Turismo Esportivo de Experiência em Museus e Tours em Estádios de Futebol Outros Idiomas

ID:
56766
Resumo:
O futebol é singular quanto ao poder de atração, mobilização de pessoas e transmissão de emoções e sentimentos. Para instituições que internacionalizam suas marcas, seu público alvo passa a não ser mais somente o local e com isso, abre uma nova oportunidade de receita através do turismo esportivo, com visitação a museus e tour nos estádios. Nesse contexto, o objetivo desse estudo é investigar se os espaços esportivos de Boca Juniors, Real Madrid, Barcelona, Benfica e Maracanã estão alinhados com a teoria sobre turismo de experiência como forma de qualificação de um atrativo turístico. Assim, foi realizada uma pesquisa qualitativa e exploratória, com coleta de dados realizada in loco, utilizando a técnica de observação não participativa. A análise foi feita englobando aspectos multidimensionais relacionados à experiência. Os resultados apontam que tais locais são mais do que espaços reservados à memória, pois oferecem uma experiência que leva emoção por novas perspectivas, através do uso de tecnologias.
Citação ABNT:
BEZERRA, M. F.; CURVELLO, P. H.; ZOUAIN, D. M. Turismo Esportivo de Experiência em Museus e Tours em Estádios de Futebol. Caderno Virtual de Turismo, v. 19, n. 3, p. 1-14, 2019.
Citação APA:
Bezerra, M. F., Curvello, P. H., & Zouain, D. M. (2019). Turismo Esportivo de Experiência em Museus e Tours em Estádios de Futebol. Caderno Virtual de Turismo, 19(3), 1-14.
DOI:
https://doi.org/10.18472/cvt.19n3.2019.1516
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/56766/turismo-esportivo-de-experiencia-em-museus-e-tours-em-estadios-de-futebol/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, K. P. R. O uso de elementos sensoriais no ponto de venda aumenta os índices de atratividade, lealdade e preferência dos shoppers à loja?: uma reflexão crítica. 2013. Dissertação (Mestrado em Administração). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

ARANTES, Thiago. Nos museus, Barcelona ganha fácil do Real Madrid. http://espn.uol.com.br/noticia/550822_nos-museus-barcelona-ganha-facil-do-real-madrid. Acesso em: 16 dejulhode2017.

ASENSIO, M.; IBAÑEZ, A.; CALDERA, P.; ASENJO, E.; CASTRO, Y. Gestión de Colecciones: documentación y conservación. Madrid: Series de Investigación Iberoamericana de Museología. 2012.

AYEH, Jullian; AU, Norman; LAW, Rob. Do we believe in TripAdvisor? examing credibility perceptions and online travelers’ atitude toward using user-generated contente. Journal of Travel Research, v. 52, n. 4, 2013

BAHL, Miguel. Legados Étnicos & Ofertas Turísticas. Curitiba: Juruá. 2004.

BARBOSA, C. R..; PORTO, R. M. A. B.; MARTINS, C. E. M. A. Museus: sistemas de informação para uma realidade virtual. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Rio de Janeiro-RJ, 2013. < http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/xiiienancib/paper/viewFile/3924/3047> Acesso em: 26 abr, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011

BENI, M. Análise Estrutural do Turismo. 5 ed.). São Paulo, SP: SENAC. 2001.

BEZERRA, M. F.; FEITOSA, P. R.; GOMES, J. S. Internacionalização De Clubes De Futebol: Paralelo Entre Clubes Europeus E Brasileiros. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestión, v. XV, n. 30, 2017.

BITTENCOURT, J. N. As coisas dentro da coisa: observações sobre museus, artefatos e coleções. In: AZEVEDO, Flávia Lemos Mota de; PIRES, João RIcardo Ferreira; CATÂO, Leandro Pena. (Org.). Cidadania, Memória e Patrimônio: As dimensões do museu no cenário atual. 1 ed. Belo Horizonte: Crisálida, 2009, v. 1, p. 1-212.

BUENOS AIRES CIUDAD. Web Oficial de Turismo de Buenos Aires. https://turismo.buenosaires.gob.ar/es . Acesso em: 26 dejulhode2017.

CARSON, M. Os campeões: por trás da mente dos grandes líderes do futebol. São Paulo: Belas-Letras, 2015.

CARVALHEDO, A. Tourism as a cultural legacy of the Olympic games”. In: SYMPOSIUM OF THE INTERNATIONAL CHAIR IN OLYMPISM – LEGACY OF THE OLYMPIC GAMES – 1984/2000, 5. Anais… 2002, Barcelona. < https://library.olympic.org/Default/doc/SYRACUSE/68159/the-legacy-of-the-olympic-games-1984-2000international-symposium-lausanne-14th-15th-and-16th-novemb?_lg=en-GB>

CARVALHO, R. M. R. Comunicação e informação de museus na Internet e o visitante virtual. Museologia e Patrimônio, v. 1, n. 1, 2008.

CIDADE DE LISBOA. Turismo de Lisboa. www.visitlisboa.com. Acesso em: 26dejulhode2017.

CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Visit Rio. ww.visit.rio.br. Acesso em: 26 dejulhode2017.

CIUDAD DE BARCELONA. Visit Barcelona. http://www.barcelonaturisme.com/wv3/es/page/96/museos-deportivos.html. Acesso em: 26 de ulhode2017.

CIUDAD DE MADRID. Web Oficial de Turismo de Madrid. https://www.esmadrid.com/pt . Acesso em: 26 dejulhode2017.

CLUB ATLÉTICO BOCA JUNIORS. Museo de La Passion Boquense. http://www.museoboquense.com/museo-boquense.php . Acesso em: 26 de julhode2017.

COSTA, T. C. Museu Do Futebol: A Museografia Como Arte e Diversão. Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação, 11, Centro Universitário Ritter dos Reis, p. 1-12, 2015. < https:// www.uniritter.edu.br/files/sepesq/arquivos_trabalhos/3612/733/1413.pdf>

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DEL CHIAPPA, G.; ANDREU, L.; GALLARZA, M. G. Emotions and visitors’ satisfaction at a museum. International Journal of Culture, Tourism and Hospitality Research, v.8, n. 4, p. 420-431, 2014.

DUNNING, J. H. Multinational Enterprises and the Global Economy. Inglaterra: Addison-Wesley. 1999.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC. 2002.

FUTBOL CLUB BARCELONA. Camp Nou Experience.https://www.fcbarcelona.com/tour/buytickets.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Atlas. 1999.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 20-29. 1995.

GOSLING, M. S., SILVA, J. A., MENDES, J., COELHO, M. F.; BRENER, I. Experiência turística em museus: percepções de gestores e visitantes. Tourism & Management Studies, v. 12, n. 2, p. 107-116, 2016.

GOULDING, C. The Museum Environment and the Visitor Experience. European Journal of Marketing, v. 34, n. 3, p. 261-278, 2000.

HILLER, M. Uma experiência Estética e de Marketing em Museus. In: CONGRESSO INTERNACIONAL EM COMUNICAÇÃO E CONSUMO. Anais... 2011, São Paulo. Disponível em: < http://marcoshiller.com.br/artigos/uma-experiencia-estetica-e-de-marketing-nos-museus-modernos/>.

HUDSON, S. Sports and Adventure Tourism. New York: The Haworth Hospitality Press. 2003.

ISRAEL, K. P. Informação e tecnologia nos museus interativos do contemporâneo. Trabalho de conclusão do curso (Pós-graduação em Cultura, Mídia e Informação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. < http://paineira.usp.br/celacc/?q=pt-br/celacc-tcc/253/detalhe>

LEONCINI, M. P.; SILVA, M. T. Analisando a Indústria do Futebol e suas Dinâmicas: Quais as Forças que Empurram os Clubes de Futebol Rumo a Profissionalização de suas Atividades. Gestão e Produção. São Carlos. v. 12, n. 1, p. 1-20, jan-abr 2002.

MARQUES, R. F. R. Esporte e Qualidade de Vida: reflexão sociológica. 159p. Dissertação (Mestrado em Educação Física) Universidade Estadual de Campinas – UEC, Campinas, 2007. repositorio.unicamp.br/ bitstream/REPOSIP/275231/1/Marques_RenatoFranciscoRodrigues_M.pdf

MELO NETO, F. P. Marketing Esporitvo. Rio de Janeiro: Best Seller, 2013.

MOREIRA, D. Marketing Esportivo, Turismo e Museu: (In) conciliáveis? Séries Iberoamericanas de Museología. Madrid, v. 3, p. 109-121, jan 2012.

NEUHOFER, B.; BUHALIS, D.; LADKIN, A. Conceptualising technology enhanced destination experiences. Journal of Destination Marketing & Management, v. 1, n. 1, p. 36-46, 2012.

OLIVEIRA, A. P. Turismo e Desenvolvimento: planejamento e organização. 5a. ed. São Paulo: Atlas. 2005.

PAFFRATH, R. E.; CASSOL, V. J. Gaming abroad: o uso e gamificação no projeto de um sistema para apoio a turistas.

PINE II, B. J.; GILMORE, J. H. The experience economy: work is theatre and every business a stage. Boston: Harvard Business School Press. 1999.

PORTA, E. El Tour del Bernabéu, el museo más rentable de Madrid. El Economista, janeiro, 2016 Disponível em: http://www.eleconomista.es/madrid/noticias/7271640/01/16/El-Tour-del-Bernabeuelmuseo-mas-rentable-de-Madrid.html. Acesso em: 16 de juhlo de 2016.

REAL MADRID CLUB DE FÚTBOL. Tour Bernabéu. Disponível em:http://www.realmadrid.com/pt/bilhetes/ tour-bernabeu. Acesso em: 19 de julho de 2017.

RIBEIRO, N. A. I. O Turismo Desportivo como estratégia de competitividade para destinos turísticos: o caso da região de Lisboa. 106p. Dissertação (Mestrado em Gestão) Instituto Superior de Gestão ISG, Lisboa, 2014. Disponível em < https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/9425>

ROSS, K. Health tourism: an overview by HSMAI marketing review. 2011. http://www.hospitality.org/news/4010521.html . Acesso em 21 de junho de 2011.

SCHMITT, B. Marketing experimental. São Paulo: Nobel. 2000.

SELLITZ, C.; WRIGHTSMAN, L, S.; COOK, S. W. Métodos de pesquisa das relações sociais. São Paulo: Herder. 1965.

SILVA, J. C.; MENDES FILHO, L. A. M. A influência das tecnologias da informação e comunicação nos destinos turísticos inteligentes. In: XXI Seminário de Pesquisa do CCSA: Cidadania em tempos de intolerância. Natal, RN. 2016.

SORIANO, F. A Bola não entra por acaso – Estratégias Inovadoras de gestão inspiradas no mundo do futebol. São Paulo: Princípio. 2010.

SOUZA, I.; ALVES, L. Jogando nos Museus Virtuais Considerações preliminares: os jogos online como experiência educativa nos museus virtuais brasileiros. In SB GAMES. Salvador, BA. 2011

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas. 1987.

VERGARA, S. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3 ed. Rio de Janeiro: Atlas. 2000.

XIII SBGames, p. 429-437, 2014. PEZZI, E.; VIANNA, S. L. G. A Experiência Turística e o Turismo de Experiência: um estudo sobre as dimensões da experiência memorável. Turismo em Análise, Brasil, v. 26, n. 1, p. 165-187, 2015.

ZIKMUND, W. G. Business research methods. 5 ed. Fort Worth: Dryden. 2000.