Indicadores Financeiros e não Financeiros e a Qualidade da Educação Superior das Universidades Federais Brasileiras Outros Idiomas

ID:
55188
Resumo:
Esta pesquisa teve por objetivo investigar a relação dos indicadores financeiros e não financeiros com a qualidade do ensino superior das universidades federais brasileiras. A pesquisa foi realizada por meio de levantamento documental dos indicadores de desempenho definidos pelo Tribunal de Contas da União na Decisão n.º 408/2002, mensurados por 50 universidades brasileiras no ano de 2015. Os indicadores de qualidade foram obtidos nas três avaliações realizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP): Índice Geral de Cursos (IGC), Conceito Preliminar de Curso (CPC) e Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). O tratamento dos dados foi realizado por meio de análise de correlação e teste de Spearman para obtenção das conclusões do estudo. Os principais resultados evidenciam a qualificação dos professores, o fortalecimento dos programas de pós-graduação e o volume de recursos gastos por aluno estão, positivamente e estatisticamente, correlacionados com melhores indicadores de qualidade das universidades federais brasileiras.
Citação ABNT:
SOUSA, K. M.; CALLADO, A. A. C. Indicadores Financeiros e não Financeiros e a Qualidade da Educação Superior das Universidades Federais Brasileiras . Revista Ciências Administrativas, v. 25, n. 2, p. 1-15, 2019.
Citação APA:
Sousa, K. M., & Callado, A. A. C. (2019). Indicadores Financeiros e não Financeiros e a Qualidade da Educação Superior das Universidades Federais Brasileiras . Revista Ciências Administrativas, 25(2), 1-15.
DOI:
10.5020/2318-0722.2019.8385
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/55188/indicadores-financeiros-e-nao-financeiros-e-a-qualidade-da-educacao-superior-das-universidades-federais-brasileiras-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AAKER, D. A. Administração estratégica de mercado. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

BARROS, A da S. X. Expansão da educação superior no Brasil: limites e possibilidades. Educ. Soc.; Campinas, v. 36, n. 131, p. 361-390, abr./jun. 2015.

BEHN, R. D. Why measure performance?Different purpose require different measures. Public Administration Review, Washington, v. 63, n. 5, p. 586-606, Sep./Oct. 2003.

BRASIL. Portaria nº 4.362 de 29 de dez. de 2004. Institui o Banco Único de Avaliadores da Educação Superior do Ministério da Educação, tendo como referência o perfil do docente avaliador. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 30 dez. 2004. http://www.inep.gov.br/superior/avaliacao_institucional/legislacao.htm.

BRASIL.Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Brasília: INEP, 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. A reforma gerencial do Estado de 1995. Revista De Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 34, n. 4, p. 7-26, 2000.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Construindo o Estado republicano: democracia e reforma da gestão pública. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

CALLADO, A. L. C.; CALLADO, A. A. C.; ALMEIDA, M. A. A utilização de indicadores de desempenho não-financeiros em organizações agroindustriais: um estudo exploratório. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, v. 10, n. 1, p. 35-48, 2008.

CALLADO, A. L. C.; CALLADO, A. A. C.; ANDRADE, L. P. de. Relações entre indicadores de desempenho: um estudo exploratório em empresas localizadas em Serra Talhada/PE. Revista de Negócios, Blumenau, v. 14, n. 1, p. 100-114, 2009.

CALLADO, A. L. C.; CALLADO, A. A. C.; HOLANDA, F. M. Utilização de indicadores de desempenho no setor hoteleiro de João Pessoa-PB. Turismo-Visão e Ação, Balneário Camboriú, v. 10, n. 1, p. 23-38, 2008.

CATELLI, A.; SANTOS, E. S. Mensurando a criação de valor na gestão pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 38, p. 423-449, maio/jun. 2004.

COLOSSI, N.; CONSENTINO, A.; QUEIROZ, E. G. Mudanças no contexto do ensino superior no Brasil: uma tendência ao ensino colaborativo. Revista da FAE, Curitiba, v. 4, n. 1, 2017.

COSTA, F. L.; CASTANHAR; J. C. Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 5, p. 969-92, 2003.

CURCINO, G. M.; LEMES, S.; BOTINHA, R. A. Efeito do resultado Abrangente nos Indicadores de desempenho das Companhias Abertas brasileiras. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, João Pessoa, v. 2, n. 3, p. 24-40, 2014.

FOLAN, P.; BROWNE, J. A review of performance measurement: towards performance management. Computers in Industry, v. 56, n. 7, p. 663-680, 2005.

GRATERON, I. R. G. Auditoria de gestão: utilização de indicadores de gestão no setor público. Caderno de Estudos Fipecafi, São Paulo, n. 21, maio/ago. 1999.

HELOU FILHO, E. A.; OTANI, N. A utilização de indicadores na administração pública: a Lei 12.120/2002 do Estado de Santa Catarina. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 9, n. 17, p. 111-131, jan./abr. 2007.

HRONEC, S. M.; ANDERSEN, A. Sinais vitais: usando medidas de desempenho da qualidade, tempo e custos para traçar a rota para o futuro de sua empresa. São Paulo: Makron Books, 1994.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. The balanced scorecard: the measures that drive performance. The Harvard Business Review, n. Jan./Feb. 1992. https://hbr.org/1992/01/the-balancedscorecard-measures-that-drive-performance-2.

KOTANE, I.; KUZMINA-MERLINO, I. Non-financial indicators for evaluation of business activity. European Integration Studies,n. 5, p. 213-219, 2011.

LUNKES, R. J.; GASPARETTO, V.; SCHNORRENBERGER, D. Um Estudo sobre as Funções da Controladoria. Revista de Contabilidade e Organizações, São Paulo, v. 4, n. 10, p. 106-126, 2010.

MACARTHUR, J. B. Performance measures that count: monitoring variables of strategic importance. Journal of Cost Management, v. 10, n. 3, p. 39-45, 1996.

MACEBO, D.; SILVA JR., J. R.; OLIVEIRA, J. F. Reformas e políticas: educação superior e pósgraduação no Brasil. Campinas: Átomo & Alínea, v. 1. p. 23-51. 2008.

MARENGO, S. T.; DIEHL, C. A. A divulgação de indicadores não financeiros em sites municipais gaúchos. Gestão & Regionalidade, São Caetano do Sul, v. 27, n. 81, 2011.

MARINI, C. O contexto contemporâneo da administração pública na América Latina. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 53, n. 4, p. 31-52, out. 2002.

MARQUEZAN, L. H. F.; DIEHL, C. A.; ALBERTON, J. R. Indicadores não financeiros de avaliação de desempenho: análise de conteúdo em relatórios anuais digitais. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, v. 16, n. 2, 2013.

MATIAS-PEREIRA, J. A governança corporativa aplicada no setor público brasileiro. Administração Pública e Gestão Social,v. 2, n. 1, p. 109-134, 2010.

NEELY, A. Avaliação do desempenho das empresas: porquê, o quê e como. Lisboa: Caminho, 2002.

NEELY, A. D.; RICHARDS, A. H.; MILLS, J. F.; PLATTS, K. W.; BOURNE, M. C. S. Designing performance measures: a structured approach. International Journal of Operations & Production Management, v. 17, n. 11, p. 1131-1153, 1997.

NEELY, A. Measuring business performance. London: The Economist Books, 1998.

NEELY, A. The performance measurement revolution: why now and what next? International Journal of Operations & Production Management, v. 19, n. 2, p. 205-28, 1999.

NEELY, A.; GREGORY, M.; PLATTS, K. Performance measurement system design: should process based approaches be adopted? International Journal Production Economics, Amsterdam, v. 46/47, 1996.

POINCELOT, E.; WEGMANN, G. Les motivations des managers utilisant descriteres non financiers: une analyse empirique. Comptabilité Contrôle Audit, v. 14, n. 1, p. 69-92, 2008.

POLIDORI, M. M. Políticas de avaliação da educação superior brasileira: Provão, SINAES, IDD, CPC, IGC e outros índices. Avaliação, Campinas, v. 14, n. 2, p. 385-438, jul. 2009.

SILVA, L. C. de; BARTOLUZZIO, A I S de S.; ANJOS, L. C. M. dos. Análise da influência da competição política e de indicadores socioeconômicos no nível de Transparência dos municípios pernambucanos. Gestão Pública: práticas e desafios, Recife, v. 8, n. 1, p. 1-17, 2017.

SINK, D. S.; TUTTLE, T. C. Planejamento e medição para performance. Rio de Janeiro: Quality Mark, 1993.

VARGAS, S. B. D.; DIEHL, C. A.; AYRES, P. R. R.; MONTEIRO, A. F. Indicadores não-financeiros de avaliação de desempenho: análise de conteúdo em relatórios de administração de empresas de telecomunicações. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, 2016.

VIGNOCHI, L.; GONÇALO, C. R.; LEZANA, Á. G. R. Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho? Rev. Adm. Empres., São Paulo, v. 54, n. 5, p. 496-509, Oct. 2014.