Capacidades Absortivas de Empresas de Tecnologia: Uma Análise de Redes Sociais Outros Idiomas

ID:
57942
Resumo:
O objetivo geral desta pesquisa é compreender a capacidade absortiva como fator relevante na obtenção de vantagem competitiva, por meio de inovação, entre empresas participantes de um instituto de tecnologia com base na análise de redes sociais. A originalidade deste estudo se dá por ocupar uma lacuna teórico-empírica nos estudos sobre capacidades absortivas em redes organizacionais, além de contribuir com os gestores das empresas inseridas em institutos de tecnologia pela compreensão do processo de absorção do conhecimento e inovação. O estudo classificase como uma pesquisa de campo, por questionar diretamente os gestores e associados do instituto de tecnologia e obteve o parecer consubstanciado do Conselho de Ética e Pesquisa – CEP (USCS) número: 2.470. 988. Foram utilizados Análise de Redes Sociais e teste de Wilcoxon, auxiliado pelos programas IBM Statistics 23 e Ucinet 6 for Windows. Os resultados da pesquisa indicaram que as empresas que utilizam capacidade absortiva tendem a ter uma vantagem competitiva e que as mesmas perseguem fortemente a inovação, mas de maneira contraditória, não identifica-se a mesma disposição em investir no processo de capacidades absortivas.
Citação ABNT:
FARINA, M. C.; MELO, R. S.; LIMA, A. P. M. B. Capacidades Absortivas de Empresas de Tecnologia: Uma Análise de Redes Sociais. Revista de Administração da Unimep, v. 18, n. 1, p. 243-268, 2020.
Citação APA:
Farina, M. C., Melo, R. S., & Lima, A. P. M. B. (2020). Capacidades Absortivas de Empresas de Tecnologia: Uma Análise de Redes Sociais. Revista de Administração da Unimep, 18(1), 243-268.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/57942/capacidades-absortivas-de-empresas-de-tecnologia--uma-analise-de-redes-sociais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
CARVALHO, F. C. A., ROSSETTO, D. E. BORINI, F. M.; FIGUEIREDO, J. C. B. Capacidade Absortiva e Inovação: Um Panorama da Produção Científica Internacional entre 1990-2015. Anais do IV SINGEP, São Paulo, SP, 2015. https://singep.org.br/4singep/resultado/667.pdf

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COHEN, W.; LEVINTHAL, D. Absorptive capacity: a new perspective on learning and innovation. Administrative Science Quarterly, v. 1, n. 35, p. 128-152, 1990.

CRESWELL, J. W. Research Design: Qualitative, Quantitative, and Mixed Methods Approaches. 3a ed. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, 2009.

DEMELO, R. S.; CÂMARA, S. F. Análise das Estratégias de Investimentos em P&D nas Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação à Luz da Teoria dos Jogos: O caso do Instituto Titan em Fortaleza, CE. FFBusiness, v. 5, n. 5, p. 3754, 2008.

FARINA, M. C., BITANTE, A. P., BRITO, L. C.; DIAS, L. R. Análise de redes sociais no arranjo produtivo local dos ramos têxtil e de confecções da região da grande São Paulo a partir de uma visão de governança. Gestão & Regionalidade, v. 33, n. 98, p. 3652, 2017.

FÓSFURI, A.; TRIBÓ, J. A. Exploring the antecedents of potential absorptive capacity and its impact on innovation performance. Omega, v. 36, p. 173-187, 2006.

GIGLIO, E.; KWASNICKA, E. O lugar do consumidor nos textos sobre rede. In Anais do XXIX EnAnpad, Brasília, DF, Brasil, 2005. http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enanpad2005-mkta-0183.pdf.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2006.

GILSING, V. A. Co-evolution of exploration & exploitation in a sectoral system of innovation. Proceedings of the PhD Conference, Aalborg, Denmark, 2002. http://www.druid.dk/conferences/winter2002/gallery/gilsing.pdf.

HAIR, J. F., BLACK, W. C.; BABIN, B. J., ANDERSON, R. E. Multivariate Data Analysis. London: Pearson Prentice Hall, 2010.

HANNEMAN, ROBERT A. AND MARK RIDDLE. Introduction to social network methods. Riverside, CA: University of California, Riverside, 2005. http://faculty.ucr.edu/~hanneman/

KNOKE, D.; YANG, S. Social network analysis. London: Sage, 2008.

LANE, P. J.; KOKA, B. R.; PATHAK, S. The reification of absorptive capacity: a critical review and rejuvenation of the construct. Academy of Management Review, v. 31, p. 4, p. 833-863, 2006.

LANE, P.; UBATKIN, M. Relative Absorptive Capacity and Interorganizational Learning. Strategic Management Journal, v. 19, p. 46-477, 1998.

LIAO, S. H., FEI, W. C.,; CHEN, C. C. Knowledge sharing, absorptive capacity, and innovation capability: an empirical study of Taiwan’s knowledge-intensive industries. Journal of Information Science, v. 33, n.3, p. 340-359, 2007.

MUROVEC, N.; PRODAN, I. Absorptive capacity, its determinants, and influence on innovation output: Cross-cultural validation of the structural model. Technovation, v. 29, p. 859-872, 2009.

OLIVEIRA, M. F.; GONÇALVES, C. A. Estratégia de Cooperação em Redes: Intenção e Prática de Um Aglomerado Territorial Turístico. Revista Alcance, v. 21, n. 2, p. p. 234-254, 2014.

PIGATTO, G. A. S.; QUEIROZ, T. R. & LOURENZANI, A. E. B. S. Social networks of cassava farmers in regions of São Paulo state. Interações, v. 16, n. 1, p. 75-86, 2015.

PROVAN, K. & KENIS, P. Modes of network governance: structure, management and effectiveness. Journal of Public Administration Research and Theory, Oxford, UK, v. 18, n. 2, p. 229-252, 2008.

RIMOLI, C. A. & GIGLIO, E. M. Contribuições das Teorias de Redes e de Inovação para Marketing. In Anais do XXXIII EnAnpad, Anpad, São Paulo, SP, Brasil, 2009. http://www.anpad.org.br/admin/pdf/MKT1325.pdf.

SANTOS, L. G. A.; ROSSONI, L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Condicionantes estruturais dos relacionamentos intraorganizacionais: uma análise da influência sobre relações de comunicação e decisão. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 139-168, 2011.

SILVEIRA, M. A. P. & FARINA, M. C. Análise de redes sociais como ferramenta que contribui para a melhoria das relações entre empresas participantes de um APL de eventos. Redes, v. 17, n. 1, 2012.

SZNITOWSKI, M. & SOUZA, Y. S. (2016). Capacidade de Assimilação de Conhecimentos e Tecnologias no Setor Primário: Estudo de Casos em Grandes Propriedades Rurais Produtoras de Soja. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, 18 (2), 171-185. http://www.redalyc.org/pdf/878/87846845006.pdf.

SZULANSKI, G. Exploring Internal Stickiness: Impediments to the Transfer of Best Practice Within the Firm. Strategic Management Journal, v. 17, p. 27-43, 1996. http://links.jstor.org/sici?sici=0143-2095%28199624%2917%3C27%3 AEISITT%3E2.0.CO%3B2-Z

TEECE, D. J., PISANO, G. & SHUEN, A. Dynamic Capabilities and Strategic Management, v. 18, n. 7, p. 509-533, 1997.

TSAI, W. Knowledge Transfer in Intraorganizational Networks: Effects of Network Position and Absorptive Capacity on Business Unit Innovation and Performance. Academy of Management Journal, v. 44, n. 5, p. 996-1004, 2001.

VASCONCELOS, F. C. & CIRINO, A. B. Vantagem Competitiva: os modelos teóricos atuais e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 4, 2000.

ZAHRA, S. A.; GEORGE, G. Absorptive Capacity: A Review, Reconceptualization, and Extension. Acad Manage Rev, v. 27, n.2, p. 185-203, 2002.

BARNEY, J. Firm Resourses and Sustained Competitive Advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.