Gestão da Conta Vinculada, Teoria do 'Stakeholder e Performance Prism' Aplicados aos Contratos de Terceirização: Estudo de Caso na Universidade Federal de Goiás Outros Idiomas

ID:
55157
Resumo:
A obrigatoriedade da conta vinculada nos contratos de terceirização inseriu a Administração Pública Federal numa arena em que se apresentam diversos interesses: Direitos dos trabalhadores terceirizados, das empresas fornecedoras de serviços terceirizados, necessidades de gestores e fiscais de contratos e o interesse público, seu objetivo primaz. Na expectativa de alinhar tais interesses, buscou-se aplicar na gestão da conta vinculada dos contratos de terceirização da Universidade Federal de Goiás – UFG –, um modelo de avaliação de desempenho inspirado na Teoria do Stakeholder e no Performance Prism. A metodologia utilizada promoveu o confronto de perspectivas da UFG e dos seus stakeholders relacionados à gestão da conta vinculada. Os resultados, de forma geral, mostraram que a gestão da conta vinculada tem trazido benefícios tanto à UFG quanto aos seus stakeholders, principalmente no que se refere à maior segurança jurídica e redução nos ajuizamentos. Também mostraram a necessidade de ações que melhorem as capacidades disponibilizadas, especialmente o perfil de gestores e fiscais escolhidos e a estrutura dedicada à gestão e fiscalização dos contratos.
Citação ABNT:
MACHADO JÚNIOR, E. V.; LOPES, B. L. Gestão da Conta Vinculada, Teoria do 'Stakeholder e Performance Prism' Aplicados aos Contratos de Terceirização: Estudo de Caso na Universidade Federal de Goiás . Desenvolvimento em Questão, v. 17, n. 49, p. 348-366, 2019.
Citação APA:
Machado Júnior, E. V., & Lopes, B. L. (2019). Gestão da Conta Vinculada, Teoria do 'Stakeholder e Performance Prism' Aplicados aos Contratos de Terceirização: Estudo de Caso na Universidade Federal de Goiás . Desenvolvimento em Questão, 17(49), 348-366.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2019.49.348-366
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/55157/gestao-da-conta-vinculada--teoria-do--stakeholder-e-performance-prism--aplicados-aos-contratos-de-terceirizacao--estudo-de-caso-na-universidade-federal-de-goias-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ATKINSON, A.; WATERHOUSE, J.; WELLS, R. A Stakeholder Approach to Strategic Performance Measurement. Sloan Management Review, v. 38, n. 3, p. 25-37, 1997.

BRASIL. Cartilha sobre conta vinculada. Ministério do Planejamento, Orçamento e Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, novembro 2014. Disponível em: http://www.comprasgovernamentais.gov. br/arquivos/terceirizacao/cartilha-conta-vinculada.pdf. Acesso em: 27 maio 2016.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. Instrução Normativa nº 2, de 30 de abril 2008. Dispõe sobre regras e diretrizes para a contratação de serviços, continuados ou não. Disponível em: http://www.comprasgovernamentais.gov.br. Acesso em: 2 jun. 2016.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Acórdão TCU Nº 4720/2009 de 8 setembro de 2009. Brasília, 2009. Disponível em: https://contas.tcu.gov.br. Acesso em: 2 jun. 2016.

CERTO, S. C.; PETER, J. P. Administração estratégica: planejamento e implantação das estratégias. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2010.

CLARKSON, M. B. E. A stakeholder framework for analysing and evaluating corporate social performance. Academy of Management Review, v. 20, n. 1, p. 92-117, 1995.

FALCO, S. E. D. Instrumentos de voice giving na relação entre os cidadãos e a administração pública: a carta dos serviços. Revista do Serviço Público, v. 51, n. 3, p. 5-27, jul./set. 2000.

FERREIRA, K. B.; MACHADO JR., E. V. Modelo de gestão estratégica e participativa para instituições de Ensino Superior: estudo de caso do Instituto Federal de Goiás. COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTIÓN UNIVERSITARIA – CIGU, 16., 2016. Arequipa, nov. 2016.

FREEMAN, R. E. et al. Stakeholder theory: the state of the art. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2010.

FREEMAN, R. E. Strategic management: A stakeholder perspective. Boston: Pitman, 1984.

FREEMAN, R. E.; MC VEA, J. A Stakeholder Approach to Strategic Management. Darden Graduate School of Business Administration, University of Virginia, Working Paper Nº 1-2; Social Science Research Network Electronic Paper. 2001. p. 32.Available from: http://papers.ssrn.com/paper.taf?abstract_id=263511 a 06/06/17.

GONÇALVES, R. P. R. E. Análise de stakeholders de uma instituição de Ensino Superior, o caso do ISEG (Universidade de Lisboa). 2013. Dissertação (Mestrado em Gestão e Estratégia Industrial) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2013. p. 44.

HASNAS, J. Whither Stakeholder Theory? A Guide for the Perplexed Revisited. J Bus Ethics, Washington, EUA, v. 112, n. 1, p. 47-57, jan. 2013.

HOURNEAUX JUNIOR, F. Relações entre as partes interessadas (stakeholders) e os sistemas de mensuração do desempenho organizacional. 2010. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, São Paulo, 2010.

JONES, T. Instrumental stakeholder theory: A synthesis of ethics and economics. Academy of Management Review, v. 20, n. 2, p. 404-437, 1995.

MACHADO JR., V. Sinergia dos Stakeholders: um framework de gestão e responsabilidade social – estudo de caso em instituição de Ensino Superior brasileira. 2009, 312f. Tese (Doutorado) – Universidade Metodista de Piracicaba, Santa Bárbara D’Oeste, 2009.

MAINARDES, W. et al. Categorização por importância dos Stakeholders das Universidades. Revista Ibero Americana de Estratégia – RIAE, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 4-43, set./dez. 2010. ISSN 2176-0756.

MENDES, L. A. L. Performance Prism: um modelo para gerenciar o sucesso dos negócios. Disponível em: http: //www.fdc.org.br/hotsites/mail/PERFORMANCEPRISMPM.pdf, 2017. Acesso em: 15 fev. 2017.

MENDONÇA, A. F. D.; ROCHA, C. R. R.; NUNES, H. P. Trabalhos acadêmicos: planejamento, execução e avaliação. Goiânia: Faculdades Alves Faria, 2008.

NEELY, A.; ADAMS, C. Managing with measures: The stakeholder Perspective. Control, p. 29-31, set. 2002.

NEELY, A.; ADAMS, C.; CROWE, P. The performance prism in practice. Measuring Business Excellence, v. 5, n. 2, p. 6-13, 2001.

NEELY, A.; KENNERLEY, M.; ADAMS, C. Performance measurement frameworks: a review. In: NEELY, A. Business performance measurement: Unifying theory and integrating practice. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. Disponível em: http://www.feevale.br/editora. Acesso em: 30 jul. 2017.

RIBEIRO, Hewdy Lobo. Gestão estratégica de desempenho na perspectiva dos stakeholders: um estudo de caso no Hospital Lacan. 2014. Dissertação (Mestrado em Administração) – Unip, São Paulo, 2014.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.