As Diferenças Culturais e Socioeconômicas e o Impacto na Internacionalização Empresarial: Um Estudo Comparativo entre duas Empresas Multinacionais Outros Idiomas

ID:
55151
Resumo:
A expatriação tem emergido como uma temática importante nos estudos gerenciais. O presente artigo tem por objetivo analisar os fatores culturais e socioeconômicos que impactam no processo de expatriação e internacionalização de duas empresas de países próximos culturalmente. Para tanto, foi promovido um estudo qualitativo de múltiplos casos em uma multinacional brasileira e uma portuguesa. Por meio de um roteiro semiestruturado, foram realizadas 30 entrevistas, as quais foram analisadas pela técnica de análise de conteúdo com o auxílio do software Max-Qda (2007) na organização das categorias de análise. Os relatos dos portugueses e dos brasileiros são muito similares quando abordam as diferenças entre os dois países. Embora próximos em razão de sua história, a dificuldade com os entendimentos no uso da língua portuguesa, as diferenças nas tomadas de decisão e os preconceitos ainda existentes marcam a interação entre os profissionais e as empresas, revelando-se, assim, proximidades e distanciamentos. São citados ainda a legislação para os expatriados, burocracia, corrupção, “jeitinho brasileiro”, a diferença de infraestrutura e da educação básica como entraves.
Citação ABNT:
GALLON, S.; SCHEFFER, A. B. B.; GOMES, J. F. S.; CORTE, V. F. D. As Diferenças Culturais e Socioeconômicas e o Impacto na Internacionalização Empresarial: Um Estudo Comparativo entre duas Empresas Multinacionais . Desenvolvimento em Questão, v. 17, n. 49, p. 222-246, 2019.
Citação APA:
Gallon, S., Scheffer, A. B. B., Gomes, J. F. S., & Corte, V. F. D. (2019). As Diferenças Culturais e Socioeconômicas e o Impacto na Internacionalização Empresarial: Um Estudo Comparativo entre duas Empresas Multinacionais . Desenvolvimento em Questão, 17(49), 222-246.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2019.49.222-246
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/55151/as-diferencas-culturais-e-socioeconomicas--e-o-impacto-na-internacionalizacao-empresarial--um-estudo-comparativo-entre-duas-empresas-multinacionais-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARBOSA, R. N. Expatriados brasileiros: as implicações das características culturais na adaptação em designações internacionais. 2010. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Administração, Porto Alegre, 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2009.

BENNETT, C. V.; BREWSTER, C. Can Portuguese management compete? Lisbon: Ad Capita; Cranfield University School of Management, 2002.

BLACK, J. S.; GREGERSEN, H. B.; MENDENHALL, M. Toward a theoretical framework of repatriation adjustment. Journal of International Business Studies, v. 23, n. 4, p. 373-760, 1992.

CALIGIURI, P. M. Selecting expatriates for personality characteristics: a moderating effect of personality on the relationship between host national contact and cross-cultural adjustment. Management International Review, v. 40, n. 1, p. 61-80, 2000.

CALIGIURI, P.; DI SANTO, V. Global Competence: what is it, and Can it be developed through global assignments? Human Resources Planning, v. 24, p. 3, 2001.

CECHELLA, D. C. Os investimentos brasileiros em Portugal: um estudo de três casos. In: SILVA, J. R.; BARBOSA, A. C. Q. (ed.). Estado, empresas e sociedade. Um mosaico luso-brasileiro. Lisboa: Edições Colibri, 2009b.

CECHELLA, D. C. Os países emergentes com investidores internacionais: o caso das empresas brasileiras em Portugal. 2009. Tese (Doutorado) – Universidade Técnica de Lisboa, Instituto Superior de Economia e Gestão, Portugal, 2009a.

COSTA, C. G. da. A cultura como fator dinamizador da economia. Os investimentos portugueses no Brasil. Lisboa: Universidade Técnica de Lisboa, 2005.

COSTA, C. G. da. Um contributo para a definição das políticas públicas de apoio a internacionalização de uma pequena economia aberta: o caso português. In: SILVA, J. R.; BARBOSA, A. C. Q. (ed.). Estado, empresas e sociedade. Um mosaico luso-brasileiro. Lisboa: Edições Colibri, 2009.

CUNHA, M. P.; REGO, A. Culture and management in Portugal: From the Empire to the Union. In: DAVEL, E.; DUPUIS, J.-P.; CHANLAT, J.-F. (ed.). Gestion en contexte interculturel: Approches, problématiques, pratiques et plongées. Québec: Presse de l’Université Laval et TÉLUQ/UQAM, 2007.

DA MATTA, R. Carnavais, malandros e heróis. Para uma sociologia do dilema brasileiro. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DE CIERI, H.; DOWLING, P. J.; TAYLOR, K. F. The psychological impact of expatriate relocation on partners. The International Journal of Human Resource Management, v. 2, n. 3, p. 377-414, 1991.

DUTRA, J. S. Gestão de pessoas. Modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.

EMPRESA ELÉTRICA. Site Elétrica. 2014. Disponível em: www.eletrica.net/br

EMPRESA PLÁSTICO. Site Plástico. 2014. Disponível em: www.plastico.com

FERNANDES, C. M. A.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; ZANNI, P. P. O papel dos fatores políticos na internacionalização de empresas: o caso da Energias de Portugal (EDP) no Brasil. Cadernos EBAPE.BR, v. 10, n. 2, 2012.

FREITAS, M. E. de; DANTAS, M. O estrangeiro e o novo grupo. Revista de Administração de Empresas, v. 51, n. 6, p. 601-608, 2011.

FUNDAÇÃO DOM CABRAL. Pesquisa Global Players II. Internacionalização de Empresas da América Latina: desafios, obstáculos e perspectivas das multinacionais emergentes, 2008.

GONÇALVES, G. A.; MIURA, I. K. Executivo expatriado no Brasil: as implicações das características culturais brasileiras. Revista FAE, v. 12, n.1, p.133-147, jan./jun. 2009.

HICKSON, D. J.; PUGH, D. S. Management worldwide: The impact of societal culture on organizations around the globe. London: Penguin, 1995.

HOFSTEDE, G. National cultures and corporate cultures. In: SAMOVAR, L. A.; PORTER, R. E. (ed.). Communication Between Cultures. Belmont, CA: Wadsworth, 1984.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2012. Disponível em: www.ibge.gov.br/home/mapa_ site/mapa_site.php#indicadores. Acesso em: 3 jun. 2013.

IRIGARAY, H. A. R.; VERGARA, S. C. Expatriados no Brasil: diferentes nacionalidades, diferentes percepções. Revista Gestão.Org, v. 8, n. 1, p. 49-60, 2010.

JANGHORBAN, R.; ROUDSARI, R. L.; TAGHIPOUR, A. Qualitative Stud Health Well-Being, v. 9, 2014.

JOHANSON, J.; VAHLNE, J. The Internalization Process of the Firm. Journal of International Business Studies, v. 8, n. 1, p. 23-32, 1977.

MACEDO, M. F. A. T. Estratégias de internacionalização das empresas da Região Norte de Portugal. 2011. 73f. Dissertação (Mestrado em Economia e Gestão Internacional) – Universidade do Porto, Faculdade de Economia, Porto, Portugal, 2011.

MAGRINHO, A. Portugal e Brasil: uma parceria para a economia global. In: SILVA, J. R.; BARBOSA, A. C. Q. (ed.). Estado, empresas e sociedade. Um mosaico luso-brasileiro. Lisboa: Edições Colibri, 2009.

MCCALL, M. JR.; HOLLENBECK, G. P. Desenvolvimento de executivos globais. As lições da experiência internacional. Porto Alegre: Bookman, 2003.

MENDENHALL, M. E.; DUNBAR, E. E.; ODDOU, G. Expatriate selection, training and career-pathing: a review and a critique. Human Resource Planning, v. 26, n. 3, p. 331-345, 1987.

MERCER. 2010. International Assignment Survey – Portugal 2010. Disponível em: http://www.mercer. com.br/press-releases/1387345. Acesso em: 10 jun. 2013.

NEVADO, P. M. da S. P. A opção expatriado-local na gestão de topo das subsidiárias das empresas multinacionais. O caso das subsidiárias portuguesas de empresas alemãs. Departmentof Management Working Paper Series, v. 1, 2003.

PEREIRA, N. A. F.; PIMENTEL, R.; KATO, H. T. Expatriação e estratégia internacional: o papel da família como fator de equilíbrio na adaptação do expatriado. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE

REGO, A.; CUNHA, M. P. E. Manual de gestão transcultural de recursos humanos. Lisboa: Editora RH, 2009.

ROCHA, A. da; MELLO, R. C. de; MACULAN, A. M. D.; PACHECO, H. F. Ivia: crescimento e internacionalização. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 6, 1.158-1.170, 2010.

SOUSA, T. D. R. de. As estratégias de internacionalização de empresas portuguesas: os casos multinacionais e PMEs. 2015. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Aveiro, Portugal, 2015.

SOUSA, V. A. A evolução das relações luso-brasileiras numa perspectiva histórica. In: SILVA, J. R.; BARBOSA, A. C. Q. (ed.). Estado, empresas e sociedade. Um mosaico luso-brasileiro. Lisboa: Edições Colibri, 2009.

TANURE, B.; EVANS, P.; PUCIK, V. A gestão de pessoas no Brasil. Virtudes e pecados capitais. Estudos de caso. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

TUNG, R. L. Expatriates Assignments: Enhancing Success and Minimizing Failure. The Academy of Management Executive, v. 1, p. 117-126, 1987.

VAREJÃO, J. C. de S. Internacionalização de pequenas e médias empresas em Portugal: abordagem programada vs abordagem não programada. 2013. 125f. Dissertação (Mestrado em Contabilidade e Administração) – Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto, Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal, 2013.

VIANNA, N. P.; SOUZA, Y. S. de. Uma análise sobre os processos de expatriação e repatriação em organizações brasileiras. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 6, n. 4, p. 340-353, nov./dez. 2009.

WONG, N. Mark your calender! Important tasks for international HR workforce. Costa Mesa, v. 79, n. 4, p. 72-74, 2000.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010