Análise dos Efeitos dos Instrumentos Financeiros no Conservadorismo Contábil em Bancos Brasileiros Outros Idiomas

ID:
59293
Resumo:
O Conservadorismo Condicional foi definido, historicamente, como um dos princípios da Contabilidade. Porém, o registro de Instrumentos Financeiros (IF) pelo Valor Justo não é considerado conservador. Objetiva-se neste trabalho investigar quais são os efeitos dos IF no conservadorismo das Informações Contábeis de bancos brasileiros, os quais são instituições com altos valores de IF. Foram coletadas informações no site do Banco Central do Brasil, no período de 2009 a 2019. As observações foram segregadas de acordo com a análise de decis, de acordo com os valores de IF. Foram analisados os grupos com valores mais baixos e mais altos de IF, utilizando variáveis dummy e interações com as variáveis do modelo de Cunha et al. (2016). Os resultados indicaram que os bancos com valores mais baixos de IF apresentam conservadorismo e aqueles com valores mais altos de IF não apresentam conservadorismo nas informações contábeis.
Citação ABNT:
QUEIROZ, J. M.; RODRIGUES, A.; MACEDO, M. A. S.; SZUSTER, N. Análise dos Efeitos dos Instrumentos Financeiros no Conservadorismo Contábil em Bancos Brasileiros . Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 17, n. 44, p. 3-16, 2020.
Citação APA:
Queiroz, J. M., Rodrigues, A., Macedo, M. A. S., & Szuster, N. (2020). Análise dos Efeitos dos Instrumentos Financeiros no Conservadorismo Contábil em Bancos Brasileiros . Revista Contemporânea de Contabilidade, 17(44), 3-16.
DOI:
https://doi.org/10.5007/2175-8069.2020v17n44p3
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/59293/analise-dos-efeitos-dos-instrumentos-financeiros-no-conservadorismo-contabil-em-bancos-brasileiros-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português