Estrutura de Capital e Financial Distress em Empresas Familiares e não Familiares Brasileiras Outros Idiomas

ID:
59294
Resumo:
Este estudo tem por objetivo verificar a influência da estrutura de capital no financial distress em empresas familiares e não familiares brasileiras. Realizou-se pesquisa descritiva, documental e quantitativa. A amostra abrangeu 137 empresas, sendo 65 familiares e 72 não familiares, analisadas de 2011 a 2017. Observou-se, por meio de três medidas – endividamento total, de longo prazo e oneroso –, que a estrutura de capital influencia na probabilidade de financial distress tanto de empresas familiares como de organizações não familiares. Mais importante, tem-se que estas medidas divergem de sinal tanto entre elas como em função da gestão e propriedade corporativa (se familiar ou não familiar). Assim, a contribuição deste estudo perpassa pelo reconhecimento de que gestores, investidores e outras partes interessadas devem observar as medidas de estrutura de capital de forma distinta para reconhecerem o evento de financial distress e, em função disto, tomarem decisões assertivas diante de seus interesses subjacentes.
Citação ABNT:
PAMPLONA, E.; AMES, A. C.; SILVA, T. P. Estrutura de Capital e Financial Distress em Empresas Familiares e não Familiares Brasileiras . Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 17, n. 44, p. 17-32, 2020.
Citação APA:
Pamplona, E., Ames, A. C., & Silva, T. P. (2020). Estrutura de Capital e Financial Distress em Empresas Familiares e não Familiares Brasileiras . Revista Contemporânea de Contabilidade, 17(44), 17-32.
DOI:
https://doi.org/10.5007/2175-8069.2020v17n44p17
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/59294/estrutura-de-capital-e-financial-distress-em-empresas-familiares-e-nao-familiares-brasileiras-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português