Em Busca de Retenção: Voluntários em uma Ong Brasileira Outros Idiomas

ID:
56953
Resumo:
O presente estudo busca analisar as motivações que levam os atuais e os pretensos voluntários a engajarem-se na atividade voluntária da Fundação Cidade Viva na cidade de João Pessoa-PB. Para tanto, é utilizado o modelo proposto por Cavalcante (2016) que permite traçar o perfil motivacional dos voluntários em momentos distintos, tanto para a expectativa, entrada e evasão dos voluntários. Metodologicamente, optou-se por uma pesquisa descritiva e coleta de dados por meio da aplicação de questionário com voluntários da Fundação Cidade Viva utilizando estatísticas inferenciais (teste t de Student e testes de Bonferroni - ANOVA).Quanto aos resultados mais significativos, verifica-se predominância do perfil altruístas, seguido do perfil justiça social, aprendizagem, afiliação, e o perfil egoísta tanto no modelo de expectativas quando no de entrada. Semelhantemente, o perfil egoísta foi o menos aceito.
Citação ABNT:
AQUINO, M. A. G.; CAVALCANTE, C. E.; CALDAS, P. T.; MENDES, J. S. In Search of Retention: Volunteers in a Brazilian NGO. Revista de Administração da UFSM, v. 13, n. 1, p. 144-164, 2020.
Citação APA:
Aquino, M. A. G., Cavalcante, C. E., Caldas, P. T., & Mendes, J. S. (2020). In Search of Retention: Volunteers in a Brazilian NGO. Revista de Administração da UFSM, 13(1), 144-164.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5902/1983465924970
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/56953/em-busca-de-retencao--voluntarios-em-uma-ong-brasileira/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
AMORIM, H. K.; AMATUZZI, M. M. Vivência comunitária católica e crescimento pessoal. Psico, v. 42, n. 3, 2011.

ASSIS, L. B.; VIEGAS, G.; CKAGNAZAROFF, I. B. Gestão de Recursos Humanos no Terceiro Setor: um estudo descritivo das organizações de Belo Horizonte. GESTÃO.Org – Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 10, n. 2, 2012.

AZEVEDO, D. C. Voluntariado corporativo-motivações para o trabalho voluntário. XXVII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil, 2007.

AZEVEDO, L. F. Gestão financeira de recursos no Terceiro Setor: proposta de modelo para gestão e prestação de contas das Organizações Não Governamentais. Trabalho de Conclusão de Curso, MBA, Departamento de Ciências Contábeis. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

BANG, H.; ROSS, S. D. Volunteer motivation and satisfaction. Journal of Venue and Event Management, v. 1, n. 1, p. 61-77, 2009.

BARELI, P.; DE SOUSA LIMA, A. J. F. A importância social no desenvolvimento do trabalho voluntário. Revista de Ciências Gerenciais, v. 14, n. 20, 2015.

BOZ, I.; PALAZ, S. Factors influencing the motivation of Turkey’s community volunteers. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 36, n. 4, p. 643-661, 2007.

BRASIL. (1988). Presidência da República. Lei nº 9.608 de 18 de fevereiro de 1998. Brasília. 1998.

BURNS, D J et al. Motivations to volunteer: the role of altruism. International Review on Public and Nonprofit Marketing, v. 3, n. 2, p. 79-91, 2006.

CALDANA, A C F et al. Sentidos das ações voluntárias: desafios e limites para a organização do trabalho. Psicologia & Sociedade, v. 24, n. 1, p. 170-177, 2012. .

CARTILHA DO TERCEIRO SETOR. Ordem dos Advogados do Brasil. São Paulo. 2005. .

CAVALCANTE, C E et al. Elementos do trabalho voluntário: motivos e expectativas na pastoral da criança de João Pessoa/PB. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 10, n. 1, p. 98-110, 2011.

CAVALCANTE, C. E. Motivação de Voluntários: teoria e prática. Appris, 2016.

CHAPMAN, G., WHITE P. As características singulares do ambiente do voluntariado. In: CHAPMAN, G. As cinco linguagens de valorização pessoal no ambiente de trabalho. São Paulo: Mundo Cristão, 2012.

CIDADE VIVA. Conheça a Fundação. .

CLARY, E. G.; SNYDER, M.; RIDGE, R. Volunteers’ motivations: A functional strategy for the recruitment, placement, and retention of volunteers. Nonprofit Management and Leadership, v. 2, n. 4, p. 333-350, 1992.

COELHO, S de C. T. Terceiro Setor: um estudo comparativo entre Brasil e Estados Unidos. SENAC São Paulo. 2000.

COSTA, S. F. Gestão de pessoas em instituições do terceiro setor: uma reflexão necessária. Terra e Cultura, v. XVIII, n. 35, p. 40-58. Londrina. 2002. .

CVSP CENTRO DE VOLUNTARIADO DE SÃO PAULO. Gerenciamento de Voluntário. São Paulo, 2001.

DE MOURA, L. R.; SOUZA, W J de. Elementos do trabalho voluntário na pastoral da criança: Características e motivos. HOLOS, v. 3, p. 150-160, 2008.

DIMAGGIO, P. J.; ANHEIER, H. K. The sociology of nonprofit organizations and sectors. Annual Review of Sociology, p. 137-159, 1990.

FERNANDES, R. C. Privado porém público: o terceiro setor na América Latina. Relume-Dumará, 1994.

FERREIRA, M. R.; PROENÇA, T.; PROENÇA, J. F. As motivações no trabalho voluntário. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v. 7, n. 3, p. 43-53, 2008.

FERREIRA, M. R.; PROENÇA, T.; PROENÇA, J. F. Motivations which influence volunteers’ satisfaction. In: 10th International Conference of the International Society for Third Sector Research. 10th International Conference of the International Society for Third Sector Research, 2012.

FIGUEIREDO, N. C. M. Interfaces do trabalho voluntário na aposentadoria. [dissertação]. Porto Alegre: Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005. .

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

KUMMER, A. L. M.; OPICZH, A. M.; SANTOS, C. dos; SANTOS, L. R.; NORMANHA, M. A. Gestão de pessoas por organização do terceiro setor: avanço ou retrocesso nos serviços prestados? Cadernos da Escola de Negócios, Curitiba, v. 1, n. 8, p. 18-31, 2014.

MARCONI, M de A. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2011.

MARCONI, M de A.; LAKATOS, E. V. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2010.

MASCARENHAS, A. O; ZAMBALDI, F; VARELA. Motivação em programas de voluntariado empresarial: um estudo de caso. Revista Organizações em Contexto, v. 9, n. 17, p. 229-246, 2013.

MATSUDA, C. H. Estudo da satisfação dos voluntários engajados em entidades com área de atuação diversa, na cidade de Porto Alegre. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002. < http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/3254>.

MCCURLEY, S.; LYNCH, R.; VESUVIO, D. A. Essential volunteer management. London: Directory of Social Change, 1998. .

MEDEIROS, J K de O. Estudo da Motivação Voluntária na Fundação Cidade Viva. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração) Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2013.

MORAES, A. F. G. de; SILVA, A. G. C. da; CAVALCANTE, C. E. Sou feliz por ajudar os outros: motivação e felicidade no trabalho voluntário. In: VIII Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD. 2014.

OLIVEIRA, L. D.; PINTO, S R da R. A importância do trabalho voluntário no desenvolvimento de competências do estudante. .

RESS, A P P de M.; MORAES, R de O.; NAKANO, D. N. O uso da gestão de conhecimento como fator de moderação do impacto da alta rotatividade da equipe de TI no desempenho dos projetos. In: XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2010, Anais eletrônico. São Paulo/SP. .

RIBEIRO, A. M. V.; Luz, T. R. . O sentido do trabalho para trabalhadores de organizações não governamentais. In D. H. Helal.; F. C. Garcia.; L. C. Honório. (Orgs.), Relações de poder e trabalho no Brasil contemporâneo. p. 75-107. Curitiba: Juruá. 2010

RODRIGUES, M. C. P. Terceiro Setor: para que serve? Conjuntura Econômica, p. 41-45. São Paulo: FGV, 1997.

SALAMON, L. M. The Rise of the Nonprofit Sector. Foreign Affairs, v. 74, n. 3, 1994.

SEVIGNANI, R. Terceiro setor: a participação do voluntariado na gestão do social em foz do Iguaçu. 59 f. Trabalho de Pós-Graduação (Gestão das Organizações), Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2007.

SILVA, N. M. F. T.; VILLELA, L. E. Fatores motivacionais no trabalho voluntário: uma análise dialética à luz da sociedade pós-industrial, 2008. .

SMITH, D. H. Four Sectors or five?Retaining the member-benefit Sector. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly. v. 20 n. 2, p. 137-50, 1991.

SOUR, R. H. Poder, cultura e ética nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

SOUZA, W. J. de; CARVALHO, V. D. de. Elementos do comportamento organizacional no trabalho voluntário: motivação na Pastoral da Criança à luz da teoria daexpectância. ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E PESQUISA EnANPAD, v. 30, 2006.

TEODÓSIO, A. S. S. Organização do trabalho voluntário: estratégias para a gestão social no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2001. Anais eletrônico. Salvador/BA. .

TRIGUEIRO, R. P. C. Percepções das relações entre trabalho remunerado e trabalho voluntário: um estudo com voluntários da Pastoral da Criança. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Norte: Natal. 2010.

ALVES, M. A. Terceiro setor: as origens do conceito. ENANPAD – Encontro Anual da Anpad, v. 26, 2002.