Sustentabilidade: uma Abordagem das Percepções de Professores do Ensino Superior Outros Idiomas

ID:
55863
Resumo:
A pesquisa objetiva identificar as percepções dos professores de uma instituição de ensino superior localizada no município de Chapecó (SC) acerca da temática sustentabilidade. Quanto às características metodológicas, o estudo se caracteriza como descritivo, realizado por meio de survey, com aplicação de questionários para a amostra composta por 97 professores atuantes na instituição. Os resultados evidenciam que 54,9% dos respondentes relacionam a temática sustentabilidade com a abordagem de cunho ambiental, 33,8% relacionam às questões sociais, enquanto 11,3% ponderam a abordagem econômico-financeira. Quanto ao conceito, 72,2% consideram que a sustentabilidade envolve a preocupação e ações conjuntas que consideram o desempenho econômico, financeiro, ambiental e social. Entre as preocupações e objetivos das organizações, 74,5% da amostra indica a qualidade dos produtos ou serviços; 67,0% consideram o consumo consciente e responsável dos recursos naturais e 64,0% indicam o uso de tecnologias limpas, como fator importante para o contexto organizacional. Destacase a importância das discussões acerca da sustentabilidade, especialmente no ambiente acadêmico, em prol da conscientização dos objetivos do desenvolvimento sustentável.
Citação ABNT:
ZANELLA, C.; KRUGER, S. D.; BARICHELLO, R. Sustentabilidade: uma Abordagem das Percepções de Professores do Ensino Superior . Revista de Administração IMED, v. 9, n. 2, p. 73-93, 2019.
Citação APA:
Zanella, C., Kruger, S. D., & Barichello, R. (2019). Sustentabilidade: uma Abordagem das Percepções de Professores do Ensino Superior . Revista de Administração IMED, 9(2), 73-93.
DOI:
https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i2.3499
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/55863/sustentabilidade--uma-abordagem-das-percepcoes-de-professores-do-ensino-superior-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
United Nations, World Commission on Environment and Development. (1987). Our common future: report of the World Commission on Environment and Development.

Abu-Alruz, J., Hailat, S., Al-Jaradat, M., Khasawneh, S. (2018). Attitudes toward pillars of sustainable development: the case for university science education students in Jordan. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 64-73.

Albarello, E. P. (2011). As transformações recentes na cadeia suinícola e suas consequências no desenvolvimento local: o caso do médio alto Uruguai gaúcho. (Dissertação de Mestrado). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Programa de PósGraduação em Desenvolvimento Regional, Ijuí, RS.

Ambrozini, L. S. (2017). Pressões internas e externas na utilização de padrões de divulgação de informações socioambientais amplamente aceitos: uma análise sobre estrutura de governança corporativa, ambiente institucional e a perspectiva de legitimação. Revista Contemporânea de Contabilidade, 14(31), 3-25.

Barin-Cruz, L., Pedrozo, E., Martinet, A. C. (2007). Estratégia de desenvolvimento sustentável: integração matriz/filial numa multinacional siderúrgica europeia. Revista Eletrônica de Administração, 13, 1-22.

Barth, M. (2018). Many roads lead to sustainability: a process-oriented analysis of change in higher education. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 64-73.

Becker, D. V., Ávila, L. V., Nascimento. L. V. M., Madruga, L. R. L. G. (2015). Educação para a sustentabilidade no ensino superior: o papel do docente na formação do administrador. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 19(3), 615-628.

Brunstein, J., Jaime, P., Curi, D. P., D’Angelo, M. J., Mainardes, E. W. (2015). Assessment and evaluation of higher education in business management: an analysis of the Brazilian case in the light of social learning theory for sustainability. Assessment & Evaluation in Higher Education, 40(6), 833-854.

Camargo, T. F., Zanin, A., Mazzioni, S., Moura, G. D., Afonso, P. S. L. (2018). Sustainability indicators in the swine industry of the Brazilian state of Santa Catarina. Environment, Development and Sustainability, 20(1), 65-81.

Campos, S. A. P., Estivalete, V. F. B., Machado, M.S. (2008). Perspectivas da sustentabilidade e a relação com os stakeholders: um estudo envolvendo uma rede horizontal do segmento do varejo. In Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente, Porto Alegre, 2008. Anais... Porto Alegre.

Correa, J., Gonçalves, M., Sanches, S., Moraes, R. (2018). Disclosure socioambiental de empresas norte-americanas listadas na Nyse: características e os possíveis fatores para a divulgação voluntária. Contabilidade Vista & Revista, 28(2), 53-77.

Costa, T., & Santos, S. S. (2009). Organizações da sociedade civil e as construções teóricas contemporâneas acerca da sustentabilidade. Cadernos Gestão Social, 2(1), 105-120.

Elkington, J. (1998). Cannibals with forks: the triple botton line of 21st century business. Philadelphia: New Society.

Feil, A. A., & Schreiber, D. (2017). Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cadernos EBAPE.BR, 15(3), 667-681.

Fernandes, A. R. de., Fonseca, S. E., Cunha, C. L. (2018). Responsabilidade social e influências sobre retornos de cotações: um estudo acerca do desempenho de índices de sustentabilidade. Revista Administração em Diálogo, 20(1), 25-39.

Franco, I. T., Teixeira, M. G., De Azevedo, D. B., Moura-Leite, R. C. (2015). A inserção da temática de sustentabilidade na formação de futuros gestores: como os professores se deparam com o assunto? Administração: Ensino e Pesquisa, 16(3), 571-607.

Ghoshal, S. (2005). Bad management theories are destroying good management. Practices Academy of Management Learning & Education, 4(1), 75-91.

Hofman-Bergholm, M. (2018). Changes in thoughts and actions as requirements for a sustainable future: a review of recent research on the finish educational system and sustainable development. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 19-30.

Kruger, S. D., & Petri, S. M. (2019). Avaliação da sustentabilidade da produção suinícola sob o enfoque das externalidades. Revista Universo Contábil, 14(2), 137-161.

Kruger, S. D., Pfitscher, E. D., Uhlmann, V. O., Petri, S. M. (2013). Sustentabilidade ambiental: estudo em uma instituição de ensino catarinense. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(1), 98-112.

Kruger, S. D., Zanella, C., Barichello, R., Petri, S. M. (2018). Sustentabilidade: uma abordagem acerca das percepções dos acadêmicos de uma instituição de ensino superior de Santa Catarina. Revista GUAL, 11(3), 86-104.

Lazaretti, K., Giotto, O. T., Sehnem, S., Bencke, F. F. (2019). Building sustainability and innovation in organizations. Benchmarking: an International Journal, ahead-of-print.

Mebratu, D. (1998). Sustainability and sustainable development: historical and conceptual review. Environmental Impact Assessment Review, 18(6), 493-520.

Paiva, L. E. B., Lima, T. C. B., Rebouças, S. M. D. P., Ferreira, E. M. D. M., Fontenele, R. E. S. (2018). Influência da sustentabilidade e da inovação na intenção empreendedora de universitários brasileiros e portugueses. Cadernos EBAPE.BR, 16(4), 732-747.

Paula, A. P. P. D., & Keinert, T. M. M. (2016). Inovações institucionais participativas: uma abordagem exploratória da produção brasileira em administração pública na RAP e no EnAPG (1990-2014). Cadernos EBAPE.BR, 14(3), 744-758.

Petarnella, L., Silveira, A., Machado, N. S. (2017). Educação ambiental e ensino de sustentabilidade: reflexões no contexto da administração. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 6(1), 1-12.

Quintero, Y. A. R., Faria, M. C., Llamarte, C. S. (2017). Responsabilidad social en universidades de gestión privada en Barranquilla, Colombia. Revista de Ciencias Sociales, 23(3), 48-62.

Raupp, F. M., & Beuren, I. M. (2004). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In Beuren, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas. p. 76-97.

Santiago-Brown, I., Metcalfe, A., Jerram, C., Collins, C. (2015). Sustainability assessment in wine-grape growing in the new world: economic, environmental, and social indicators for agricultural businesses. Sustainability, 7(7), 8178-8204.

Sehnem, S. (2019). Circular business models: babbling initial exploratory. Environmental Quality Management, 28(1), 83-96.

Sehnem, S., Santos, A. A. P., Silva, C. G. (2019). Is the sustainability a driver of the circular economy? Social Responsibility Journal, 1, p. 1747-1117.

Trigo, A. G. M., Lima, R. S. X., Oliveira, D. M. de. (2014). Índice de sustentabilidade socioambiental no ensino. Revista de Administração da UFSM, 7, 07-22.

Trindade, N. R., Marques, C. S., Piveta, M. N., Favarin, R. R., Telocken, S. G., Trevisan, M. (2018). Educação para sustentabilidade e teorias de aprendizagem: um estudo bibliométrico dos últimos 10 anos. Revista de Administração da UFSM, 11(n. especial), 402-420.

United Nations Global Compact. (2015). nd. Recuperado em 22 de janeiro, 2019, de https://www.unglobalcompact.org/.

Veisson, M., & Kabaday, A. (2018). Exploring the preschool teachers’ views on professionalism, quality of education and sustainability: international study in Estonia and Turkey. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 5-18.

Zamberlan, J. F., Bortolotto, R. P., Ramos, J. P., Cabral, H., Jesus, G.M., Leão, D., & Frizzo, K. (2015). A sustentabilidade no ensino técnico em administração: currículo oficial ou oculto. HOLOS, 31(1), 214-226.