Relação entre a Remuneração dos Executivos e a Estrutura de Endividamento de Empresas Listadas na [B]³ - Brasil, Bolsa, Balcão Outros Idiomas

ID:
54979
Resumo:
Este estudo objetiva verificar a relação entre a remuneração total média dos executivos e a estrutura de endividamento de empresas listadas na [B]³ - Brasil, Bolsa, Balcão. A análise de dados em painel de 494 companhias abertas brasileiras, do período de 2010 a 2015, evidencia relação negativa significante entre endividamento de curto prazo a valor contábil e remuneração dos executivos, indicando que quanto maior o endividamento menor é a remuneração. A relação positiva significante da variável endividamento total a valor de mercado com remuneração dos executivos indica que um nível de endividamento mais elevado implica maior remuneração. Esses resultados denotam que a estrutura de endividamento da empresa é um mecanismo disciplinador da remuneração dos executivos. Tal aspecto sinaliza que o conflito de agência pode ser mitigado quando o principal passa a disciplinar o comportamento do executivo por meio da estrutura de endividamento.
Citação ABNT:
LOPES, I. F.; KAVESKI, I. D. S.; BEUREN, I. M.; THEISS, V. Relação entre a Remuneração dos Executivos e a Estrutura de Endividamento de Empresas Listadas na [B]³ - Brasil, Bolsa, Balcão . Gestão & Regionalidade, v. 35, n. 106, p. 177-196, 2019.
Citação APA:
Lopes, I. F., Kaveski, I. D. S., Beuren, I. M., & Theiss, V. (2019). Relação entre a Remuneração dos Executivos e a Estrutura de Endividamento de Empresas Listadas na [B]³ - Brasil, Bolsa, Balcão . Gestão & Regionalidade, 35(106), 177-196.
DOI:
10.13037/gr.vol35n106.5342
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/54979/relacao-entre-a-remuneracao-dos-executivos-e-a-estrutura-de-endividamento-de-empresas-listadas-na--b------brasil--bolsa--balcao-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AURELI, S.; SALVATORI, F. An investigation on possible links between risk management, performance measurement and reward schemes. Accounting and Management Information Systems, v.11, n.3, p.306-334, 2012.

BASTOS, D.D.; NAKAMURA, W.T. Determinantes da estrutura de capital das companhias abertas no Brasil, México e Chile no período 20012006. Revista Contabilidade & Finanças, v.20, n.50, p.75-94, 2009.

BERK, J.B.; STANTON, R.; ZECHNER, J. Human capital, bankruptcy, and capital structure. The Journal of Finance, v.65, n.3, p.891-926, 2010.

BRASIL. Lei nº 10.101, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

CARLON, D.M.; DOWNS, A.A.; WERTGRAY, S. Statistics as fetishes the case of financial performance measures and executive compensation. Organizational Research Methods, v.9, n.4, p.475-490, 2006.

CHEMMANUR, T.J.; CHENG, Y.; ZHANG, T. Human capital, capital structure, and employee pay: An empirical analysis. Journal of Financial Economics, v.110, n.2, p.478-502, 2013.

CHOI, D.Y.; SAITO, R.; SILVA, V.A.B. Estrutura de capital e remuneração dos funcionários: evidência empírica no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n.2, p.249-269, 2015.

COELHO, A.L.A.L.; PAVÃO, Y.M.P.; SEHNEM, S.; ALBERTON, A.; MARCON, R. Estrutura de capital: um estudo bibliométrico em produções do Brasil e exterior. Revista de Informação Contábil, v.7, n.1, p.73-93, 2013.

COLES, J.L.; DANIEL, N.D.; NAVEEN, L. Managerial incentives and risk-taking. Journal of Financial Economics, v.79, n.2, p.431-468, 2006.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Deliberação CVM n° 557, de 12 de novembro de 2008. Disponível em: http://www.cvm.gov.br/ export/sites/cvm/legislacao/deli/anexos/0500/ deli557.pdf. Acesso em: 19 nov. 2015.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Instrução CVM n° 480, de 07 de dezembro de 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2015.

CORE, J.E.; HOLTHAUSEN, R.W.; LARCKER, D.F. Corporate governance, chief executive officer compensation, and firm performance. Journal of Financial Economics, v.51, n.3, p.371-406, 1999.

COUTINHO, E.S.; AMARAL, H.F.; BERTUCCI, L.A. O impacto da estrutura de propriedade no valor de mercado de empresas brasileiras. Revista de Administração, v.41, n.2, p.197-207, 2006.

DOUGLAS, A.V.S. Capital structure, compensation and incentives. Review of Financial Studies, v.19, n.2, p.605-632, 2006.

FÁVERO, L.P. Análise de dados: modelos de regressão com EXCEL®, STATA® e SPSS®. São Paulo, Atlas, 2015.

FÁVERO, L.P.; BELFIORE, P.; SILVA, F.; CHAM, B. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisão. São Paulo: Campus. 2009.

FREUND, S.; LATIF, S.; PHAN, H. V. Executive compensation and corporate financing policies: Evidence from CEO inside debt. Journal of Corporate Finance, v.50, p.484-504, 2018.

GHENO, R.; BERLITZ, J. Remuneração estratégica e pacote de benefícios: um estudo de caso aplicado ao nível operacional de uma multinacional. Revista de Administração da UFSM, v.4, n.2, p.268-287, 2011.

IATRIDIS, G.E. Accounting discretion and executive cash compensation: An empirical investigation of corporate governance, credit ratings and firm value. Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, v.55, n.00, p.29-49, 2018.

JENSEN, M.C.; MECKLING, W.H. Teoria da firma: comportamento dos administradores, custos de agência e estrutura de propriedade. Revista de Administração de Empresas, v.48, n.2, p.87-125, 2008.

JENSEN, M.C.; MECKLING, W.H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v.3, n.4, p.305-360, 1976.

JENSEN, M.C.; MURPHY, K.J. Performance pay and top-management incentives. Journal of Political Economy, v.98, n.2, p.225-264, 1990.

KRAUTER, E. Remuneração de executivos e desempenho financeiro: um estudo com empresas brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v.7, n.3, p.259273, 2013.

LAKSMANA, I. Corporate board governance and voluntary disclosure os executive compensation practices. Contemporary Accounting Research, v.25, n.4, p.1147-1142, 2008.

MACHADO, D.G.; BEUREN, I.M. Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas. Gestão & Regionalidade, v.32, n.92, p.4-24, 2015.

MEHRAN, H. Executive compensation structure, ownership, and firm performance. Journal of Financial Economics, v.38, n.2, p.163-184, 1995.

MEROFA, P.A. O endividamento e a remuneração variável dos diretores executivos no Brasil: evidências empíricas. 2014. 94f. Tese (Doutorado em Administração) Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2014.

MODIGLIANI, F.; MILLER, M.H. The cost of capital, corporation finance and the theory of investment. American Economic Review, v.48, n.3, p.261-297, 1958.

MURPHY, K. J. Executive Compensation: Where we are, and how we got there’. In: CONSTANTINIDES, G.M.; HARRIS, M.; STULZ, R.M. (Eds.). Handbook of the Economics of Finance, 2013. Vol.2, Part A, Chapter 4. pp.211 356.

MYERS, S.C. Financing of corporations. In: CONSTANTINIDES, G.M.; HARRIS, M.; STULZ, R.M. (org.). Handbook of the economics of finance. North Holland, 2003. pp.215-252.

MYERS, S.C.; MAJLUF, N.S. Corporate financing and investment decisions when firms have information that investors do not have. Journal of Financial Economics, v.13, n.2, p.187-221, 1984.

ORTIZ-MOLINA, H. Executive compensation and capital structure: The effects of convertible debt and straight debt on CEO pay. Journal of Accounting and Economics, v.43, n.1, p.6993, 2007.

PONTES, B.R. A competitividade e a remuneração flexível. São Paulo: LTR, 1995.

SEPE, S.M. Making sense of executive compensation. Delaware Journal of Corporate Law, v.36, n.14, p.10-42. 2014.

SUNDARAM, R.K.; YERMACK, D.L. Pay me later: Inside debt and its role in managerial compensation. The Journal of Finance, v.62, n.4, p.1551-1588, 2007.

TOSUN, O.K. The effect of CEO option compensation on the capital structure: a natural experiment. Financial Management, 2015. Disponível em: http://ssrn.com/ abstract=2498036. Acesso em: 11 ago. 2016.

YARRAM, S.R.; RICE, J. Executive compensation among Australian mining and non-mining firms: Risk taking, long and short-term incentives. Economic Modelling, v.64, p.211220, 2017.