Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Um Estudo sobre Jovens Trabalhadores Brasileiros Outros Idiomas

ID:
54861
Resumo:
Este estudo objetivou analisar como o assédio moral sofrido por jovens trabalhadores é percebido por profissionais que trabalham em uma associação inclusiva que atua na capacitação profissional para inclusão desses jovens no mercado de trabalho. Para tanto, utilizou-se a abordagem qualitativa. Inicialmente, tentou-se entrevistar os jovens trabalhadores, mas a Associação negou qualquer contato com eles. Assim, foram feitas entrevistas com 21 profissionais desta Associação. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo. Percebeu-se que os jovens sofrem assédio moral vertical descendente, assédio moral horizontal e assédio moral misto. Também foi visto que o assédio gera consequências que afetam a vida pessoal e profissional dos jovens, tais como desmotivação e prejuízo no desempenho no trabalho, além de baixa autoestima e problemas psicológicos. Portanto, apesar de a associação evitar o assunto, excluindo-o de suas pautas junto aos jovens, fazse necessário desenvolver ações sobre a elucidação das formas de assédio nas organizações e práticas para combatê-lo no ambiente de trabalho.
Citação ABNT:
OLETO, A. F.; PALHARES, J. V.; PAIVA, K. C. M. Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Um Estudo sobre Jovens Trabalhadores Brasileiros. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, v. 8, n. 2, p. 141-162, 2019.
Citação APA:
Oleto, A. F., Palhares, J. V., & Paiva, K. C. M. (2019). Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Um Estudo sobre Jovens Trabalhadores Brasileiros. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, 8(2), 141-162.
DOI:
http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v8i2.29521
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54861/assedio-moral-no-ambiente-de-trabalho--um-estudo-sobre-jovens-trabalhadores-brasileiros/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARLING, J.; KELLOWAY, E. K., FRONE, M. R. Editor´s Overviews: special populations. In: BARLING, J.; KELLOWAY, E. K.; FRONE, M. R. (Ed.). Handbook of Work Stress. Thousand Oaks: Sage, 2005. p. 401-404.

BARRETO, M. M. S. Violência, saúde, trabalho: uma jornada de humilhações. São Paulo: EDUC, 2003.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. Introdução às clínicas do trabalho: aportes teóricos, pressupostos e aplicações. In: BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. (Org.). Clínicas do Trabalho. São Paulo: Atlas, 2011. p. 3-21.

BOVINGDON, P. Disability, Workplace Bullying and Welfare to Work Reforms. Proceedings of the 20th ANZAM Conference ‘Management: Pragmatism, Philosophy, Priorities’. Yepoon, Queensland, Australia, 2006.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Diário Oficial da União, 1998.

BRASIL. Lei n. 10.097, de 19 de dezembro de 2000. Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Brasília: Diário Oficial da União, 2000.

CAIXETA, I. C. O assédio moral nas organizações: um estudo nos Tribunais Regionais do Trabalho das regiões Sudeste e Sul do Brasil. 2010. 153f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração da Faculdade Novos Horizontes, Belo Horizonte, 2010.

CARRASCO, M. C. El concepto de acoso moral en el trabajo. In: CARRASCO, M. C. (Coord.). Acoso Moral en el Trabajo. Navarra: Editorial Aranzadi, 2006. p. 41-94.

CARRIERI, A. P.; AGUIAR, A. R. C.; DINIZ, A. P. R. Reflexões sobre o indivíduo desejante e o sofrimento no trabalho: o assédio moral, a violência simbólica e o movimento homossexual. Cadernos EBAPE.BR, v. 11, n. 1, p. 165-180, 2013.

CERVO, A, L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.

CRESWELL, J. W. Qualitative inquiry and research design: choosing among five traditions. Thousand Oaks, California: Sage Publications, 1998.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez Oboré, 1993.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Bookman e Artmed, 2007.

DIAS, R. Sociologia das organizações. São Paulo: Ática, 2008.

EINARSEN, S.; HOEL, H.; ZAPF, D.; COOPER, C. L. The concept of bullying at work: the European tradition. In: EINARSEN, S.; HOEL, H; ZAPF, D.; COOPER, C. L. (Ed.). Bullying and emotional abuse in the workplace. Londres: Taylor & Francis, 2003. p. 3-30.

FARRELL, A.; GEIST-MARTIN, P. Communicating health: Perceptions of wellness at work. Management Communication Quarterly, v. 18, p. 543-592, 2005.

FERREIRA, M. I. C. Jovens trabalhadores de baixa renda e os novos sentidos da qualificação. In: CONGRESO DE LA ASOCIACIÓN LATINOAMERICANA DE SOCIOLOGÍA. 27. Buenos Aires, 2009. Anais… Buenos Aires: Asociación Latinoamericana de Sociología, 2009.

FISCHER, F. M. et al. Occupational accidents among middle and high school students of the state of São Paulo, Brazil. Revista de Saúde Pública, v. 37, n. 3, p. 351-356, 2003.

FREITAS, M. E. Gestão contemporânea está doente? In: GONÇALVES, A. G.; GUTIERREZ, L. G. (Org.). Qualidade de vida e fadiga institucional. Campinas: IPESl, 2006.

FRONE, M. R. Interpersonal conflict at work and psychological outcomes: testing a model among young workers. Journal of Occupational Health Psychology, v. 5, n. 2, p. 46-55, 2000.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUEDES, M. N. Terror psicológico no trabalho. São Paulo: LTR, 2008.

GUIMARÃES, C. A.; CANÇADO, V.; LIMA, R. J. C. Workplace moral harassment and its consequences: A case study in a federal higher education institution. Revista de Administração, São Paulo, v. 51, n. 2, p. 151-164, 2016.

GUIMARÃES, N. Trajetórias inseguras, autonomização incerta: os jovens e o trabalho em mercados sob intensas transições ocupacionais. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Transição para a vida adulta ou a vida adulta em transição? Rio de Janeiro: IPEA, 2006. p. 170-198.

HARVEY, S.; KEASHLY, L. Emotional abuse: how the concept sheds light on the understanding of psychological harassment. Québec: Pistes, 2005.

HIRIGOYEN, M. F. Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

HIRIGOYEN, M. F. Mal-estar no Trabalho: redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

HOEL, H.; EINARSEN, S.; COOPER, C. Organisational effects of bullying. In: EINARSEN, S.; HOEL, H.; ZAPF, D.; COOPER, C. (Ed.). Bullying and Emotional Abuse: International Perspectives in Research and Practice. Londres: Taylor & Francis, 2003. p. 145-61.

KELLOWAY, E. K.; BARLING, J.; HURRELL, J. (Ed.). Handbook of Workplace Violence. Thousand Oaks: Sage, 2006. p. 93-94.

KELLOWAY, E. K.; BARLING, J.; HURRELL, J. Editor´s Introduction to Part II. In:

LEITE, A. M. A. A.; BRAGA, C. S. C.; CANHOLI JÚNIOR, C.; LIMA, T. C. B.; REBOUÇAS, S. M. D. P. Florescimento: Saúde e Bem-Estar de Jovens Aprendizes da Indústria Cearense. Gestão & Regionalidade, v. 32, n. 95, p. 90-107, 2016.

LEYMANN, H. Mobbing and psychological terror at workplaces. Violence and Victims, v. 5, n. 2, p. 119-126, 1990.

MELO, N. D. Assédio moral: individual e coletivo. Âmbito Jurídico, Rio Grande, v. 11, n. 54, p. 1-4, 2008.

MENDONÇA, J. M. B.; SANTOS, M. A. F.; PAULA, K. M. Assédio Moral no Trabalho: Estado da Arte e Lacunas de Estudos. Gestão & Regionalidade, v. 34, n. 100, p. 38-55, 2018.

MINAYO-GOMEZ, C.; MEIRELLES, Z. V. Crianças e adolescentes trabalhadores: um compromisso para a saúde coletiva. Cadernos de Saúde Pública, v. 13, n. 2, p. 135-40, 1997.

NEVES, M. C. R.; GONÇALVES, M. F.; LIMA, J. E. Empregabilidade dos jovens no Nordeste: fatores de influência. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 13, n. 2, p. 61-81, 2015.

NUNES, T. S.; TOLFO, S. R. Assédio moral em universidade: as possíveis consequências em comentar e/ou denunciar a violência. Administração Pública e Gestão Social, v. 5, n. 4, p. 48-155, 2013.

O’ROURKE, A.; ANTIOCH, S. K. Workplace bullying laws in Australia: Placebo or panacea? Common Law World Review, v. 45, p. 3-26, 2016.

OIT ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Trabalho decente e juventude no Brasil. Brasília, 2012.

OLETO, A. F.; PALHARES, J. V.; PAIVA, K. C. M.; GUIMARÃES, L. R. Percepções de Tutores sobre o Assédio Sexual Sofrido por Jovens Trabalhadores nas Organizações. GESTÃO.Org Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 16, n. 1, p. 43-56, 2018.

RAMOS, A. C. P. P. Assédio Moral no ambiente laboral. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XVI, n. 112. maio, 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2018.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SALVADOR, L. Assédio moral. Direito e justiça. O Estado do Paraná S/A, Curitiba, p. 8-9, 2002.

SARRIERA, J. C; SILVA, M. A; KABBAS, C. P.; LOPES, V. B. Formação da identidade ocupacional em adolescentes. Estud. Psicol. Natal, v. 6, n. 1, p. 27-32, 2001.

SCHMIDT, M. H. F. M. O assédio moral no direito do trabalho. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, Serviço de Biblioteca e Jurisprudência, v. 27, n. 47, p. 177-227, 2002.

THOMÉ, L. D.; TELMO, A. Q.; KOLLER, S. H. Inserção laboral juvenil: contexto e opinião sobre definições de trabalho. Paidéia, v. 20, n. 46, p. 175-185, 2010.

TRÉPANIER, S-G.; FERNET, C.; AUSTIN, S. Workplace bullying and psychological health at work: The mediating role of satisfaction of needs for autonomy, competence and relatedness. Work and Stress: An International Journal of Work, Health and Organisations, v. 27, p. 123-140, 2013.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

TUCKER, S.; LOUGHLIN, C. Young workers. In: KELLOWAY, E. K.; BARLING, J.; HURRELL, J. (Ed.). Handbook of workplace violence. Thousand Oaks: Sage, 2006. p. 417-44.

UNFPA. Direitos da população jovem: um marco para o desenvolvimento. 2. ed. Brasília: UNFPA Fundo de População das Nações Unidas, 2010.

VAN FLEET, D. D.; GRIFFIN, R. W. Dysfunctional organization culture: The role of leadership in motivating dysfunctional work behaviors. Journal of Managerial Psychology, v. 21, p. 698-708, 2006.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2006.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005