Uso da Informação de Custos da Farmácia Hospitalar no Processo de Gestão de um Hospital Privado Outros Idiomas

ID:
56840
Resumo:
Este estudo objetivou analisar o uso da informação de custos no processo decisório em diferentes setores de um hospital, frente às necessidades de seus gestores, a partir das informações geradas pelo setor da farmácia hospitalar. A pesquisa foi desenvolvida a partir de um estudo de caso, com os dados coletados por meio de entrevistas, observações e análises de documentos. Os resultados evidenciam que ocorrem algumas discordâncias quanto a importância da informação de custo gerada pela farmácia hospitalar e dos demais setores. Para os setores estratégicos relacionados aos aspectos monetários, os dados de custos de materiais diretos são obtidos pela apuração do custo médio de aquisição, contudo os valores cobrados no setor de faturamento seguem as tabelas de preços e convênios, sendo a informação de custos pouco útil. No entanto, percebese da administração e direção da entidade que o entendimento é outro, tendo em vista que para apurar o resultado econômico devem ser consideradas as receitas e os custos. Recomenda-se à organização a adoção de um sistema de custos, tanto na farmácia hospitalar, quanto nos demais setores, sejam eles de atividades meio ou fim.
Citação ABNT:
SAYDELLES, L. A. T.; SOARES, C. S.; SANTOS, E. A. D. Uso da Informação de Custos da Farmácia Hospitalar no Processo de Gestão de um Hospital Privado. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 16, n. 1, p. 98-113, 2019.
Citação APA:
Saydelles, L. A. T., Soares, C. S., & Santos, E. A. D. (2019). Uso da Informação de Custos da Farmácia Hospitalar no Processo de Gestão de um Hospital Privado. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 16(1), 98-113.
DOI:
https://doi.org/10.21450/rahis.v16i1.5417
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/56840/uso-da-informacao-de-custos-da-farmacia-hospitalar-no-processo-de-gestao-de-um-hospital-privado/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AJZEN, I. The Theory of Planned Behavior. Organizational Behavior and Human Decision Processes, v. 50, n. 2, p. 179-211, 1991.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEUREN, I. M.; SCHLINDWEIN, N. F. Uso do Custeio por Absorção e do Sistema RKW para gerar informações gerenciais: Um estudo de caso em hospital. ABCustos, v. 3, n. 2, 2008.

BRASIL. Decreto nº 752, de 16 de fevereiro de 1993. Dispõe sobre a concessão do Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos, a que se refere o art. 55, inciso II, da Lei n° 8.212, de 24 de julho de 1991, e dá outras providências. Planalto. DF, 17 fev. 1993.

BRASIL. Ministério da saúde. (2013). nd.. Acesso em 18 de setembro de 2013.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego, 2001. Disponível em: . Acesso em 13 de setembro de 2001.

CÂMARA, R. H. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 6, n. 2, p. 179-191, 2013.

CASTRO, C. M. A prática da pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1977.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. (2012). Resolução nº 568, de 06 de dezembro de 2012. Disponível em .

COSTA, J. S.; FACCHINI, L. A. Utilização de serviços ambulatoriais em Pelotas: onde a população consulta e com que frequência. Revista de Saúde Pública, v. 31, n. 4, p. 360-369, 1997.

FISHBEIN, M., AJZEN, I. (1975). Belief, attitude, intention and behaviour: an introduction to theory and research. Reading, MA: Addison-Wesley, 1975.

MARTINS, E. Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTINS, G. A., CARDOSO, A. M., MELO, K. B., MARTINS, V. F. Práticas Contábeis na Área de Transportes: A Percepção dos Gestores de Microempresas. Revista de Auditoria, Governança e Contabilidade RAGC, v. 3, n. 8, 2015.

OLIVEIRA, D. D. P. R. D. Sistemas de informações gerenciais: estratégicas, táticas, operacionais. São Paulo: Atlas, 2004.

OLIVEIRA, S. H. S., PAGLIUCA L. M. F., BARROSO M. G. T. Análise do círculo de contágio da Teoria da Ação Racional e sua adequação à enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 9, n. 3, p. 866-877, 2007.

SANTOS, E. A., ALMEIDA, L. B. Seguir ou não carreira na área de contabilidade: um estudo sob o enfoque da Teoria do Comportamento Planejado. Revista Contabilidade Finanças, v. 29, n. 76, p. 114-128, 2018.

SANTOS, R. V. Modelagem de sistemas de custos. Revista do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo, v. 7, n. 1, p. 62-74, 1999.

SILVA, P. L., CASTILHO, S. R., FERRAZ, C. V. V. G. Análise dos resultados da aplicação de práticas gerenciais na logística de estoque de uma farmácia hospitalar. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde RAHIS, v. 14, n. 2, 2017.

SOUZA, A. A., RAIMUNDINI, S., SOUZA, N., SILVA, F. F., VALVERDE, E. T., ACHTSCHIN, G. Modelagem do custeio baseado em atividades para farmácias hospitalares. Revista de Informação Contábil, v. 3, n. 1, p. 149-172, 2009.

TANAKA, O. Y., MELO, C. Avaliação de programas de saúde do adolescente: um modo de fazer. Edusp, 2001.

TORRES, R. M., CASTRO, C. G. S. O., PEPE, V. L. E. Atividades da farmácia hospitalar brasileira para com pacientes hospitalizados: uma revisão da literatura. Ciência Saúde Coletiva, v. 12, n. 1, p. 973-984, 2007.