Mais Distante que Arroz de Quinta: Um Caso para Ensino sobre Distância Psicológica Outros Idiomas

ID:
58495
Resumo:
Este caso para ensino tem por objetivo relatar a distância psicológica presente no contexto da gestão internacional de empresas. Para isso foi realizada entrevista semiestruturada com o gestor de uma agroindústria de óleo de arroz refinado. A narrativa se dá a partir da criação de uma agroindústria brasileira até a sua internacionalização. A retratação do caso serve para fins educacionais, com o intuito de contribuir no processo de ensino-aprendizagem, observando como diferenças culturais e de linguagem podem interferir negativamente na gestão de empresas internacionalizadas. As disciplinas sugeridas para uso do caso devem abordar gestão estratégica de negócios internacionais, gestão internacional de recursos humanos, e internacionalização de empresas, podendo ser aplicado em cursos de Administração, Gestão Internacional e Gestão de Recursos Humanos. A agroindústria em questão tem como protagonista Luis, o qual permitiu com que a temática fosse abordada levando em consideração a falta de uma linguagem comum entre os gestores estrangeiros e a unidade brasileira. Nesta análise, muitas coisas mudaram na empresa, dentre elas a internacionalização e a ineficiência da gestão à distância, questões essas ligadas as diferenças culturais entre os indivíduos que compõem a unidade no Brasil e seus acionistas internacionais.
Citação ABNT:
CHAGAS, J.; SILVEIRA-MARTINS, E.; RAASCH, M. More Distant than Shoddy Rice: A Case of Psychological Distance for Teaching. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, v. 6, n. 2, p. 89-104, 2019.
Citação APA:
Chagas, J., Silveira-martins, E., & Raasch, M. (2019). More Distant than Shoddy Rice: A Case of Psychological Distance for Teaching. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, 6(2), 89-104.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/58495/mais-distante-que-arroz-de-quinta--um-caso-para-ensino-sobre-distancia-psicologica/i/pt-br
Tipo de documento:
Caso de Ensino
Idioma:
Inglês
Referências:
Bloemer, J., Pluymaekers, M., & Odekerken, A. (2013). Trust and Affective Commitment as Energizing Forces for Export Performance. International Business Review, 22, 363–380. doi.org/10.1016/j.ibusrev.2012.05.002

Cancino, C. A. (2014). Rapid Internationalization of SMEs: Evidencie from Born Global Firms in Chile. Revista Inovar, 24, 141 – 151.

Cândido, R. J. G. J. (2009). O relacionamento entre a distância psicológica individual e os valores individuais. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra -FEUC, Portugal.

Celano, A., Fontoura, Y., & Maciel, E. (2016). Distância psicológica em internacionalização de empresas: reflexões sob o ponto de vista do estrangeiro. Pretexto, 17(2), 81-97. doi.org/10.21714/pretexto.v17i2.2855

Evans, J., Treadgold, A., & Mavondo, F. T. (2000). Psychic Distance and the Performance of International Retailers a suggested theorical framework. International Marketing Review, 17(4), 373-391. doi.org/10.1108/02651330010339905

Fernandes, S. S. M. F. (2013). O Impacto da Distância Psicológica no Processo de Internacionalização das PME Portuguesas. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal FEUC, Portugal.

Gervasoni, V. C., Kubo, E. K. M, & Farina, M. C. (2014). Distância psíquica no processo de internacionalização: a percepção dos expatriados brasileiros. Internext, 9(3), 57-77.

Rocha, A. (2004). O construto da distância psicológica: componentes, mediadores e assimetria. In: Hemais, C. A. O desafio dos mercados externos: teoria e prática na internacionalização da firma. Rio de Janeiro: MAUAD, 92-107.

Silva, M. G. F., Rocha, A., & Figueiredo, O. (2007). Medindo o construto da distância psíquica. Economia e Gestão, 7(14), 85-106.

Sousa, C. M. P., & Bradley, F. (2006). Cultural distance and psychic distance: two peas in a pod? Journal of International Marketing, 14(1), 49-70. doi.org/10.1509/jimk.14.1.49

Stöttinger, B., & Schlegelmilch, B.B. (1998). Explaining export development through psychic distance: enlightening or elusive? International Marketing Review, 15(5), 357-372. doi.org/10.1108/02651339810236353