Sistemas de controle administrativo no franchising: aliando controle e flexibilidade estratégica Outros Idiomas

ID:
5946
Resumo:
O presente estudo objetivou verificar como o franqueador alia controle e flexibilidade estratégica, identificando os sistemas de controle que utiliza para monitorar, mensurar, avaliar incertezas, validar estratégias, promover mudanças, fazer emergir iniciativas estratégicas e contribuir com o aprendizado da rede, tendo em vista a melhoria contínua da posição competitiva da franquia. O referencial teórico teve como suporte o relacionamento entre franqueador e franqueado proposto na literatura, os custos de transação, a teoria de agência e os sistemas de controle administrativo definidos e categorizados por Simons (1994). Visando o cumprimento do objetivo proposto, utilizou-se a pesquisa do tipo exploratória e a estratégia de estudo de caso único tendo como unidade de análise a área de Marketing e Vendas de uma franqueadora. O instrumento de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada realizada com 4 executivos da área, escolhidos em razão dos temas pesquisados. Através da identificação dos sistemas de controle interativo utilizados pela franqueadora, verificou-se que ela agrega na administração estratégica da franquia, as abordagens gerenciais de minimização de custos e maximização de oportunidades, aliando controle e flexibilidade estratégica.
Citação ABNT:
PAULINO, M. L. S.Sistemas de controle administrativo no franchising: aliando controle e flexibilidade estratégica. Revista Organizações em Contexto, v. 6, n. 12, p. 28-55, 2010.
Citação APA:
Paulino, M. L. S.(2010). Sistemas de controle administrativo no franchising: aliando controle e flexibilidade estratégica. Revista Organizações em Contexto, 6(12), 28-55.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/5946/sistemas-de-controle-administrativo-no-franchising--aliando-controle-e-flexibilidade-estrategica/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
CHERTO, M. Franchising: revolução no marketing. 2. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 1988.

COHEN, M.; SILVA, J. F. O impacto das decisões estratégicas no desempenho dos franqueados em fast-food: o papel do relacionamento franqueador-franqueado. Revista de Administração Contemporânea (RAC),v. 4, n. 2, p. 109-131, mai./ago. 2000.

EINSENHARDT, K. Agency theory: an assessment and review. Academy of Management Review, n. 31, p. 488-511, 1989.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, J. S.; SALAS, J. M. A. Controle de gestão: uma abordagem contextual e organizacional. São Paulo: Atlas, 1999.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica: competitividade e globalização. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

LAVIERI, C. A. Sistemas de avaliação de desempenho aplicados em redes de franquias. 2008. Dissertação (Mestrado em Administração) – Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 2008.

MARTINELLI, L. A. S. A influência dos sistemas de controle no processo de implementação do plano estratégico na Companhia Paranaense de Energia Elétrica (COPEL). 2006. Dissertação (Mestrado em Administração) – Centro de Ciências Aplicadas da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2006.

MAURO, P. C. Guia do franqueador: como fazer sua empresa crescer com o franchising. 3. ed. São Paulo: Nobel, 1999.

NASCIMENTO, A. M.; BIANCHI, M. Um estudo sobre o papel da controladoria no processo de redução de conflitos de agência e de governança corporativa. Disponível em: Acesso em: 16 nov.2009.

PATRICIO, P. P. Análise das restrições recorrentes do relacionamento franqueador-franqueado: a construção de uma teoria substantiva sob a ótica do franqueado. 2007. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Educação Biguaçu.

PLÁ, D. Tudo sobre franchising. Rio de Janeiro: Senac, 2001.

PONDÉ, J. L.; FAGUNDES, J.; POSSAS, M. Custos de transação e política de defesa da concorrência. Economia Contemporânea, n. 2, p. 115-135, dez. 1997.

PROENÇA, C. Os ingredientes de sucesso em franquias. 2009. 43 slides. Disponível em: . Acesso em: 05 nov.2009.

SATO, F. R. L. A teoria da agência no setor da saúde: o caso do relacionamento da Agência Nacional de Saúde Suplementar com as operadoras de planos de assistência supletiva no Brasil. RAP, Rio de Janeiro, v. 41, n. 1, p. 49-62, jan./fev. 2007.

SIMONS, R. How new top managers use control systems as levers of strategic renewal. Strategic Management Journal, v. 15, p. 169-189, 1994.

TOLEDO, G. L.; PROENÇA, C. Fatores críticos de sucesso na franquia: uma análise sob a óptica de ex-franqueados no município de São Paulo. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 43-53, jan./mar. 2005.

VANCE, P. S.; FÁVERO, L. P. L.; LUPPE, M. R. Franquia empresarial: um estudo das características do relacionamento entre franqueadores e franqueados no Brasil. Revista de Administração, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 59-71, jan./fev./mar. 2008.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.