Inovação nos Cursos de Administração no Brasil: Uma Análise do Alinhamento às Competências do Século XXI Outros Idiomas

ID:
58737
Resumo:
Neste trabalho, investigamos se existe um alinhamento entre as competências trabalhadas nas inovações de ensino e aprendizagem das escolas de Administração no Brasil e as competências do administrador do século XXI exigidas pelo mercado de trabalho e pela sociedade. Para isso, inicialmente estudamos as tendências de evolução do ensino superior e produzimos uma lista com as 11 competências atualmente consideradas as mais necessárias aos cidadãos e aos administradores. Em seguida, analisamos os casos dos 23 ganhadores do Prêmio ANGRAD de Inovação, de 2018, que documentam e detalham iniciativas consideradas as mais inovadoras do Brasil no campo do ensino em Administração. Entendemos que este conjunto de casos representa amplamente os esforços das escolas de Administração brasileiras em se alinharem às novas demandas sociais. Cada caso foi avaliado individualmente e confrontado à lista de competências para a extração de condições (variáveis descritoras) e resultados (variáveis respostas). As configurações assim obtidas foram analisadas por meio da técnica de crisp set Quantitative Comparative Analysis (Análise Quantitativa Comparativa baseada em conjuntos bem definidos) de forma a permitir a proposição de generalizações. Os resultados indicam que as iniciativas inovadoras mais alinhadas às competências do século XXI foram implementadas com base em projetos robustos e coerentes, utilizaram metodologia própria e envolveram professores e alunos; por outro lado, as iniciativas menos alinhadas com as competências do século XXI caracterizaram-se por não utilizarem casos práticos ou reais. Finalmente, a partir da tabulação das competências trabalhadas nas iniciativas, observou-se que a maioria dos projetos envolvia esforços de integração regional; que há um visível empenho em desenvolver competências sócio relacionais; e que, no outro extremo, nenhuma iniciativa envolveu o desenvolvimento de conforto diante do uso de tecnologia.
Citação ABNT:
GIMENEZ, C. G.; ARANHA, F.; ROLIM, H. V.; NEVES, L. Q. D. Inovação nos Cursos de Administração no Brasil: Uma Análise do Alinhamento às Competências do Século XXI. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 21, n. 1, p. 181-213, 2020.
Citação APA:
Gimenez, C. G., Aranha, F., Rolim, H. V., & Neves, L. Q. D. (2020). Inovação nos Cursos de Administração no Brasil: Uma Análise do Alinhamento às Competências do Século XXI. Administração: Ensino e Pesquisa, 21(1), 181-213.
DOI:
http://dx.doi.org/10.13058/raep.2020.v21n1.1738
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/58737/inovacao-nos-cursos-de-administracao-no-brasil--uma-analise-do-alinhamento-as-competencias-do-seculo-xxi/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRAHAM S. E.; KARNS L. A. Do business schools value the competencies that businesses value? New York: State University of New York, 2009.

ADMINISTRADORES.COM. Administração é o maior curso do Brasil em número de ingressantes, aponta INEP. 6 out. 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2019.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. Formulário de relato de experiência inovadora – Prêmio ANGRAD 2018 (Documento interno). Rio de Janeiro, 2018b.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. Prêmios ANGRAD: Palmas para os vencedores do Prêmio ANGRAD. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2019.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. Sobre nós: conheça a história da associação. 1991/2018. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2019.

BERG-SCHLOSSER, D.; DE MEUR, G.; RIHOUX, B; RAGIN, C. C. Qualitative comparative analysis (QCA) as an approach. In: RIHOUX, B.; RAGIN, C. C. (Eds.). Configurational comparative methods. Thousand Oaks: Sage Publications, Inc. 2009. p. 1-18.

BROOKS, M.; HOLMES, B. Equinox blueprint: learning in 2030. Waterloo: Waterloof Global Science Initiative, April 2014.

CERASOLI, C. P. et al. Antecedents and outcomes of informal learning behaviors: a meta-analysis. Journal of Business & Psychology, v. 33, n. 2, p. 203-230, 2017. DOI: 10.1007/s10869-017-9492-y

CHRISTENSEN, C.; EYRING, H. The innovative University: changing the DNA of higher education from the inside out. San Francisco: Josey-Bass, 2011.

CISCO SYSTEMS, INC. The learning society. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2019.

DAVIES, A.; FIDLER, D.; GORBIS N. Future work skills 2020. Palo Alto: University of Phoenix Research Institute, 2011.

ERVATTI, L. R.; BORGES, G. M.; JARDIM, A. P. Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: subsídios para as projeções de população. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

GADOTTI, M. Educação e poder Introdução à pedagogia do conflito. 11. ed. São Paulo: Cortes, 1998.

GOLEMAN, D.; SENGE, P. The triple focus: a new approach to education. Florence: More Than Sound, 2014.

HARDEN, N. The end of University as we know it. The American Interest, v. 8, n. 3, p. XX-XX, Dec. 2012.

HERRINGTON, J. D.; ARNOLD, D. R. Undergraduate business education: it’s time to think outside the box. Journal of Education for Businesses, v. 88, n. 4, p. 202-209, Apr. 2013. DOI: 10.1080/08832323.2012.672934

HOLTZMAN, D. M.; CRAFT, E. M. Skills required of business graduates: evidence from undergraduate alumni and employers. Business Education & Accreditation, v. 2, n. 1, p. 49-59, Jan. 2010.

HORN, M. B.; MOESTA, R. Choosing college: how to make better learning decisions throughout your life. San Francisco: Josey-Bass, 2019.

IIZUKA, E. S. Espaços alternativos de aprendizagem: pesquisa exploratória sobre prêmios e concursos universitários no Brasil. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 18, n. 1, jan./abr. p. 69-103, 2017. DOI: 10.13058/raep.2017.v18n1.493

IIZUKA, E. S. Inovação em ensino e aprendizagem: casos de cursos de administração do Brasil. 1ª Edição do Prêmio ANGRAD. São Paulo: Empreende, 2019.

LIJPHART, A. Comparative politics and the comparative method. American Political Science Review, v. 65, n. 3, p. 682-693, 1971. DOI: 10.2307/1955513

MCKINSEY GLOBAL INSTITUTE. Skill shift: automation and the future of the workface. 2018. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2019.

MEINEL, C.; NOWESKI, C.; SCHEER, A. Transforming constructivist learning into action. Design and Technology Education: An International Journal, v. 17, n. 3, p. 8-19, Oct. 2012.

MOSCARDINI, T. N.; KLEIN, A. Educação corporativa e desenvolvimento de lideranças em empresas multisite. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n. 1, p. 84-106, jan./fev. 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2019. DOI: 10.1590/1982-7849rac20151879

NORIEGA, F.; HEPPELL, S. Building better learning and learning better building, with learners rather than for learners. On the Horizon, v. 21, n. 2, p. 138-148, May 2013. DOI: 10.1108/10748121311323030

O’HARA, M.; LEICESTER, G. Dancing at the edge: competence, culture and organization in 21st century. Devon: Triarchy Press, 2012.

PASSOS-FERREIRA, C. Seria a moralidade determinada pelo cérebro? Neurônios-espelhos, empatia e neuromoralidade. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 21, n. 2, p. 471-490, 2011. DOI: 10.1590/S010373312011000200008

PORTER, L. W.; MCKIBBIN, L. E. Management education and development: drift or thrust into the 21st century? Nova York: McGrawHill, 1988.

RAGIN, C. C. BECKER, H. S. What is a case? Exploring the foundation of social inquiry. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

RAGIN, C. C. RIHOUX, B. Configurational comparative methods. Los Angeles: Sage, 2008.

RAGIN, C. C. The comparative method Moving beyond qualitative and quantitative strategies. Berkley: University of California Press, 1987.

REDECKER, C. et al. The future of learning: preparing for change. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2011.

SANTOS, B. de S. A universidade no século XXI. São Paulo: Cortez, 2011.

STERLING, S. Sustainable education: re-visioning learning and change. Cambridge: Green Books, 2001.

SWANSON, G. Frameworks for comparative research: structural anthropology and the theory of action. In: VALLIER, I. (Ed.). Comparative methods in sociology: essays on trends and applications. Berkeley: University of California Press, 1971. p. 141-202.

TEKARSLAN, E.; ERDEN, N. S. A review of business education around the globe: future transitions. Journal of Multidisciplinary Research, v. 6, n. 2, p. 49-64, Summer 2014.

VENKATESH, V. et al. User acceptance of information technology: toward a unified view. MIS Quarterly, v. 27, n. 3, p. 425-478, Sep. 2003. DOI: 10.2307/30036540

WOLFF, L; CABRAL, P. M.; LOURENÇO, P. O papel da liderança na eficácia de equipes de trabalho. Revista Gestão e Tecnologia, v. 13, n. 1, p. 177-204, jan./abr. 2013. DOI: 10.20397/2177-6652/2013. v13i1.469