Impactos no Comportamento do Frete: Uma Aplicação de Equilíbrio Geral Computável para os Produtos Agropecuários do Brasil Outros Idiomas

ID:
59440
Resumo:
Objetivo: este trabalho teve como objetivo investigar o impacto da oscilação do custo do frete para os produtos agropecuários brasileiros. Método: trata-se de uma pesquisa descritiva de natureza quantitativa, focado na análise de cenário por meio da modelagem em equilíbrio geral computável para as cinco macrorregiões brasileiras. Principais resultados: como resultado da pesquisa indica-se: (i) a importação e a exportação sofreram impacto causado pela variação do preço do frete, aumentando em todas as macrorregiões brasileiras; (ii) o aumento das importações e exportações é um indicativo no movimento dos fluxos comerciais e traz benefícios para a economia do país, favorecendo a troca e a economia regional e (iii) as regiões com menor custo de frete, apresentam ganhos de competitividade para produtos agropecuários. Relevância/originalidade: trabalho contribui com uma agenda de pesquisa que envolve setores importantes da economia brasileira – agropecuária e transportes – e como estão relacionados entre si, fornecendo uma visão de como o custo de frete influência no comércio dos produtos agropecuários no Brasil. Contribuições teóricas/metodológicas: o trabalho apresenta uma abordagem diferente de métodos mais tradicionais, por ECG, criando uma alternativa para análise de como o custo de transporte impacta no comércio inter-regional.
Citação ABNT:
ASAI, G.; PIACENTI, C. A.; GURGEL, ?. C. Impactos no Comportamento do Frete: Uma Aplicação de Equilíbrio Geral Computável para os Produtos Agropecuários do Brasil. InternexT - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, v. 15, n. 3, p. 17-33, 2020.
Citação APA:
Asai, G., Piacenti, C. A., & Gurgel, ?. C. (2020). Impactos no Comportamento do Frete: Uma Aplicação de Equilíbrio Geral Computável para os Produtos Agropecuários do Brasil. InternexT - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, 15(3), 17-33.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18568/internext.v15i3.556
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/59440/impactos-no-comportamento-do-frete--uma-aplicacao-de-equilibrio-geral-computavel-para-os-produtos-agropecuarios-do-brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Ann Arbor, M. I. Rutherford, T. F.; Paltsev, S. V. (2000). GTAPinGAMS and GTAP-EG: global datasets for economic research and illustrative models. University of Colorado.

ANTÓN, F. R. Logística del transporte. Universitat Politecnica de Catalunya. Iniciativa Digital Politecnica, 2005.

Asai, G.; Bidarra, Z. S.; Pinela, S. R. D. S. (2017). ANÁLISE DOS INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA DO PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO (PAC): POLÍTICAS PÚBLICAS NA DIREÇÃO CERTA?. Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. UNISC.

Attavanich, W.; McCarl, B. A.; Ahmedov, Z.; Fuller, S. W.; Vedenov, D. V. (2013). Effects of climate change on US grain transport. Nature Climate Change, 3(7), 638-643.

Barry, M. P. (2013). US Global Logistics and Transport a Computable General Equilibrium Model.

Behar, A.; Venables, A. J. (2011). Transport costs and international trade. Handbook of transport economics, p. 97-115.

Bosona, T.; Gebresenbet, G. (2013). Food traceability as an integral part of logistics management in food and agricultural supply chain. Food control, 33(1), 32-48.

Bozoky, M. J.; Oliveira, A. A. P.; Deliberador, L. R.; Formigoni, A.; Jacubavicius, C. (2014). Análise do modal ferroviário no transporte de soja do centro oeste aos portos. INOVAE-Journal of Engineering, Architecture and Technology Innovation, 2(1), 50-61.

Branco, J. E. H.; Caixeta Filho, J. V.; Gameiro, A. H.; Xavier, C. E. O.; Pinheiro, M. A.; de Souza, W. A. (2012). Otimização logística para o transporte multimodal de safras agrícolas no Brasil com foco no corredor Nordeste. Revista econômica do nordeste, 43(1), 67-92.

Bröcker, J. (2004). Computable general equilibrium analysis in transportation economics. Chapter, 16. p. 269-289. In Hensher, D. A.; Button, K. J.; Haynes, K. E.; Stopher, P. R. Handbook of Transport Geography and Spatial Systems. (Handbooks in Transport, Volume 5).

Brooke, A.; Kendrick, D.; Meeraus, A. G. A. M. S.; Raman, R.; Rasenthal, R. E. (1998). A User’s Guide.’ GAMS Development Corporation: Washington, DC.

Caixeta Filho, J. V. (2010). Logística para a agricultura brasileira. Revista Brasileira de Comércio Exterior, 103, 18-30.

Castro, N. (2009). Infra-estrutura de transporte e expansão da agropecuária brasileira. Planejamento e políticas públicas, (25).

Chen, Z.; Rose, A. (2018). Economic resilience to transportation failure: a computable general equilibrium analysis. Transportation, 45(4), 1009-1027.

Christopher, M. (2016). Logistics & supply chain management. Pearson UK.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE. (2014). Plano CNT de transporte e logística 2014. Brasília: CNT.

Cooper, M. C.; Lambert, D. M.; Pagh, J. D. (1997). Supply chain management: more than a new name for logistics. The International Journal of Logistics Management, 8(1), 1-14.

COUNCIL OF SUPPLY CHAIN MANAGEMENT PROFESSIONALS. (2013). Supply Chain Management Terms and Glossary. Illinois: CSCMP.

Crainic, T. G. (2003). Long-haul freight transportation. In Handbook of transportation Science. p. 451-516. Springer, Boston, MA.

Crainic, T. G.; Laporte, G. (1997). Planning models for freight transportation. Design and Operation of Civil and Environmental Engineering Systems, 343.

Daskin, M. S. (1985). Logistics: an overview of the state of the art and perspectives on future research. Transportation Research Part A: General, 19(5-6), 383-398.

De Almeida, E. S.; Guilhoto, J. J. M. (2007). O custo de transporte como barreira ao comércio na integração econômica: o caso do Nordeste. Revista Econômica do Nordeste, 38(2), 224-243.

Fagundes, M. B. B.; Dias, D. T.; Pereira, M. W. G.; Figueiredo Neto, L. F.; Frainer, D. M. (2015). Impactos da produção de soja na economia de Mato Grosso do Sul. Revista de Política Agrícola, 23(4), 111-122.

Fujita, M.; Krugman, I. (2000). Economía espacial: las ciudades, las regiones y el comercio internacional (No. 330.9 F8Y).

Gurgel, A. C. (2014). Impactos de políticas comerciais e agrícolas sobre a agropecuária e agroindústria brasileiras. In Anais... do 52º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural. Goiânia.

Gurgel, A. C.; Pereira, M. W. G.; Teixeira, E. C. (2013). A estrutura do PAEG. PAEG Technical Paper, (1).

Haddad, E. A. (2004). Retornos crescentes, custo de transporte e crescimento regional. (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Inklaar, R.; Timmer, M. P. (2014). The relative price of services. Review of Income and Wealth, 60(4), 727-746.

Kato, J. M. (2007). Um modelo para a construção de cenários aplicado à Indústria de Transportes Rodoviários de Cargas no Brasil. Revista da FAE, 10(2).

Kawano, B. R.; Mores, G. D. V.; Silva, R. F. D.; Cugnasca, C. E. (2012). Estratégias para resolução dos principais desafios da logística de produtos agrícolas exportados pelo Brasil. Revista de Economia e Agronegócio/Brazilian Review of Economics and Agribusiness, 10(822-2016-54244), 71-88.

Kim, E.; Hewings, G. J.; Amir, H. (2017). Economic evaluation of transportation projects: An application of Financial Computable General Equilibrium model. Research in Transportation Economics, n. 61, p. 44-55.

Lewczuk, K.; Wasiak, M. (2011). Transportation services costs allocation for the delivery system. In: 2011. 21st International Conference on Systems Engineering. p. 429-433. IEEE.

Lima, M. P. (2006). Custos logísticos na economia brasileira. Revista Tecnologística, 11(122), 64-69.

Machado, M. L. L.; de Lima Oliveira, R.; Ortiz, R.; Colombelli, G. L. (2018). As principais dificuldades do modal de transporte rodoviário no Brasil. Revista da Mostra de Iniciação Científica e Extensão, 4(1).

Marchetti, D. D. S.; Ferreira, T. T. (2012). Situação atual e perspectivas da infraestrutura de transportes e da logística no Brasil.

Marchetti, D. D. S.; Ferreira, T. T. (2012). Situação atual e perspectivas da infraestrutura de transportes e da logística no Brasil. Brasília.

Nascimento, S. D.; Gallon, A. V.; Beuren, I. M. (2010). Formação de preços em empresa de transporte rodoviário de cargas. pensar contabil, 11(46).

Oliveira, A. L. R.; Cicolin, L.; dos Santos, M. C. (2013). Estimativa do custo rodoviário da soja: uma análise da rota Sorriso-Santos. Revista de Economia e Agronegócio, 11(2).

Oliveira, A. L. R.; Miyamoto, B.; de Campos Coleti, J. ANÁLISE DOS DETERMINANTES DO VALOR DO FRETE DE GRÃOS NA REGIÃO CENTRO-SUL DO BRASIL. In: Congresso Nacional de Pesquisa em Transporte da ANPET, 31, Recife.

Oliveira, J. S.; de Matos, A. C.; da Rocha, W. F. (2015). Estudo dos Fatores Determinantes do Preço do Frete Rodoviário no Escoamento da Soja a Granel da Mesorregião Oeste do Paraná com Destino ao Porto de Paranaguá nos Anos 2011, 2012 e 2013. Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional.

Péra¹, T. G.; Guimarães, A. G.; Lacerda, M. C. S. A.; Gameiro¹, A. H.; Caixeta-Filho¹, J. V. (2013). Modelo econométrico dos determinantes de preços de fretes rodoviários de cargas agrícolas envolvendo legislação, qualidade da via e multimodalidade. Associação de Pesquisa e Ensino em Transportes–ANPET.

Piercy, J. E.; Ballou, R. H. (1978). A performance evaluation of freight transport modes. Logistics and Transportation Review, 14(2).

Redding, S. J.; Turner, M. A. (2015). Transportation costs and the spatial organization of economic activity. In: Handbook of regional and urban economics. Vol. 5. p. 1339-1398. Elsevier.

Rushton, A.; Croucher, P.; Baker, P. (2014). The handbook of logistics and distribution management: Understanding the supply chain. Kogan Page Publishers.

Rutherford, T. F. (1999). Applied general equilibrium modeling with MPSGE as a GAMS subsystem: An overview of the modeling framework and syntax. Computational economics, 14(1-2), 1-46.

Rutherford, T. F. (2005). GTAP6inGAMS: The dataset and static model.

Rutner, S. M.; Langley, C. J. (2000). Logistics value: definition, process and measurement. The International Journal of Logistics Management.

Sadoulet, E.; De Janvry, A. (1995). Quantitative development policy analysis. (Vol. 5). Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Tavasszy, L. A.; Ruijgrok, C.; Thissen, M. J. P. M. (2003). Emerging global logistics networks: implications for transport systems and policies. Growth and Change, 34(4), 456-472.

Teixeira, E. C.; Pereira, M. W.; Gurgel, A. C. (2013). A estrutura do PAEG. Campo Grande: Life Editora.

Waquil, P. D. (2019). Alocação ótima de produtos agropecuários no Mercosul: um modelo de equilíbrio espacial com produtos intermediários. Revista de Economia e Sociologia Rural, 34(1 e 2), 87-109.

Wilson, W. W.; Dahl, B. (2011). Grain pricing and transportation: dynamics and changes in markets. Agribusiness, 27(4), 420-434.

Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural E Biocombustíveis. (2019). Pesquisa mensal de preço de combustíveis. Brasília.