Análise da Ação de Atores Sociais no Processo de Implementação de Políticas Públicas: Uma Proposta de Aplicação da Metodologia da Arena de Atores Outros Idiomas

ID:
58493
Resumo:
Este artigo tecnológico tem como objetivo apresentar uma proposta de aplicação da metodologia da Arena de Atores, de abordagem qualitativa, ainda pouco utilizada no Brasil. Empregada numa pesquisa em Administração, que identificou e discutiu as bases políticoinstitucionais de criação de uma nova universidade pública no interior do país, a Arena de Atores tem o propósito de contribuir com as técnicas de análise de dados que se propõem a discutir implementação de políticas públicas, por exemplo. Nela, ênfase pode ser dada ao processo de articulação de múltiplos atores sociais em torno da resolução de um problema, que também pode ser encarado como um conflito social sobre o qual diferentes interesses e negociações se avultam. Essas relações são graficamente dispostas em um campo chamado de arena, onde as tensões e relações ocultas ficam mais visíveis. Com a elaboração de quatro arenas na pesquisa-base deste artigo, chegou-se à conclusão de sua viabilidade como metodologia complementar de análise de dados qualitativos em pesquisas em Administração. Portanto, este artigo tem como contribuição esperada a elaboração de um guia de utilização metodológica da Arena de Atores e servir como um exemplo para o aprimoramento de sua utilidade científica.
Citação ABNT:
NASCIMENTO, I. R. T.; SILVA, H. A. S.; PEREIRA, V. S. Análise da Ação de Atores Sociais no Processo de Implementação de Políticas Públicas: Uma Proposta de Aplicação da Metodologia da Arena de Atores. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, v. 6, n. 2, p. 63-77, 2019.
Citação APA:
Nascimento, I. R. T., Silva, H. A. S., & Pereira, V. S. (2019). Análise da Ação de Atores Sociais no Processo de Implementação de Políticas Públicas: Uma Proposta de Aplicação da Metodologia da Arena de Atores. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, 6(2), 63-77.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/58493/analise-da-acao-de-atores-sociais-no-processo-de-implementacao-de-politicas-publicas--uma-proposta-de-aplicacao-da-metodologia-da-arena-de-atores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Amorim, S., & Boullosa, R. F. (2013). O estudo dos instrumentos de políticas públicas: Uma agenda em aberto para experiências de migração de escala. AOS Amazônia, Organizações e Sustentabilidade. 2(1), 59-69. http://dx.doi.org/10.17800/2238-8893/aos.v2n1p59-69

Araujo, U., Mendonça, F., Campos, R., & Silva, L. (2018). Riscos e possível solução associados às amostras em redes de coautoria. Revista de Administração Contemporânea, 22(5), 762-785. doi: https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2018170340

Boullosa, R. F. (2013). Mirando ao revés nas políticas públicas: Notas sobre um percurso de pesquisa. Pensamento & Realidade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração FEA, 28(3). https://revistas.pucsp.br/index.php/pensamentorealidade/article/view/17572/15028

Capella, A. C. N. (2006). Perspectivas teóricas sobre o processo de formulação de políticas públicas. BIB Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais. São Paulo, ANPOCS, 25-52. Recuperado de http://www.anpocs.org.br/portal/images/bib61.pdf

Chacon, S. S. (2007). O sertanejo e o caminho das águas: Políticas públicas, modernidade e sustentabilidade no semi-árido. Fortaleza: BNB.

Eisenhardt, K. M. (1989). Building Theories from Case Study Research. The Academy of Management Review. 14(4), 532-50. Recuperado de http://www.jstor.org/stable/258557

Fischer, F. (2007). Deliberative as practical reason: Integrating empirical and normative arguments. In Fischer, F., Miller, G.; S., M. (Orgs.) Handbook of public: Theory, politics and methods. Boca Raton: CRC Press.

Fischer, F. (2016). Para além do empirismo: policy inquiry na perspectiva pós-positivista. Revista NAU Social, 7(12), 163-180). Recuperado de www.periodicos.adm.ufba.br/index.php/rs/article/viewPDFInterstitial/554/436

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Gibss, G. (2009) Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed.

Godoi, C. K., & Balsini, C. P. V. (2006). A pesquisa qualitativa nos estudos organizacionais brasileiros: uma análise bibliométrica. In Godoi, C. K., Bandeira-de-Melo, R., Silva, A. B. (orgs). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: Paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Godoy, A. (2006). Estudo de caso qualitativo. In Godoi, C. K., Bandeira-de-Melo, R., & Silva, A. B. (orgs). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: Paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Howlett, M., Ramesh, M., & Perl, A. (2009). Studying public policy: Policy cycles and policy subsystems. 3. ed. Oxford University Press.

Kingdon, J. W. (1995). Agendas, Alternatives, and Public Policies. In: Saraiva, E., & Ferrarezi, E. Políticas Públicas – Coletânea Volume 1. 2nd ed. Harper Collins College Publishers.

Lascoumes, P., & Le Gales, P. (2007), Introduction: Understanding through Its Instruments — From the Nature of Instruments to the Sociology of Instrumentation. Governance: An International Journal of Policy, Administration, and Institutions, 20(1). https://doi.org/10.1111/j.1468-0491.2007.00342.x

Lasswell, H. D. (1936). Politics: Who gets what, when, how. Recuperado de http://www.policysciences.org/classics/politics.pdf

Marconi, M. A., Lakatos, E., M. (2007). Fundamentos de Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Morgan, G. (2005). Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações. RAE-Revista de Administração de Empresas, 45(1), 58-71. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rae/article/view/37103

Motta, G. da S. (2017). Editorial seção artigos tecnológicos: Como escrever um bom artigo tecnológico. Revista de Administração Contemporânea, 21(5). Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v21n5/1415-6555-rac-21-05-00004.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac2017170258

Nascimento, I. R. T. (2013). Incubadoras de economia solidária e extensão universitária: Possibilidades e inovação. Dissertação (Mestrado em Administração), Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Nascimento, I. R. T. (2018). A expansão da educação superior como estratégia de desenvolvimento territorial: O caso da Universidade Federal do Cariri. Tese (Doutorado em Administração). Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Pinto, R. R. (2017). Governação e gestão de políticas públicas [Mimeo]. Lisboa: Universidade de Lisboa.

Ramos, S. A. (2013). Migração de escala em instrumentos de políticas públicas: Natureza e fronteiras de aprendizagem. Dissertação (Mestrado) – Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Sachs, I. (2004). Desenvolvimento: Includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond.

Secchi, L. (2016). Análise de Políticas Públicas. Diagnóstico de Problemas, Recomendação de Soluções. São Paulo: Cengage Learning.

Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (2014). A democratização e expansão da educação superior no país 2003 – 2014. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16762balanco-social-sesu-2003-2014&Itemid=30192

Stake, R. E. (1995). The Art of Case Study Research. Thousand Oaks: Sage Publications. Recuperado de https://books.google.com.br/books?id=ApGdBx76b9kC&printsec=frontcover&hl=ptBR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false

Yin, R. (2007). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.