Desafios para Articular Representação Política e Participação Social: Um Estudo do Conselho Municipal de Meio Ambiente do Rio De Janeiro Outros Idiomas

ID:
59579
Periódico:
Resumo:
O artigo analisa os principais desafios enfrentados pelos representantes da sociedade civil na articulação entre representação política e participação social quando precisam deliberar junto ao Conselho Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro (CONSEMAC). A suposição inicial da pesquisa foi que as principais barreiras com as quais se depara a sociedade civil no tocante à deliberação no CONSEMAC estão relacionadas à tensão existente entre a atuação dos atores não estatais e dos representantes do Estado devido à própria condição de cada parte no Conselho. Os resultados da pesquisa apontam que há situações críticas ainda pouco estudadas no interior dos Conselhos, no tocante à deliberação, que são possíveis de ser identificadas com o aprofundamento do entendimento da relação entre as principais vertentes da teoria democrática.
Citação ABNT:
ARRUDA, I. M.; TEIXEIRA, M. G. C. Desafios para Articular Representação Política e Participação Social: Um Estudo do Conselho Municipal de Meio Ambiente do Rio De Janeiro. Gestão e Sociedade, v. 14, n. 40, p. 3807-3838, 2020.
Citação APA:
Arruda, I. M., & Teixeira, M. G. C. (2020). Desafios para Articular Representação Política e Participação Social: Um Estudo do Conselho Municipal de Meio Ambiente do Rio De Janeiro. Gestão e Sociedade, 14(40), 3807-3838.
DOI:
https://doi.org/10.21171/ges.v14i40.3040
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/59579/desafios-para-articular-representacao-politica-e-participacao-social--um-estudo-do-conselho-municipal-de-meio-ambiente-do-rio-de-janeiro/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AVRITZER, L . Sociedade civil e Estado no Brasil: da autonomia à interdependência política. Opinião Pública, v. 18, n. 2, p. 383398, 2012.

AVRITZER, L. Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre a variação da participação no Brasil democrático. Opinião Pública, v. 14, n. 1, p. 43-64, 2008.

AVRITZER, L. Sociedade civil e participação no Brasil democrático. In: AVRITZER, L. (org.). Experiências nacionais de participação social. Coleção Pensando a Democracia Participativa. 1ª. ed. São Paulo, SP: Cortez, 2009, p. 27-54.

BASSI, L. L.; ALMEIDA, C. R. Representação política nos conselhos gestores: desafios conceituais e práticos. In : ROMÃO, W. de M. ; MARTELLI, C. G. ; PIRES, W. (orgs.). Participação política no Brasil: ação coletiva e interfaces socioestatais. 1ª. ed.. São Paulo, SP: Cultura Acadêmica, 2014. Cap. 7, p. 123-145.

BORBA, J.; LÜCHMANN, L. H. A representação política nos Conselhos Gestores de Políticas Públicas. Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 2, n. 2, p. 229-246, jul./dez, 2010.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 2012.

CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil – o longo caminho. 1ª ed. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 2001.

COHEN, J.; ARATO, A. Civil society and political theory. Cambridge, EUA: The MIT Press, 1994.

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO (CONSEMAC). Ata de 100ª Reunião Ordinária da CONSEMAC. fev., Rio de Janeiro, RJ, 2016.

DAGNINO, E. Sociedade civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. 1ª. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra/UNICAMP, 2002, p. 279-301.

DAHL, R. A. A democracia e seus críticos. Tradução por Patrícia de Freitas Ribeiro. São Paulo, SP: WMF Martins Fontes, 2012.

EASTERBY-SMITH, M.; THORPE, R.; LOWE, A. Pesquisa gerencial em Administração: um guia para monografias, dissertações, pesquisas internas e trabalhos de consultoria. São Paulo, SP: Pioneira, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª. ed. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª. ed. São Paulo, SP: Atlas, 2008.

GURZA LAVALLE, A. Após a participação: nota introdutória. Lua Nova, v. 84, p. 1323, 2011.

GURZA LAVALLE, A.; HOUTZAGER, P.; CASTELLO, G. Democracia, pluralização da representação e sociedade civil. Lua Nova, v. 67, p. 49-103, 2006.

GURZA LAVALLE, A.; SZWAKO, J. Sociedade civil, Estado e autonomia: argumentos, contra-argumentos e avanços no debate. Opinião Pública, v. 2, n.1, p.157-187, 2015.

GUTMANN, A. The disharmony of democracy. In: CHAPMAN, J.; SHAPIRO, I. (orgs.) Democratic Community. 1ª. ed. Nomos XXXV. New York, EUA: New York University Press, 1995, p.126-160.

GUTMANN, A.; THOMPSON, D. Why Deliberative Democracy? New Jersey, EUA: Princeton University Press, 2004.

LÜCHMANN, L. H. A representação no interior das experiências de participação. Lua Nova, v. 70, p. 139-170, 2007.

MACPHERSON, C. B. The life and times of liberal democracy. London, UK: Oxford University Press, 1997.

MANSBRIDGE, J. Beyond adversary democracy. Chicago, EUA: University of Chicago Press, 1983.

MARTINS, F. M.; MARTINS, S.; OLIVEIRA, A.; SOARES, J. Conselhos Municipais de Políticas Públicas: uma análise exploratória. Revista do Serviço Público, v. 59, n. 2, p. 151-185, 2014.

MINAYO, M. C. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

PAES DE PAULA, A. P. Administração Pública Brasileira entre o Gerencialismo e a Gestão Social. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 1, p. 36-49, jan-mar, 2005.

PATEMAN, C. Participation and democratic theory. 1ª. ed. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1970.

RIO DE JANEIRO. Decreto Rio Nº 39832 de 9 de março de 2015. Dispõe sobre os membros que deverão compor o Conselho Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro – CONSEMAC, relativo ao período de abril de 2015 a março de 2017: Rio de Janeiro, RJ. Artigo1º, p.1. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/4600307/4136642/Decreto39832_09032015_MembrosCONSEMACNonoMandato.pdf. Acesso em: 12 de abril de 2016.

RIO DE JANEIRO. Lei 2.390, de 1 de dezembro de 1995 o Conselho de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro CODEMAM, criado pela Lei nº 1.214, de 4 de abril de 1998, passa a denominar-se Conselho Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro – CONSEMAC, RJ, Art.1º. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/rj/r/rio-de-janeiro/leiordinaria/1995/239/2390/lei-ordinaria-n-2390-1995-dispoe-sobre-o-conselho-municipal-de-meio-ambiente-da-cidade-do-riode-janeiro. Acesso em: 12 de abril de 2016.

SANTOS, W. G. dos. Cidadania e Justiça: a política social na ordem brasileira. 2ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: Campus, 1987.

SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, socialismo e democracia. Tradução por Ruy Jungmann do original inglês Capitalism, Socialism, and Democracy. Rio de Janeiro, RJ: Fundo de Cultura, 1961.

TATAGIBA, L. Os conselhos gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2002, p. 47-103.

TATAGIBA, L; TEIXEIRA, A. C. Dinâmicas participativas institucionalizadas e produção das políticas públicas. Campinas, SP: Universidade de Campinas, 2004.