Relação das Variáveis Concernentes ao Desempenho Acadêmico: Um Estudo com Alunos de Graduação em Ciências Contábeis Outros Idiomas

ID:
55364
Resumo:
Este estudo teve como objetivo analisar a relação entre as variáveis concernentes às dimensões corpo docente, corpo discente e IES com a variável desempenho acadêmico. Em relação ao método, este trabalho é classificado como quantitativo em função da utilização de técnicas estatísticas e descritivo decorrente do objetivo geral. Quanto aos procedimentos, classifica-se como pesquisa de levantamento por conta da aplicação de questionário e também como documental, devido ao uso de documentos como fonte de dados. Como instrumento de coleta de dados, utilizou-se um questionário com vinte questões fechadas, baseado nos autores Andrade e Corrar (2008), Souza (2008) e Ferreira (2015). A população deste estudo foi de 617 alunos, resultando em uma amostra de 361 respondentes. Para análise, utilizou-se técnicas estatísticas univariadas, como o Alfa de Cronbach, a prova KolmogorovSmirnov para o teste de normalidade e os coeficientes de correlação ponto-bisserial e de Spearman para a análise dos dados. Como principais resultados identificou-se que as variáveis estratégia ou método de ensino (dimensão corpo docente), status socioeconômico, absenteísmo, desempenho escolar anterior, horas de estudo e motivação (dimensão corpo discente) e ambiente de estudo e forma de ingresso (dimensão IES) possuem relação com a variável desempenho acadêmico.
Citação ABNT:
MARTINS, Z. B.; MARINHO, S. V. Relação das Variáveis Concernentes ao Desempenho Acadêmico: Um Estudo com Alunos de Graduação em Ciências Contábeis. Revista Universo Contábil, v. 15, n. 1, p. 27-48, 2019.
Citação APA:
Martins, Z. B., & Marinho, S. V. (2019). Relação das Variáveis Concernentes ao Desempenho Acadêmico: Um Estudo com Alunos de Graduação em Ciências Contábeis. Revista Universo Contábil, 15(1), 27-48.
DOI:
10.4270/ruc.2019102
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/55364/relacao-das-variaveis-concernentes-ao-desempenho-academico--um-estudo-com-alunos-de-graduacao-em-ciencias-contabeis/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abina, M. B., & Uthman, A. B. (2018). Internal Brand Equity of Universities and Students' academic Performance: an Empirical Survey of Accounting Students. Global Management Review, 12(1).

Al-Barrak, M. A., & Al-Razgan, M. S. (2015). Predicting Students' performance Through Classification: A Case Study. Journal of Theoretical & Applied Information Technology, 75(2).

Alanzi, K. A., & Alfraih, M. M. (2017). Does accumulated knowledge impact academic performance in cost accounting? Journal of International Education in Business, 10(01), 2-11.

Andrade, J. X., & Corrar, L. J. (2007). Condicionantes do Desempenho dos Estudantes de Contabilidade: Evidências Empíricas de Natureza Acadêmica, Demográfica e Econômica. Revista de Contabilidade da UFBA, 1(1), 62-74.

Andrietti, V., & Velasco, C. (2015). Lecture attendance, study time and academic performance: a panel data study. The Journal of Economic Education, 46(3), 239-259.

Araújo, E. A. T., Camargos, M. A., Camargos, M. C. S., & Dias, A. T. (2013). Desempenho acadêmico de discentes do curso de Ciências Contábeis: uma análise dos seus fatores determinantes em uma IES privada. Contabilidade Vista & Revista, 24(1), 60-83.

Ballester, C. P. M. (2012). Análisis de los factores que influyen en el desempeño académico de los alumnos de contabilidade financeira através de modelos de eléccion binaria. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 14(5), 379-399.

Barros, R. P., Mendonça, R., Santos, D. D., & Quintaes, G. (2001). Determinantes do desempenho educacional no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, 31(1), 1-42.

Borges, L. F. M., Leal, E. A., Silva, T. D., & Pereira, J. M. (2018). Rendimento acadêmico e estilos de aprendizagem: um estudo na disciplina análise de custos. Revista Alcance, 25(2), 161-176.

Burrus, R. T., & Graham, J. E. (2009). Early morning classes and finance student performance. Proceedings of the Financial Education Association. University of North Carolina Wilmington.

Campbell, M. M. (2007). Motivational systems theory and the academic performance of college students. Journal of College Teaching & Learning (TLC), 4(7), 11-24.

Conselho Federal de Contabilidade. Resolução CFC nº 1.486/2015. Regulamenta o Exame de Suficiência como requisito para obtenção do registro profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2018.

Corbucci, P. R. (2007). Desafios da educação superior e desenvolvimento no Brasil. Texto para discussão nº 1287. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília.

Cornachione Junior, E. B., Cunha, J. V. A., Luca, M. M. M., & Ott, E. (2010). O bom é meu, o ruim é seu: perspectivas da teoria da atribuição sobre o desempenho acadêmico de alunos da graduação em Ciências Contábeis. Revista Contabilidade & Finanças USP, 21(53), 1-24.

Cruz, C. V. O. A., Corrar, L. J., & Slomski, V. (2008). A docência e o desempenho dos alunos dos cursos de graduação em contabilidade no Brasil. Contabilidade Vista & Revista, 19(4), 15-37.

Das, B. (2014). Higher education on the cross-road. Social Science International, 30(2), 417-426.

Diaz, M. D. M. (2007). Efetividade no ensino superior brasileiro: aplicação de modelos multinível à análise dos resultados do Exame Nacional de Cursos. Revista Economia, 8(1), 93–120.

Eikner, A. E., & Montondon, L. (2001). Evidence on factors associated with success in intermediate accounting I. The Accounting Educators' Journal, 13(1), 1-17.

Ferreira, A., & Crisóstomo, J. (2012). A influência do desempenho acadêmico na carreira profissional: um estudo de caso em um curso de engenharia. Revista de Ensino de Engenharia, 30(1), 35-44.

Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho discente no ENADE em cursos de Ciências Contábeis (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Uberlândia, Programa de PósGraduação em Ciências Contábeis, Uberlândia.

Galvão, N. (2016). Percepção dos contadores sobre o Exame de Suficiência do CFC. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 15(45), 49-62.

Glewwe, P. W., Hanushek, E., Humpage, S., & Ravina, R. (2011). School resources and educational outcomes in developing countries: a review of the literature from 1990 to 2010. National Bureau of Economic Research, 1(w17554).

Guney, Y. (2009). Exogenous and endogenous factors influencing students’ performance in undergraduate accounting modules. Accounting Education: an international journal, 18(1), 51-73.

Haile, Y. G., Alemu, S. M., & Habtewold, T. D. (2017). Insomnia and its temporal association with academic performance among university students: A cross-sectional study. BioMed research international, 2017.

Hair, J., Babin, B., Money, A., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Bookman Companhia Ed.

Harrington, D. R., Kulasekera, K., Bates, R., & Bredahl, M. E. (2006). Determinants of student performance in an undergraduate financial accounting class (No. 1620-2016-134720).

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. (2017). Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Disponível em: . Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. (2017). Exame Nacional de Cursos. Disponível em: .

Karakoc, E. Y. (2016). The Role of Ethical Sensitivity and Self-Esteem on Academic Performance in Accounting Course. Eurasian Journal of Business and Management, 4(2), 95-105.

Keef, S. P., & Roush, M. L. (1997). New Zealand evidence on the performance of accounting students: race, gender and self-concept. Issues in Accounting Education, 12(2), 315.

Lemos, K. C. S., & Miranda, G. J. (2015). Alto e Baixo Desempenho no ENADE: que variáveis explicam? Revista Ambiente Contábil, 7(2), 101-118.

Lepp, A., Barkley, J. E., & Karpinski, A. C. (2014). The relationship between cell phone use, academic performance, anxiety, and satisfaction with life in college students. Computers in Human Behavior, 31(1), 343-350.

Lin, Y., Clough, P. J., Welch, J., & Papageorgiou, K. A. (2017). Individual differences in mental toughness associate with academic performance and income. Personality and Individual Differences, 113, 178183.

Liu, Y., Robinson, M. N., & Xu, H. (2018). The Effect of Mindset on Students' Desire to Work for Big Four Accounting Firms and on Academic Performance. e-Journal of Business Education and Scholarship of Teaching, 12(2), 92-106.

Madeira, G. J., Mendonça, K. F. C., & Abreu, S. M. (2003). A disciplina teoria da contabilidade nos exames de suficiência e provão. Contabilidade Vista & Revista, 14, 103-122.

Mamede, S. D. P. N., Marques, A. V. C., Rogers, P., & Miranda, G. J. (2015). Psychological determinants of academic achievement in accounting: evidence from Brazil. Brazilian Business Review, 12(Special Ed), 50-71.

Mancebo, D., DO VALE, A. A., & MARTINS, T. B. (2015). Políticas de expansão da educação superior no Brasil 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, 20(60), 31-50.

Maniates, M. (2017). Higher education for a post-growth world. The Chronicle Review, 1(7), 10-12.

Masasi, N. J. (2012). How personal attribute affect students’ performance in undergraduate accounting course: A case of adult learner in Tanzania. International Journal of Academic Research in Accounting, Finance and Management Sciences, 2(2), 201-211.

Mehmood, F., Sadaf, T., & Kousar, R. (2017). Gendered academic performance in two public universities in Faisalabad, Pakistan. Science International, 29(4), 711-717.

Meurer, A. M., Pedersini, D. R., Antonelli, R. A., Lopes, I. F., & Musial, N. T. K. (2018). Relação do Desempenho Academico com Caracteristicas Observaveis e Experiencias Estudantis de Discentes de Ciencias Contabeis. Meta: Avaliação, 10(29), 361-386.

Miranda, G. J. (2011). Relações entre as qualificações do professor e o desempenho discente nos cursos de graduação em contabilidade no Brasil (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, São Paulo.

Miranda, G. J., da Castro Casa, S. P., & Junior, E. B. C. (2013). The accounting education gap in Brazil. China-USA Business Review, 12(4).

Miranda, G. J., da Silva Lemos, K. C., de Oliveira, A. S., & Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho acadêmico na área de negócios. Meta: Avaliação, 7(20), 175-209.

Moleta, D., Ribeiro, F., & Clemente, A. (2017). Fatores Determinantes Para O Desempenho Acadêmico: Uma Pesquisa Com Estudantes De Ciências Contábeis. Revista Capital Científico-Eletrônica, 15(3), 24-41.

Monteiro, S. C., da Silva Almeida, L., & Vasconcelos, R. M. D. C. F. (2012). Abordagens à aprendizagem, autorregulação e motivação: convergência no desempenho acadêmico excelente. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 13(2), 153-162.

Munhoz, A. M. H. (2004). Uma análise multidimensional da relação entre inteligência e desempenho acadêmico em universitários ingressantes (Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas.

Nascimento, C. D. L. (2005). Qualidade do ensino superior de ciências contábeis: um diagnóstico nas instituições localizadas na região norte do estado do Paraná. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 2(3), 155-166.

Nogueira, D. R., Costa, J. D., Takamatsu, R. T., & Reis, L. D. (2013). Fatores que impactam o desempenho acadêmico: uma análise com discentes do curso de ciências contábeis no ensino presencial. RICRevista de Informação Contábil, 7(3), 51-62.

Paiva, M. O. A., & Lourenço, A. A. (2011). Rendimento Académico: influência do autoconceito e do ambiente de sala de aula. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27(4), 393-402.

PloS one, 12(8). Smolentseva, A. (2017). Universal higher education and positional advantage: Soviet legacies and neoliberal transformations in Russia. Higher education, 73(2), 209-226.

Rangel, J. R., & Miranda, G. J. (2016). Desempenho Acadêmico e o Uso de Redes Sociais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 11(2).

Rocha Moura, A. C., Miranda, G. J., & Pereira, J. M. (2015). Desempenho acadêmico em ciências contábeis: turno noturno versus diurno. Enfoque: Reflexão Contábil, 34(1), 57-70.

Rodrigues, B. C., Resende, M. S., Miranda, G. J., & Pereira, J. M. (2016). Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de ciências contábeis no ensino a distância. Enfoque: Reflexão Contábil, 35(2), 139-153.

Ru-Jer, W. (2012). Social class barriers of the massification of higher education in Taiwan. Chinese Education & Society, 45(5-6), 70-81.

Salas-Velasco, M. (2019). Can educational laws improve efficiency in education production? Assessing students’ academic performance at Spanish public universities, 2008–2014. Higher Education, 77(6), 1103-1123.

Santos, N. A. (2012). Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de Ciências Contábeis (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, São Paulo.

Schmidt, S., Zlatkin‐Troitschanskaia, O., & Fox, J. P. (2016). Pretest‐Posttest‐Posttest Multilevel IRT Modeling of Competence Growth of Students in Higher Education in Germany. Journal of Educational Measurement, 53(3), 332-351.

Smirnov, I., & Thurner, S. (2017). Formation of homophily in academic performance: Students change their friends rather than performance.

Soares, H. F. G., & da Barbedo, C. H. S. (2013). Desempenho acadêmico e a teoria do prospecto: estudo empírico sobre o comportamento decisório. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 17(1), 64-82.

Souza, E. S. (2008). ENADE 2006: determinantes do desempenho dos cursos de Ciências Contábeis (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília/Universidade Federal da Paraíba/Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa Multi-institucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Brasília.

Souza, P. V. S. D., Cruz, U. L. D., & Lyrio, E. F. (2017). A Relação do Exame de Suficiência Contábil com o Desempenho Discente e a Qualidade dos Cursos Superiores em Ciências Contábeis do Brasil. Revista Ambiente Contábil, 9(2), 179-199.

Wang, T. (2017). The effect of virtual reality on learning motivation and academic performance (PhD Thesis). Emporia State University, Department of Instructional Design & Technology, Emporia US.

York, T. T., Gibson, C., & Rankin, S. (2015). Defining and Measuring Academic Success. Practical Assessment, Research & Evaluation, 20.

Zaidi, U., Hammad, L. F., Awad, S. S., Qasem, H. D., & Al-Mahdi, N. A. (2017). Problem-based learning vs. traditional teaching methods: self-efficacy and academic performance among students of health and rehabilitation sciences college, PNU. Science International, 29(3), 547-551.

Zhang, W. (2015). Learning variables, in-class laptop multitasking and academic performance: A path analysis. Computers & Education, 81, 82-88.

Zonatto, V. C. D. S., Dallabona, L. F., Moura, G. D. D., Domingues, M. J. C. D. S., & Rausch, R. B. (2013). Evidências da Relação entre Qualificação Docente e Desempenho Acadêmico: uma análise à luz da Teoria do Capital Humano. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(1).