Site responsivo e sua utilização nos resort do Brasil Outros Idiomas

ID:
56335
Resumo:
A cada dia surgem novas tecnologias e dispositivos para acessar internet e estes novos equipamentos possuem telas de diferentes tamanhos e recursos cada vez mais inteligentes, entre eles, smartphones, tables, smart TV, desktop, notebook. O tema site responsivo quase surge como uma necessidade cada vez maior neste cenário, onde clientes cada vez mais conectados acessam a internet utilizando dispositivos com diferentes configurações, o termo site ou layout responsivo, também conhecido como site flexível significa que o site automaticamente se encaixa no dispositivo do usuário (seja PC, celular, tablet, etc) a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido. Percebe-se a importância da utilização desta tecnologia no site dos meios de hospedagem podendo fazer toda a diferença na decisão da compra, pois o cliente que encontrar dificuldade de acesso ao site dificilmente irá retornar. O objetivo desta pesquisa é analisar os sites utilizados pelos resorts no Brasil são responsivos, utilizando o cadastro da ABR (Associação Brasileira de Resorts) com 48 resorts. A metodologia utilizada foi a aplicação de teste de cada um dos site utilizando a ferramenta “Mobile-Friendly Test” disponibilizada pela empresa Google, esta ferramenta permite verificar se o site é responsivo ou não apresentando o resultado como se fosse uma tela de um smartphone além de destacar os erros encontrados, cujo resultado foram incluídos numa planilha com posterior tabulação e realização de gráficos, para melhor visualização, utilizando software Excel. Identificou-se que no total de 48 resort pesquisado constatou-se que 7 não possuem sites responsivos.
Citação ABNT:
STURMER, C. R.; SOUZA, C. A. Site responsivo e sua utilização nos resort do Brasil. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 7, n. 1, p. 116-140, 2019.
Citação APA:
Sturmer, C. R., & Souza, C. A. (2019). Site responsivo e sua utilização nos resort do Brasil. Revista de Turismo Contemporâneo, 7(1), 116-140.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/56335/site-responsivo-e-sua-utilizacao-nos-resort-do-brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Litvina, S. W., Goldsmithb, R. E., & Pan, B. (2008). Electronic word-of-mouth in hospitality and tourism management. Tourism Management, 29(1), 458–468.

Abreu, N. R. & Baldanza, R. F. (2009). Internet no Setor Hoteleiro: uma abordagem sob a ótica dos empresários e dos turistas. Turismo em Análise, 20(3).

Altermann, D. (2012). Design Responsivo: Entenda o que é a técnica e como ela funciona. Recuperado 20, setembro, 2016, de http://www.midiatismo.com.br/design-responsivoentenda-o-que-e-a-tecnica-e-como-ela-funciona.

Araujo, J. B. (2015). Uma análise do cenário publicitário on-line no ano em que o móbile ultrapassou o desktop. Recuperado em 02, agosto, 2016, de http://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-0087-1.pdf.

Arrigoni, R. (2013). Responsive Design: dicas para tornar seu site acessível em qualquer resolução. Recuperado de http://www.devmedia.com.br/responsive-design-dicas-para-tornarseu-site-acessivelem-qualquer-resolucao/28316 Associação Resorts Brasil. Relação de resorts associados. Recuperado em 01, maio, 2018, de https://www.resortsbrasil.com.br.

Barbosa, F. S. (2014). Distribuição eletrônica na hotelaria: um estudo de caso do Hotel Casa de Praia, Fortaleza, Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, 7(3), 539-550.

Boaria, F., Limberger, P. F., & Anjos, S. J. G. (2014). Canais de distribuição nas redes hoteleiras do Brasil relação e alteração na era das TICs. Caderno Estudos Pesquisa Turismo, Curitiba, 3, 72-94.

Brasil. (2002). Regulamento Geral dos Meios de Hospedagem. Deliberação Normativa n° 429, de 23 de Abril de 2002. Brasília.

Brey, E. T. (2011). A Taxonomy for Resorts. Cornell Hospitality Quarterly, 53(3), 283-290.

Buhalis, D. & Licata, M. C. (2002). The future eTourism intermediaries. Tourism Management, 23(1), 207–220.

Buhalis, D. & O'Connor, P. (2005). Information Communication Technology Revolutionizing Tourism. Tourism Recreation Research, 30(3), 7-16.

Buhalis, D. (1998). Strategic use of information technologies in the tourism industry. Tourism Management, 19(5), 409-421.

Cardoso, R. C. (2005). Dimensões sociais do turismo sustentável: estudo sobre a contribuição dos resorts de praia para o desenvolvimento das comunidades locais. Tese de doutorado em Administração de Empresas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, Brasil.

Ciriaco. D. (2018). Mais de 4 bilhões de pessoas usam a internet ao redor do mundo. Recuperado em 20, maio, 2019, de https://www.tecmundo.com.br/internet/126654-4-bilhoespessoas-usam-internet-no-mundo.htm.

Cruz, G. & Gândara, J. M.G. (2003). O Turismo, a Hotelaria e as Tecnologias Digitais. Turismo Visão e Ação, 5(2), 105-127.

Duarte, V. (1998). Sistema de gestão hoteleira. São Paulo: SENAC.

Ethan, M. (2010). Web design responsivo. Recuperado em 10, maio, 2016, de http://alistapart.com/article/responsive-web-design.

Gaspar, M. A., Santos, S. A., Fernandes Pólo, E., & Liviero Fernandes Pólo, F. (2010). Atendimento virtual como fator de vantagem competitiva por diferenciação em hotéis resort no brasil. Turismo Visão e Ação, 12(2), 248-269.

Google. Webmasters. (2016). Retrieved August, 25, 2016, from https://developers.google.com/webmasters/mobile-sites/?hl=pt-br.

Gosson, G. A. O., Araújo, M. V. A. P., Oliveira, P. W. S., Araújo, A. G., & Alexandre, M. L. (2014). Influência dos intermediarios de distribuição de produtos turísticos no processo de decisão do meio de hospedagem pelo consumidor. Tourism & Management Studies, 10(2), 123-132.

Grampa, R. L., Nascimento, R. C., & Wada, E. K. (2012). Resorts no Brasil: tipologia ou nome fantasia?. Anais do Seminário da Associação Nacional Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, São Paulo, SP, Brasil, 9.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Uso de internet, televisão e celular no Brasil. Recuperado em 25, maio, 2019, de https://educa.ibge.gov.br/jovens/materiasespeciais/materias-especiais/20787-uso-de-internet-televisao-e-celular-nobrasil.html#subtitulo-1.

Kemp. K. (2018). Digital in 2018: Word´s internet users pass the 4 billion mark. Retrieved, May, 20, from https://www.tecmundo.com.br/internet/126654-4-bilhoes-pessoas-usaminternet-no-mundo.htm.

King, B. & Whitelaw, P. (2003). Resorts in Australian Tourism: A recipe for confusion?. The Journal of Tourism Studies, 14(1), 59-66.

Lepage, P. (2016). Princípios básicos de Web design responsivo. Recuperado em 20, agosto, 2016, de https://developers.google.com/web/fundamentals/design-and-ui/responsive/?hl=ptbr.

Life. (2016). Cada vez mais conectados. Recuperado em 12, julho, 2018, de http://www.agencialife.com.br/cada-vez-mais-conectados.

Lima, B. S. (2013). O uso da internet na venda e divulgação dos produtos e serviços de hospedagem: o caso de Dourados/MS – Brasil. Revista Hospitalidade, São Paulo, X(2), 387407.

Lobianco, M. M. L. & Ramos, A. S. M. (2004). Uso da internet no setor de hotelaria de Recife-PE. RAE-eletrônica, 3(2).

Ministério do Turismo. (2015). Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass). Recuperado em 10, outubro, 2016, de http://www.turismo.gov.br/acesso-ainformacao/63-acoes-e-programas/5021-sistema-brasileiro-de-classificacao-de-meios-dehospedagem-sbclass.html.

Mondo, T. S., Santos, F., & Costa, J. I. P. (2010). Os websites vistos da perspectiva do cliente: um estudo na hotelaria. Observatório de Inovação do Turismo – Revista Acadêmica, Rio de Janeiro, V(4).

Motta, A., Ferreira, G. F., Munhoz, J., & Almeida, C. A. (2007). Conceituação de hotéis exclusivos. Revista Acadêmica do Observatório de Inovação do Turismo, 2(4), 1-13.

Richard, S. & Bacon, P. (2011). Resorts: a foco on value. Madrid: HVS. Part I of II.

Sampaio, C. F. (2009). O turismo e a territorialização dos resorts: a praia do Porto das Dunas como enclave em Aquiraz-CE. Dissertação de mestrado em Geografia, Universidade Estadual do Ceará, Ceará, CE, Brasil.

Souza, S. C. N. & Igarashi, W. (2012). Web Design Responsivo no desenvolvimento de aplicações multi-dispositivos. Recuperado em 29, maio, 2016, de http://www.espweb.uem.br/site/files/tcc/2012/Saulo%20Campos%20Nunes%20de%20Souza %20- %20Web%20design%20responsivo%20no%20desenvolvimento%20de%20aplicacoes%20mu lti-dispositivos.pdf.

Teixeira, F. (2016). O que é Responsive Web Design?. Recuperado em 09, setembro, 2016, de http://arquiteturadeinformacao.com/mobile/o-que-e-responsive-web-design/

Templatesforall. (2016). JmHotel Template For Luxury Restaurantes: Rooms&Suits. Retrieved Seotember, 29, 2016, from http://www.templates4all.com/jm-hotel-joomlatemplate-for-luxury-restaurants-rooms-suites

Turchi, S. (2016). Desafio de como satisfazer consumidores hiperconectados. Recuperado em 05, setembro, 2016, de http://sandraturchi.com.br/desafio-de-como-satisfazer-consumidoreshiperconectados

Vale, R. F.F. (2014). Aplicação multi-dispositivo responsiva para o Setor da restauração. Recuperado em 05, setembro, 2016, de http://repositorio.ipvc.pt/handle/20.500.11960/1285.