Dilemas do Processo de Sucessão: Desafios da Gestão Familiar Frente ao Crescimento Acelerado Outros Idiomas

ID:
60521
Resumo:
O estudo refere-se a uma empresa familiar de pequeno/médio porte situada no Estado de Santa Catarina/SC que passa por dificuldades administrativas, sucessórias e de relacionamento familiar. Através de um estudo de caso nesta empresa, busca-se entender o processo de sucessão em empresas familiares, e identificar os mecanismos que levam as empresas familiares a errarem no processo de sucessão, adaptando os problemas às possíveis soluções. Tendo como objetivos específicos analisar as interferências e dificuldades dos relacionamentos, propor soluções para resolução de problemas administrativos e discutir a percepção dos herdeiros sobre a possibilidade de sucessão na empresa familiar. Ao aplicar o questionário na empresa, obtiveram-se respostas parecidas na maioria das perguntas. Os fundadores e sucessores têm ciência dos problemas administrativos da empresa e de como a relação familiar é prejudicada com a extrapolação do ambiente profissional para o pessoal. Também é abordado sobre a importância da profissionalização da mão de obra e o processo de sucessão, discorrendo sobre as dificuldades, cobranças e inseguranças do sucessor. Este estudo contribui com a discussão da temática de sucessão em organizações familiares ao analisar por meio de estudo de caso o crescimento acelerado de uma empresa e as dificuldades de profissionalizar cargos e preparar um sucessor em curto espaço de tempo.
Citação ABNT:
SOUZA, M. C.; SOUZA, J.; CEMBRANEL, P. Dilemas do Processo de Sucessão: Desafios da Gestão Familiar Frente ao Crescimento Acelerado. Revista de Gestão e Secretariado, v. 11, n. 3, p. 74-89, 2020.
Citação APA:
Souza, M. C., Souza, J., & Cembranel, P. (2020). Dilemas do Processo de Sucessão: Desafios da Gestão Familiar Frente ao Crescimento Acelerado. Revista de Gestão e Secretariado, 11(3), 74-89.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v11i3.1099
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/60521/dilemas-do-processo-de-sucessao--desafios-da-gestao-familiar-frente-ao-crescimento-acelerado/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Machado, H. P. V. (2016). Crescimento de pequenas empresas: revisão de literatura e perspectivas de estudos. Gestão & Produção, 23(2), 419-432. Epub May 17, 2016.https://doi.org/10.1590/0104-530x1759-14

Ahrens J., Landmann A. & Woywode M. (2015). Gender preferences in the CEO successions of family firms: family characteristics and human capital of the successor. Journal of Family Business Strategy, 6(2), 86-103. https://doi.org/10.1016/j.jfbs.2015.02.002

Bernal, L. L. H. (2018). Mediación como alternativa en la Solución de Conflictos en las en Empresas Familiares. Revista de la Facultad de Derecho, (45), 185205. https://dx.doi.org/10.22187/rfd2018n45a4

Betancourt, G. G., Ramírez Betancourt, J. B., & Cuervo Zapata, N. (2012). Empresas familiares multigeneracionales. Entramado, 8(2), 38-49. Retrieved April 17, 2020, from http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S190038032012000200003&lng=en&tlng=.

Capelão, L. G. F. (2000). Relações de poder no processo de sucessão em empresas familiares: O caso das indústrias Filizola S. A. Organizações e Sociedade, 7(18), 141-155.

Dante, F. S., Rodrigues, R. Mazzini, & Cremonezi, G. Graziano. (2016). Os impactos da gestão familiar nos conflitos e cultura organizacional. Revista de Carreiras e Pessoas (ReCaPe), 6(3). doi: https://doi.org/10.20503/recape.v6i3.31067

De la Garza-Ramos, M. I., Soto Maciel, A., Esparza Aguilar, J. L., & San Martín Reyna, J. M. (2018). La sucesión de la empresa familiar: una aproximación teórica. Cuadernos de Administración, 31(56), 105-136. https://dx.doi.org/10.11144/javeriana.cao.31-56.sefat

De Massis, A., Chua, J. H. & Chrisman, J. J. (2008). Factors preventing intra-family succession. Family Business Review, 21(2), 183-199. https://doi.org/10.1111/j.17416248.2008.00118.x

Debicki, Bart J., Van de Graaff Randolph, R.; Sobczak, M. (2017). Socioemotional wealth and family firm performance: a stakeholder approach. Journal of Managerial Issues, 29(1), 82-111.

Devins, D. & Jones, B. (2016). Strategy for succession in family owned small businesses as a wicked problem to be tamed. Vezetéstudomány Budapest Management Review, 47(11), 4-15. DOI 10.14267/VEZTUD.2016.11.02

Esparza, A. P., & Maciel, J. P. (2016). El Capital Intelectual en la Agroempresa Familiar Cooperativa. Investigación administrativa, 45(118). Recuperado en 17 de abril, 2020, de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S244876782016000200001&lng=es&tlng=es.

Estol, K. M. F., & Ferreira, M. C. (2006). O processo sucessório e a cultura organizacional em uma empresa familiar brasileira. Revista de Administração Contemporânea, 10(4), 93-110. https://doi.org/10.1590/S1415-65552006000400005

Flores Junior, J. E., & Grisci, C. L. I. (2012). Dilemas de pais e filhos no processo sucessório de empresas familiares. Revista de Administração (São Paulo), 47(2), 325337. https://doi.org/10.1590/S0080-21072012000200012

Freire, P. S., Soares, A. P., Nakayama, M. K. & Spanhol, F. J. (2010). Processo de sucessão em empresa familiar: Gestão do conhecimento contornando resistências às mudanças organizacionais. JISTEM J.Inf.Syst. Technol. Manag. (Online). 7(3), 713-736. doi.org/10.4301/S1807-17752010000300010

Gersick, K. E., Hampton, M. M., Lansberg, I. & Davis, J. A. (2017). De geração para geração: ciclos de vida das empresas familiares. Rio de Janeiro: Alta Books.

Kogut, C. S., & Fleck, D. (2017). Professional versus family management in Brazilian fashion retail companies: exploring value-investors’ perceptions. Cadernos EBAPE.BR, 15(3), 559-573. https://doi.org/10.1590/1679-395156974

Lisboa, I. (2018). Sucessão nas empresas familiares e o impacto no endividamento. Evidência para as PME da região de Leiria. Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, 17(2), 24-42. Recuperado em 17 de abril, 2020, de

Lozano-Posso, M., & Urbano, D. (2017). Relevant Factors in the Process of Socialization, Involvement and Belonging of Descendants in Family Businesses. Innovar, 27(63), 6176. https://dx.doi.org/10.15446/innovar.v26n63.60667

Macedo, R. C., Martins, R. S., Rossoni, L. & Martins, G. S. (2017). Confiança nos Relacionamentos em Cluster de Empresas. Revista de Administração de Empresas, 57(4), 330-341. https://doi.org/10.1590/s0034-759020170404

Machado, R. M. C., Wetzel, U., & Rodrigues, M. E. (2008). A experiência de sucessão para herdeiras de empresas familiares do Rio de Janeiro. Cadernos EBAPE.BR, 6(3), 0124. https://doi.org/10.1590/S1679-39512008000300009

Marler, L. E., Botero, I. C., & De Massis, A. (2017). Succession-related role transitions in family firms: The impact of proactive personality. Journal of Managerial Issues, 29(1), 57–81.

Medeiros, A. B., Costa-Nunes, S., Moyzes-Sarsur, A., & Costa de Amorim, W-A. (2019). Processo sucessório: o complexo desafio do desenvolvimento de lideranças. Estudios Gerenciales, 35(151), 145-158. https://dx.doi.org/10.18046/j.estger.2019.151.3136

Meirinhos, R., & Barreto, A. M. (2018). A Comunicação Estratégica como Fator de Retenção de Recursos Humanos. Media & Jornalismo, 18(33), 75-90. Recuperado em 17 de abril, 2020, de http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S218354622018000200006&lng=pt&tlng=pt.

Oliveira, A. C. (2017). Empresa familiar: Sua importância econômica e social. Revista Idea. 8(1), 1-12. Recuperado em 25 novembro, 2020, de http://esamcuberlandia.com.br/revistaidea/index.php/idea/article/download/163/129

Oliveira, J. L., Albuquerque, A. L., & Pereira, R. D. (2012). Governança, Sucessão e Profissionalização em uma Empresa Familiar: (re)arranjando o lugar da família multigeracional. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 14(43), 176192. https://doi.org/10.7819/rbgn.v14i43.881

Oliveira, J. L., Albuquerque, A. L., & Pereira, R. D. (2013). De "filho do dono" a dirigente ilustre: caminhos e descaminhos no processo de construção da legitimidade de sucessores em organizações familiares. Revista de Administração (São Paulo), 48(1), 2133. https://doi.org/10.5700/rausp1071

Oro, I. M., & Facin Lavarda, C. E. (2017). Interação Entre Estratégia e Desempenho Organizacional: A Influência da Gestão Familiar. BBR. Brazilian Business Review, 14(5), 493-509. https://doi.org/10.15728/bbr.2017.14.5.3

Pinto, A., Henriques, C., & Gonçalves, R. (2015). O efeito da sucessão no desempenho das empresas familiares: Um estudo regional. Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, 14(2), 38-48. Recuperado em 17 de abril, 2020, de http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S164544642015000200005&lng=pt&tlng=pt.

Rossato Neto, F. J., & Cavedon, N. R. (2004). Empresas familiares: desfilando seus processos sucessórios. Cadernos EBAPE.BR, 2(3), 01-16. https://doi.org/10.1590/S167939512004000300007

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (2018). Panorama SEBRAE. Recuperado em 16 abril, 2020, de https://datasebrae.com.br/wpcontent/uploads/2018/06/Panorama-Sebrae_052018.pdf

Solíz, J. M. F., Baqueiro, J. C. S., Encalada, J. A. D., San Martín Reyna, J. M. (2012). La sucesión e institucionalización de la empresa familiar en México. México DF: Editorial IMEF.

Soto Maciel, A., De La Garza Ramos, M., Esparza Aguilar, J., & San Martín Reyna, J. M. (2015). The influence of family relationships in the succession: A factorial analysis of Mexican enterprises. Journal of Family Business Management, 5(2), 238256. https://doi.org/10.1108/JFBM-11-2014-0036

Spiendler Rodriguez, S. Y., Carlotto, M. S., Ogliari, D., & Giordani, K. (2015). Estressores Ocupacionais em Psicólogos clínicos Brasileiros. Psicogente, 18(33), 104116. https://dx.doi.org/10.17081/psico.18.33.59

Teston, S. F., & Filippim, E. S. (2016). Perspectivas e Desafios da Preparação de Sucessores para Empresas Familiares. Revista de Administração Contemporânea, 20(5), 524545. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2016150033

Tillmann, C., Grzybovski, D. (2005). Sucessão de dirigentes na empresa familiar: estratégias observadas na família empresária. Organizações & Sociedade, 12(32), 45-61.

Weismeier-Sammer, D., & Hatak, I. R. (2014). Succession in the Family Business: Challenges for Successors from an Entrepreneurial Perspective. The International Journal of Entrepreneurship and Innovation, 15(4), 279–284. https://doi.org/10.5367/ijei.2014.0165