entre sentido de vida e espiritualidade sob a ótica do discurso do sujeito coletivo ateu. Dissertação - Mestrado em Ciências das Religiões. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Silva, R. R.; Siqueira, D. (2009). Espiritualidade, religião e trabalho no contexto organizacional. Psicologia em Estudo, 14, 3, 557-564.

Silva, R. R.; Siqueira, D. (2009). Espiritualidade, religião e trabalho no contexto organizacional. Psicologia em Estudo, 14(3), 557-564. Doi: 10.1590/s1413-73722009000300017

Siqueira, M. M. M.; Martins, M. C. F.; Zanelli, J. C.; Oliveira, E. L. (2014). Espiritualidade no Trabalho. In M. M. M. Siqueira (org.), Novas Medidas do Comportamento Organizacional. p. 157-171). Porto Alegre: Artmed.

Srikanth, P. B.; Israel, D. (2012). Career commitment & career success: mediating role of career satisfaction. The Indian Journal of Industrial Relations, 48, 1, 137-149.

Tabachnick, B. G.; Fidell, L. S. (2001). Using multivariate statistics. Boston: Allyn and Bacon.

Tecchio, E. L.; Cunha, C. J. C. A.; Brand, J. L. (2018). Espiritualidade nas Organizações e Criação de Conhecimento. Revista Organizações em Contexto, 14, 27, 397-425. Doi: 10.15603/1982-8756/roc.v14n27p397-425

Tecchio, E. L.; Cunha, C. J. C. A.; Santos, F. B. (2016). Spirituality in Organizations? Organizações & Sociedade, 23(79), 590-608. Doi: 10.1590/1984-9230794

Vaillant, G. (2010). Fé: Evidências Científicas. Barueri: Manole.

Veloso, E. F. R.; Dutra, J. S.; Nakata, L. E. (2008). Percepção sobre carreiras inteligentes: Diferenças entre as gerações Y, X e baby boomers. Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. 32. 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD.

Venelli-Costa, L. (2010). A relação entre a percepção de sucesso na carreira e o comprometimento organizacional: um estudo entre professores de universidades privadas selecionadas da grande São Paulo. Tese – Doutorado em Administração. São Paulo: Universidade de São Paulo (USP).

Venelli-Costa, L.; Chiuzi, R. M. (2011). Diversidade nas organizações: considerações dos trabalhadores sobre uma excelente empresa para se trabalhar. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, 2(2), 337-359.

Venelli-Costa, L. V.; Vieira, A. M. (2013). Mãe, não quero ser engenheiro! Dilemas de carreira. Revista Economia & Gestão, 13(31), 182-200. Doi: 10.5752/P.1984-6606.2013v13n31p182-200