Saberes e Sabores do Turismo na Paraíba: Uma Análise de um Guia de Viagem Outros Idiomas

ID:
56761
Resumo:
As resenhas gastronômicas dos guias de viagens constroem uma imagem não somente da oferta de restaurantes do destino, mas também da cultura, dos hábitos alimentares e das tradições dos sabores dos lugares. Neste sentido, este estudo tem como objetivo compreender como a gastronomia paraibana se apresenta como atrativo turístico no Guia Quatro Rodas. Mais especificamente, analisa como a gastronomia de João Pessoa, capital da Paraíba (Brasil), é apresentada por este guia para a demanda turística. Este estudo é de abordagem qualitativa e os resultados demonstram que o Guia reforça a ideia de um nordeste reduzido ao sertão, ao apresentar hábitos alimentares que remetem à identidade alegórica da figura do povo sertanejo, mesmo em territórios litorâneos. As mensagens veiculadas desvalorizam a diversidade de sabores e de transformações da própria cozinha nordestino-paraibana, assim como a oferta de novas opções gastronômicas na capital paraibana.
Citação ABNT:
SANTIAGO, M. P.; MEDINA, J. C. C.; BRASILEIRO, M. D. S. Saberes e Sabores do Turismo na Paraíba: Uma Análise de um Guia de Viagem. Caderno Virtual de Turismo, v. 19, n. 3, p. 1-12, 2019.
Citação APA:
Santiago, M. P., Medina, J. C. C., & Brasileiro, M. D. S. (2019). Saberes e Sabores do Turismo na Paraíba: Uma Análise de um Guia de Viagem. Caderno Virtual de Turismo, 19(3), 1-12.
DOI:
https://doi.org/10.18472/cvt.19n3.2019.1460
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/56761/saberes-e-sabores-do-turismo-na-paraiba--uma-analise-de-um-guia-de-viagem/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, L. Analise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARROCO, L. M. S. A importância da Gastronomia como Patrimônio Cultural, no Turismo Baiano. TURyDES: Revista de investigación en turismo y desarrollo local. Málaga (España), v. 1, n. 2, março. 2008. Disponível em:http://www.eumed.net/rev/turydes/02/sbb.htm . Acesso: 20 de julho de 2017.

BOTELHO, R. B. A. Culinária Regional: o Nordeste e a Alimentação Saudável. Tese em Ciências da Saúde. Brasília: Brasil, 2006.

BOURDIEU, P. La distinción. Critérios y bases sociales del gusto. Madrid: Taurus, 1988.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 2012.

BRASIL, Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo. Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 1, Sensibilização. Brasília: Ministério do Turismo, 2004.

BRASILEIRO, M. D. S. Desenvolvimento e turismo: para além do paradigma econômico, In: Brasileiro, M. D. S.; Medina, J. C. C.; Coriolano, L. N.: Turismo, cultura e desenvolvimento. Campina Grande: EDUEPB, 2012.

BRASILEIRO, M. D. S. O trabalho imaterial na construção do desenvolvimento e das novas territorialidades. In: Brasileiro, M. D. S.; Medina, J. C. C.; Desenvolvimento Territorial, Cultura e Turismo: uma abordagem multidisciplinar. Campina Grande: EDUEPB, 2015.

BRASILEIRO, M. D. S. Pluralidade metodológica: um diálogo entre o qualitativo e o quantitativo nas ciências sociais. In: DINIZ, A.; BRASILEIRO. M. D.; LATIESA, M. (Org.). Cartografias das novas investigações em sociologia. João Pessoa: EDUFPB, 2005.

CAMPBELL, C. e Romantic Ethic and the Spirit of Modern Consumerism. Oxford: Blackwell, 1995.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estrategias para entrar y salir de la modernidad. Buenos Aires: Sudamericana, 1995.

CASTRO, F. M. M., SANTOS J. G. M. A cultura gastronômica como atrativo turístico: relato de uma experiência de pesquisa nos Restaurantes de Aracaju/SE. Revista Hospitalidade. São Paulo, v. IX, n. 2, p. 155-174, jul.dez. 2012. http://www.eumed.net/rev/turydes/02/sbb.htm . Acesso em 20 de julho de 2012.

CUNHA, Euclides da. Os sertões. São Paulo: Círculo do Livro, 1982.

CUNHA, K. B.; OLIVEIRA, L. V. A. Gastronomia enquanto atrativo turístico-cultural. Artigo para Conclusão de Curso de Pós-Graduação, Goiás: Universidade Estadual de Goiás, 2009.

DA MATTA, R. O que faz do Brasil, Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. The SAGE Handbook of Qualitative Research. Califórnia: Thousand Oaks, 2000.

DIETZ, A. Take away entre fronteiras: comida e sentimento de pertencimento entre migrantes italianos na Irlanda do Norte. Revista Espaço Plural. Marechal Cândido Rondon, v. 10, n. 20, p. 11-20, 2009. http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/article/view/2448/1848.

DÓRIA, C. A. A formação da culinária brasileira. São Paulo: Publifolha, 2009.

ELIAS, N. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

FAGLIARI, G. S. Turismo e alimentação: análises introdutórias. São Paulo: Roca, 2005.

FALK, D. Brain evolution in Homo: The “radiator” theory. Behavioral and brain sciences. n. 13, p. 333-344, 1990. http://www.academia.edu/3214946/Brain_evolution_in_Homo_the_radiator_theory. Acesso em 20 de março de2014.

FOX, R. Reinventing the gastronomic identity of Croatian tourist destinations. International Journal of Hospitality Management, 26 (2007) 546-559. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278431906000247.

FREYRE, G. Açúcar. Uma Sociologia do doce. São Paulo: Global, 2007.

Guia ABRASEL PB 2014/ 2015. Paraíba, 2014 Guia Brasil Quatro Rodas 2005. São Paulo: Ed. Abril. 2004.

Guia Brasil Quatro Rodas 2005. São Paulo: Ed. Abril. 2004.

Guia Brasil Quatro Rodas 2007. São Paulo: Ed. Abril, 2006.

Guia Brasil Quatro Rodas 2011. São Paulo: Ed. Abril, 2010.

Guia Brasil Quatro Rodas 2012. São Paulo: Ed. Abril, 2011.

Guia Brasil Quatro Rodas 2013. São Paulo: Ed. Abril, 2012.

Guia Brasil Quatro Rodas 2014. São Paulo: Ed. Abril, 2013.

Guia Brasil Quatro Rodas 2015. São Paulo: Ed. Abril, 2014.

HARRIS, M. Bueno para comer. Madrid: Alianza, 1994.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

HENRIQUES, C.; CUSTODIO, M. J. Turismo e Gastronomia: a valorização do património gastronómico na região do Algarve. Encontros Científicos, Faro, n. 6, 2010. http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?pid=S1646-24082010000100008&script=sci_arttext.

HENRIQUES, C.; HENRIQUES L. Turismo, Cultura e Gastronomia. O caso do produto Gastronomia & Vinhos no Algarve (Portugal). Anais do VI SEMINTUR, Mestrado em Turismo, Universidade Caxias do Sul. 2010.

LÉVI-STRAUSS, C. O cru e o cozido.Mitológicas 1. São Paulo: CosacNaify, 2004.

LÉVI-STRAUSS, C. The origin of Table Manners. London: Harper & Rowe, 1978.

MONTANARI, M. Comida como cultura. São Paulo: Editora Senac, 2008.

QUAN, S.; WANG, N. Towards a structural model of the tourist experience: an illustration from food experiences in tourism, Tourism Management 25 (2004), p. 297-305. 2004. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0261517703001304>.

RICHARDS, G. Gastronomy: an essential ingredient in tourism production and consumption. Tourism and Gastronomy. Routledge, p. 3-20. 2002. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0261517703001304>. Acesso em 20 de março de 2002.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.

SILVA, Paula Pinto e. Farinha, feijão e carne seca: um tripé culinário no Brasil colonial. São Paulo: Senac, 2005.