Influência das Conexões Políticas na Evidenciação de Informações Socioambientais Outros Idiomas

ID:
54681
Resumo:
OBJETIVO: Analisar a influência das conexões políticas na evidenciação de informações socioambientais. MÉTODO: A amostra da pesquisa é composta por 370 empresas listadas na B3. Para determinar o nível de evidenciação socioambiental foram analisados os relatórios de sustentabilidade de 2016, com base nas diretrizes do Relato Integrado (RI). Quanto às conexões políticas, foram analisadas, a existência de participação acionária de político ou do governo em empresas e as doações realizadas pelas companhias às campanhas eleitorais, ambas relativas ao ano de 2014. ORIGINALIDADE/RELEVÂNCIA: A discussão no meio acadêmico nacional sobre os reflexos causados pelas conexões estabelecidas entre empresas e governo, principalmente considerando a evidenciação socioambiental como vertente afetada, ainda é incipiente. RESULTADOS: Os resultados não permitem afirmar o real efeito das conexões políticas sobre o índice de divulgação socioambiental, mas há indícios de uma influência negativa nesse âmbito. As influências do tamanho, participação da empresa na carteira ISE e da atuação da empresa em segmento regulamentado, sobre o nível de evidenciação socioambiental, são explicadas pela Teoria da Legitimidade. CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS/METODOLÓGICAS: Percebe-se indícios de que no Brasil o efeito das conexões políticas sobre a evidenciação socioambiental é negativo, em decorrência do ambiente institucional fraco, com regras e regulamentos deficitários. Ressalta-se a importância da evidenciação dessas informações, dado o crescente impacto econômico, social e ambiental proporcionado pelas companhias na região em que atuam e à sociedade em geral.
Citação ABNT:
KOPROWSKI, S.; NARDIN, M.; RIZZI, D. I.; MAZZIONI, S.; MOURA, G. D. Influência das Conexões Políticas na Evidenciação de Informações Socioambientais. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 22, n. 2, p. 299-315, 2019.
Citação APA:
Koprowski, S., Nardin, M., Rizzi, D. I., Mazzioni, S., & Moura, G. D. (2019). Influência das Conexões Políticas na Evidenciação de Informações Socioambientais. Contabilidade, Gestão e Governança, 22(2), 299-315.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2019v22n2a9
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54681/influencia-das-conexoes-politicas-na-evidenciacao-de-informacoes-socioambientais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Araújo, J. G. N.; Lagióia, U. C. T.; Soeiro, T. M.; Santos, A. A. (2017). Um estudo sobre as evidenciações contábeis dos governos do Distrito Federal e dos estados brasileiros sob a ótica da teoria da legitimidade e dos custos políticos. Enfoque: Reflexão Contábil, 36(1), 85-104. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v36i1.31554

Beuren, I. M.; Hein, N.; Boff, M. L. (2011). Estratégias de legitimidade organizacional de Lindblom versus geração familiar gestora de empresas familiares. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestión, 9(17), 1-20. http://www.observatorio-iberoamericano.org

Bozzolan, S.; Ipino, E. (2007). Information asymmetries and IPO underpricing: the role of voluntary disclosure of forward-looking information in the prospectus. Social Science Research Network. DOI: https://dx.doi.org/10.2139/ssrn.999518

Brey, N. K.; Camilo, S. P. O.; Marcon, R.; Alberton, A. (2011). A estrutura de propriedade das corporações: conexões políticas sob a perspectiva da dependência de recursos-um ensaio teórico. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 10(3), 126-146. DOI: http://dx.doi.org/10.5585/riae.v10i3.1791

Camilo, S. P. O.; Marcon, R.; Bandeira-de-Mello, R. (2012). Conexões políticas das firmas e seus efeitos na performance: uma convergência entre as perspectivas da governança e da dependência de recursos–um ensaio teórico. Revista Alcance, 19(2). DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v19n2.p241-258

Camilo, S. P. O.; Marcon, R.; Bandeira-de-Mello, R. (2012). Conexões políticas e desempenho: um estudo das firmas listadas na BM&FBovespa. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 16(6), 806-826. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552012000600003

Cheng, Z.; Wang, F.; Keung, C.; Bai, Y. (2017). Will corporate political connection influence the environmental information disclosure level?Based on the panel data of Ashares from listed companies in shanghai stock market. Journal of Business Ethics, 143(1), 209-221. DOI: http://doi.org/10.1007/s10551-015-2776-0

Claessens, S.; Feijen, E.; Laeven, L. (2008). Political connections and preferential access to finance: The role of campaign contributions. Journal of financial economics, 88(3), 554-580. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jfineco.2006.11.003

Correa, J. C.; Gonçalves, M. N.; Sanches, S. L. R.; Moraes, R. O. (2017). Disclosure socioambiental de empresas norte-americanas listadas na NYSE: características e os possíveis fatores para a divulgação voluntária. Contabilidade Vista & Revista, 28(2), 53-77. https://revistas.face.ufmg.br

Czesnat, A. O.; Machado, D. D. P. N. (2012). Legitimação na evidenciação de informações socioambientais entre as empresas de telecomunicações listadas na Bovespa. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 9(3), 291-305. DOI: http://dx.doi.org/10.4013/base.2012.93.07

Degenhart, L.; Vogt, M.; Hein, N.; Rosa, F. S. (2016). Ranking setorial do grau de evidenciação ambiental das empresas brasileiras listadas no IBrX‐100. REGE-Revista de Gestão, 23(4), 326-337. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rege.2016.07.002

Dias Filho, J. M. (2007). Políticas de evidenciação contábil: um estudo do poder preditivo e explicativo da teoria da legitimidade. Anais do EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 31. http://www.anpad.org.br

Dicko, S.; Khemakhem, H.; Zogning, F. (2019). Political connections and voluntary disclosure: the case of Canadian listed companies. Journal of Management and Governance, 1-26. DOI: http://doi.org/10.1007/s10997-019-09471-3

Ding, R.; Li, J.; Wu, Z. (2018). Government affiliation, real earnings management, and firm performance: The case of privately held firms. Journal of Business Research, 83, 138-150. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jbusres.2017.10.011

Elkington, J. (2012). Sustentabilidade, canibais com garfo e faca. 1a ed.). São Paulo: M. Books do Brasil.

Faccio, M. (2006). Politically connected firms. American economic review, 96(1), 369-386. DOI: http://dx.doi.org/10.1257/000282806776157704

Fávero, L. P.; Belfiore, P.; Silva, F. L.; Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 1 ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Freitas, B. F.G.; Freire, F.S. (2017). Relato Integrado: Um estudo da aderência da estrutura conceitual proposta pelo IIRC no Relatório Socioambiental do Conselho Federal de Contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 12(1), 77-92. DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v12i1.13399

Frías-Aceituno, J. V.; Rodríguez-Ariza, L.; García-Sánchez, I. M. (2013). Is integrated reporting determined by a country's legal system?An exploratory study. Journal of cleaner production, 44(1), 45-55. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2012.12.006

Gaio, C. (2010). The relative importance of firm and country characteristics for earnings quality around the world. European accounting review, 19(4), 693-738. DOI: https://doi.org/10.1080/09638180903384643

Gu, H.; Ryan, C.; Bin, L.; Wei, G. (2013). Political connections, guanxi and adoption of CSR policies in the Chinese hotel industry: Is there a link? Tourism Management, 34, 231-235. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tourman.2012.01.017

Haider, Z.A.; Liu, M.; Wang, Y.; Zhang, Y. (2017). Government ownership, financial constraint, corruption, and corporate performance: International evidence. Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, n. 53, p. 76-93. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.intfin.2017.09.012

Huang, H.; Zhao, Z. (2016). The influence of political connection on corporate social responsibility-evidence from listed private companies in China. International Journal of Corporate Social Responsibility, 1(1), 1-19. DOI: http://doi.org/10.1186/s40991-016- 0007-3

Júnior, J.H.; Olivieri Neto, R.O.; Silva, C. A. S. (2014). Relatório Integrado: integração entre as informações financeiras, de sustentabilidade e de governança em relatórios corporativos. 1 ed. São Paulo: Atlas.

Lanis, R.; Richardson, G. (2012). Corporate social responsibility and tax aggressiveness: a test of legitimacy theory. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 26(1), 75-100. DOI: https://doi.org/10.1108/09513571311285621

Lazzarini, S. G. (2011). Capitalismo de laços: os donos do Brasil e suas conexões. 1 ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Leite Filho, G.A.; Prates, L.A.; Guimarães, T. N. (2009). Análise os níveis de evidenciação dos relatórios de sustentabilidade das empresas brasileiras A+ do Global Reporting Initiative (GRI) no Ano de 2007. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(7), 43-59. http://www.revistas.usp.br/rco/article/download/34749/37487/0

Liedong, T.A.; Rajwani, T. (2018). The impact of managerial political ties on corporate governance and debt financing: Evidence from Ghana. Long Range Planning, 51(5), 666- 679. DOI: https://doi.org/10.1016/j.lrp.2017.06.006

Lin, K. J.; Tan, J.; Zhao, L.; Karim, K. (2015). In the name of charity: Political connections and strategic corporate social responsibility in a transition economy. Journal of Corporate Finance, 32, 327-346. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jcorpfin.2014.10.007

Lozano, R.; Huisingh, D. (2011). Inter-linking issues and dimensions in sustainability reporting. Journal of Cleaner Production, 19(2), 99-107. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jclepro.2010.01.004

Macedo, J. M.A.; Silva, C. A. T.; Machado, M. A. V. (2015). Conexões políticas e as empresas brasileiras: um estudo experimental sobre as decisões de investimento no mercado de capitais. Advances in Scientific and Applied Accounting, 8(2), 157-178. DOI: http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2015080202

Mazzioni, S.; Cofsevicz, C.M.; Moura, G. D.; Macêdo, F. F. R. R.; Krüger, S. D. (2017). Influência da governança corporativa na evidenciação voluntária de informações de natureza socioambiental. Revista Organizações em Contexto, 13(26), 311-338. DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v13n26p311-338.

Murcia, F.D.R. (2009). Fatores determinantes do nível de disclosure voluntário de companhias abertas no Brasil. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/T.12.2009.tde-16122009-121627. www.teses.usp.br

Murcia, F.D.R.; Santos, A. (2009). Fatores determinantes do nível de disclosure voluntário das companhias abertas no Brasil. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 3(2), 72-95. DOI: https://doi.org/10.17524/repec.v3i2.68

Muttakin, M.B.; Mihret, D.G.; Khan, A. (2018). Corporate political connection and corporate social responsibility disclosures: A neo-pluralist hypothesis and empirical evidence. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 31(2), 725-744. DOI: https://doi.org/10.1108/AAAJ-06-2015-2078

Nichi, J. (2016). Governança e relatório integrado: discursos e práticas da sustentabilidade corporativa. Dissertação de Mestrado, Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. DOI: https://doi.org/10.11606/D.100.2016.tde-02032016-172903. www.teses.usp.br Perez

Pinheiro, B.G.; Luca, M. M. M.; Vasconcelos, A. C. (2016). Conexões políticas nas maiores companhias listadas na BM&FBovespa. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 22(2), 394-418. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.1622015.60360

Pinho, R.; Carneiro, C. (2014, dezembro). Os fatores determinantes da divulgação do Relatório Integrado nas empresas listadas na Ibovespa em 2012. Anais do Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente, São Paulo, SP, Brasil, 16. http://www.engema.org.br/16/anais-xvi-engema/

Qiu, Y.; Shaukat, A.; Tharyan, R. (2016). Environmental and social disclosures: Link with corporate financial performance. The British Accounting Review, 48(1), 102-116. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bar.2014.10.007

Ricardo, V.S.; Barcellos, S.S.; Bortolon, P. M. (2017). Relatório de Sustentabilidade ou Relato Integrado das empresas listadas na BM&FBovespa: Fatores determinantes de divulgação. Revista de Gestão Social e Ambiental, 11(1), 90-104. DOI: http://dx.doi.org/10.24857/rgsa.v11i1.1233

Rover, S.; Tomazzia, E. C.; Murcia, F. D. R.; Borba, J. A. (2012). Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração, São Paulo, 47(2), 217-230. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-21072012000200005.

Sampaio, M.S.; Gomes, S. M. S.; Bruni, A. L.; Dias Filho, J. M. (2012). Evidenciação de informações socioambientais e isomorfismo: um estudo com mineradoras brasileiras. Revista Universo Contábil, 8(1), 105-122. DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.20128

Santos, A. C.; Marcello, I. E.; Zonatto, V. C. S.; Toledo Filho, J. R. (2012). Gerenciamento de resultados: Investigação de sua ocorrência em empresas de setores regulados no Brasil. Revista de Contabilidade da UFBA, 6(3), 04-16. https://portalseer.ufba.br/index.php/rcontabilidade/article/view/5986

Siegel, D.S. (2009). Green management matters only if it yields more green: An economic/strategic perspective. The Academy of Management Perspectives, 5-16. DOI: https://doi.org/10.5465/AMP.2009.43479260

Silva, M.C.C.A. (2014). Tendências e desafios da integração de informações financeiras e de sustentabilidade de quatro empresas brasileiras que adotam o modelo do Relatório Integrado em 2014. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1582

Tinoco, J. E. P.; Kraemer, M. E. P. (2004). Contabilidade e gestão ambiental. 1 ed. São Paulo: Atlas.

Transparência Internacional. (2017). Índice de Percepção da Corrupção. https://www.ipc.transparenciainternacional.org.br/.

Zhang, C. (2017). Political connections and corporate environmental responsibility: Adopting or escaping? Energy Economics, 68, 539-547. DOI: https://doi.org/10.1016/j.eneco.2017.10.036