Tecnologia da Informação e Comunicação como Ferramenta de Aprendizagem: Um Estudo de Casos Múltiplos em Agências de Viagens de Natal/RN Outros Idiomas

ID:
58868
Resumo:
A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) vem sendo utilizada para as mais diversas finalidades no turismo, inclusive para aprimorar conhecimentos. O presente estudo se propôs a analisar como a TIC pode ser utilizada como ferramenta de aprendizagem em agências de viagens de Natal/RN. Para atingir ao objetivo, realizou-se um estudo de casos múltiplos com abordagem qualitativa e de caráter exploratório-descritivo. Os dados foram coletados junto a gestores de agências de viagens, mediante um roteiro de entrevista semiestruturado. Os resultados do estudo mostraram que as agências fazem uso constante da tecnologia para aprimorar e adquirir conhecimentos, sendo possível transpor conhecimentos aos colaboradores, em especial sobre os destinos comercializados. Observou-se que embora o e-learning esteja caminhando para utilização estratégica no contexto dessas empresas, o método presencial foi elencado como mais eficiente. Conclui-se que, as TICs possibilitam um novo caminho e metodologias de ensino para organizações que precisam trabalhar o conhecimento de forma estratégica. Entretanto, essa é uma nova cultura de ensino que ainda precisa ser fortalecida nas agências de viagens.
Citação ABNT:
SILVA, J. R. H.; LIMA, D. S. M.; MENDES FILHO, L. Tecnologia da Informação e Comunicação como Ferramenta de Aprendizagem: Um Estudo de Casos Múltiplos em Agências de Viagens de Natal/RN. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 8, n. 2, p. 222-250, 2020.
Citação APA:
Silva, J. R. H., Lima, D. S. M., & Mendes Filho, L. (2020). Tecnologia da Informação e Comunicação como Ferramenta de Aprendizagem: Um Estudo de Casos Múltiplos em Agências de Viagens de Natal/RN. Revista de Turismo Contemporâneo, 8(2), 222-250.
DOI:
https://doi.org/10.21680/2357-8211.2020v8n2ID20158
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/58868/tecnologia-da-informacao-e-comunicacao-como-ferramenta-de-aprendizagem--um-estudo-de-casos-multiplos-em-agencias-de-viagens-de-natal-rn/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aguiar, E. P. S., Melo, S., M., C., & Gadelha, C., N., R. (2019). A avaliação da aprendizagem na organização de eventos: um estudo de caso. Revista de Turismo Contemporâneo, 7(2), 260-278.

Altawalbeh, M. A., & Alassaf, H. (2018). Antecedentes and consequences of e-learning adoption in Jordanian higher education institution. Advances in social sciences research journal, 5(5), 378-387.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Almedina.

Bispo, M. S., & Godoy, A. S. (2012). The learning process of the use of technologies as practice: an ethnomethodological approach in travel agencies. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 6(2), 160-180.

Brauer, M., Alves, L., E., Vieira, P., R., C., Albertin, A. L., & Romani-Dias, M. (2018). Corporate distance education: an applied understanding of its resistance factor. urkish. Online Journal of Distance Education, 9(4), 42-63.

Cardoso, C. F., & Pestana, T. M. (2001). O papel do treinamento na empresa. In G. Boog, Manual de Treinamento e Desenvolvimento. São Paulo: Pearson.

Cartoni, L. Kalbaska, N., & Inversini, A. (2009). E-learning in tourism and hospitality: a map. Journal of Hospitality, Leisure, Sport and Tourism Education, 8(2), 148-156.

Cascada, P. M., Sousa, C. M., & Ramos, M. B. (2014). E-learning associado ao turismo: caso de estudo numa unidade curricular de uma licenciatura de ensino superior em Portugal. Revista de Turismo Contemporâneo, 2(1), 136-160.

Cervo, A. L., & Bervian, P. A. (1996). Metodologia cientifica. (4a. ed.). São Paulo: Makron Books.

Corrêa, J. M. F. G., & Teixeira, R. M. (2014). Demanda e competências dos profissionais: um estudo em agências de viagens e hotéis em Aracajú, Sergipe. Revista Turismo em Análise, 25(2), 422-449.

Costa, A. J. S., Araújo, D, L., & Perinotto, A. R. C. (2019). O uso da tecnologia da informação e comunicação por agências de turismo do Porto das Barcas, em Parnaíba-Piauí-Brasil. Revista Eletrônica Ciências da Administração e Turismo, 7(1), 62-80.

Costa, R. T., & Fischer, A. L. (2002). E-RH: O Impacto da Tecnologia para a gestão competiviva de recursos humanos. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. (2a. ed.). Porto Alegre: Artmed.

Cunha, D. O., Oliveira, F. L., Bezerra, L. F. Severiano Junior, E., & Gonçalves, C. P. (2019). O uso do E-learning como ferramenta de ensino e aprendizagem. Revista de Tecnologia Aplicada, 8(3), 41-53.

Dencker, A. F. M. (1998). Pesquisa em turismo: planejamento, métodos e técnicas. (9a. ed.). São Paulo: Futura.

Fernandes, M. (1999) Tecnologia da Informação e T&D. In G. Boog, Manual de Treinamento e Desenvolvimento. São Paulo: Pearson.

Fischer, A. L., Dutra, J. S., & Amorim, W. A. (2009). Gestão de pessoas: desafios estratégicos das organizações comtemporâneas. São Paulo: Atlas.

Gavril, R, M., Kiehne, J., Hell, C. R., & Kirschner, C. (2017). Impact assessment on the performance of e-learning in corporate training programs in the context of globalization. De Gruyter, 11(1), 398-410.

Google Brasil. (2018). Recuperado em 10, janeiro, 2018 de https://www.google.com.br/intl/pt-BR/about

Gretzel. (2020). E-Tourism beyond COVID-19: A call for transformative research. Journal of Information Technology & Tourism, 22, 187-203.

Harlow, H. (2008). The effect of tacit knowledge on firm performance. Journal of Knowledge Management, 12, 148-163.

Heeman, C. (2013). Aprendizagem nas organizações, comunidade de prática e letramento digital. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, 8(2), 78-90.

Kanaane, R., & Ortigoso. (2010). Manual do treinamento e desenvolvimento do potencial humano. (2a. ed.). São Paulo: Atlas.

Law, R., Leung, D., & Chan, I. C. C. (2019). Progression and development of information and communication technology research in hospitality and tourism: a state-of-the-art review. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 32(2), 511-534.

Leite, N. P. (2009). Treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas: um desafio na estratégia organizacional. In Albuquerque, L. G. L., & Nildes, P. (Orgs.). Gestão de Pessoas: Perspectivas Estratégicas. São Paulo: Atlas.

Longhini, F. O., & Borges, M. P. (2005). A influência da internet no mercado turístico: um estudo de caso nas agências de viagens de Piracicaba (SP) e região. Caderno Virtual de Turismo, 5(3), 1-8.

Martins, L. M., & Vilar, J. W. C. (2018). Tecnologia móvel na gestão de atividades turísticas em Aracaju, SE, Brasil. Revista Turismo em Análise, 29(3), 396-412.

Menezes, V. O., & Staxhyn, A. P. S. (2011). Consultor de viagens: o profissional do novo mercado turístico. Turismo & Sociedade, 4(2), 381-397.

Nazacati, H., Amidi, A., Jusoh, Y. Y., Moghadas, S., Aziz, Y. A., & Sohrabinezhadtalemi, R. (2015). Review of social media potential on knowledge sharing and collaboration in tourism industry. Social and Behavioral Sciences, 172, 120-125.

Nikitina, L., Shikov, P., Shikov, Y., Bakanova, A., & Shikov, A. (2018). Recommended system of personalized corporate e-learning based on ontologies. MATEC Web of Conferences, 1-9.

Ramos, A., Mendes Filho, L. A. M., & Lobianco, M. M. (2017). Sistemas e tecnologia da informação no turismo: um enfoque gerencial. Curitiba: Prismas.

Santos, M. R. G., Braga Junior, S. S., Alonso Junior, N., Silva, D., Vaz, M., Ramos, A. L., & Fanchin, M. (2010). A educação à distância como estratégia educacional nas organizações. Anais do VII Simpósio de Exelencia em Gestão e Tecnologia – SEGeT. Rezende, RJ, Brasil.

Shaw, G., & Williams, A. (2009). Knowledge transfer and management in tourism organizations: an emerging research agenda. Tourism Management, 30, 325-335.

Silva, F. F., Lucio, E. M., & Barreto, L. M. (2013). Treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas em turismo: case disney. Revista Hospitalidade, 10(2), 275-295.

Silva, G. L., Mendes Filho, L., & Marques Junior, S. (2019). Análise da percepção dos consumidores de meios de hospedagem em relação ao uso das online travel agencies (OTAs). Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 13(1), 40-57.

Silva, J. R. H. (2019). Impactos da tecnologia nos processos de gestão de pessoas: um estudo no setor hoteleiro. Dissertação de Mestrado em Turismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil.

Silva, J. R. H., Lima, D. S., & Mendes Filho, L. (2017). Tecnologia da informação e comunicação como ferramenta de aprendizagem em meios de hospedagem. Anais do XIV Seminário da Associação Nacional de Pesquisa de Pós-graduação em Turismo - ANPTUR. Balneário Camboriú, SC, Brasil.

Silva, M. E. M. (2016). Gestão do conhecimento como estratégia competitiva para a gestão do turismo: uma contribuição teórica. Revista Turismo em Análise, 27(1), 43-74.

Takeuchi, H., & Nonaka, I. (2008). Gestão do conhecimento. Tradução de Ana Thorell. Porto Alegre: Bookman.

Tarhini, A., Hone, K., & Liu, X. (2013). User acceptance towards web-based learning systems: investigating the role of social, organizational and individual factors in european higher education. Procedia Computer Science, 17, 189-197.

Taufer, L., & Ferreira, L. T. (2019). Realidade Virtual no Turismo: Entretenimento ou Mudança de Paradigma? Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, 11(4), 908-921.

Veal, A, J. (2011). Metodologia de pesquisa em lazer e turismo. São Paulo: Aleph.

Vergara, S. C. (2004). Projetos e relatórios de pesquisas em administração. (4a. ed.). São Paulo: Atlas.

Vicentin, I. C., & Hoppen, N. (2003). A internet no negócio de turismo no Brasil: utilização e perspectivas. Revista Eletrônica da Administração, 9(1).

Vieira, E. M. F., Schuelter, G., Kern, V. M., & Alves, J, B, M. (2005). A teoria geral dos sistemas, gestão do conhecimento e educação a distância. Revista de Ciências da Administração, 7(14), 1-13.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. (2a. ed.). Porto Alegre: Bookman.