Configurações Subjetivas dos Servidores da Receita Federal Diante da Ideologia Gerencialista Outros Idiomas

ID:
58743
Resumo:
O objetivo do trabalho foi compreender as configurações subjetivas compartilhadas pelo servidor da Receita Federal do Brasil (RFB) decorrentes de sua atuação em um trabalho marcado pela hegemonia da ideologia gerencialista. A epistemologia e metodologia qualitativa apoiaram-se na teoria da subjetividade de Rey (2003, 2005). O método foi o estudo de caso na 6ª Região Fiscal da RFB, na cidade de Belo Horizonte, entre os anos de 2016 e 2017. As informações foram produzidas a partir de conversações com três analistas tributários e três auditores fiscais. Foram definidas cinco configurações subjetivas: Competitividade por atribuições, bônus produtividade, filiação sindical, mudança tecnológica e insatisfação. Concluiu-se que o gerencialismo perpassa as configurações subjetivas dos servidores. Por conseguinte, é necessário dar voz às singularidades para construir alternativas capazes de romper com os conflitos, rivalidades e sofrimentos presentes na subjetividade social.
Citação ABNT:
PINTO, J. F.; PAULA, A. P. P. Configurações Subjetivas dos Servidores da Receita Federal Diante da Ideologia Gerencialista. Administração Pública e Gestão Social, v. 12, n. 3, p. 1-16, 2020.
Citação APA:
Pinto, J. F., & Paula, A. P. P. (2020). Configurações Subjetivas dos Servidores da Receita Federal Diante da Ideologia Gerencialista. Administração Pública e Gestão Social, 12(3), 1-16.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/58743/configuracoes-subjetivas-dos-servidores-da-receita-federal-diante-da-ideologia-gerencialista/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português