Efeito do acesso aos recursos no desempenho da empresa: evidências para o setor metal-mecânico no contexto de aglomeração territorial Outros Idiomas

ID:
61121
Resumo:
A aglomeração territorial contribui para facilitar o acesso aos recursos, proporcionado à empresa um desempenho superior aos concorrentes, o que pode criar e/ou manter uma vantagem competitiva. Nessa perspectiva, este estudo tem como objetivo investigar o efeito do acesso aos recursos no desempenho das empresas do setor metalomecânico no contexto de aglomeração territorial. Para tanto, realizou-se uma pesquisa quantitativa, do tipo descritiva, sendo realizada uma survey com 73 empresas do setor metalomecânico. Na análise dos dados utilizou-se a técnica de regressão linear múltipla para evidenciar o efeito do acesso aos recursos no desempenho. Os resultados indicam que os recursos físicos e organizacionais influenciam positivamente no desempenho das empresas, ao passo que os recursos financeiros e humanos não apresentaram influência significativa no desempenho em um contexto de aglomeração territorial. O estudo contribui com a literatura, evidenciando que a facilidade de acesso aos recursos pode proporcionar um desempenho superior e, também, indicando que os recursos apresentam diferentes tipos de relação com o desempenho. Desta forma, a pesquisa tem implicações gerenciais – possibilita que os gestores identifiquem os recursos que podem ser fonte de vantagem competitiva – e governamentais – proporciona subsídios aos governantes na elaboração de políticas públicas, priorizando estímulos ou incentivos aos tipos de recursos que possam proporcionar um aumento na competitividade das empresas.
Citação ABNT:
LAIMER, C. G.; FORTUNA, A. C.; LAIMER, V. R. Efeito do acesso aos recursos no desempenho da empresa: evidências para o setor metal-mecânico no contexto de aglomeração territorial. Desenvolvimento em Questão, v. 18, n. 53, p. 288-306, 2020.
Citação APA:
Laimer, C. G., Fortuna, A. C., & Laimer, V. R. (2020). Efeito do acesso aos recursos no desempenho da empresa: evidências para o setor metal-mecânico no contexto de aglomeração territorial. Desenvolvimento em Questão, 18(53), 288-306.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/61121/efeito-do-acesso-aos-recursos-no-desempenho-da-empresa--evidencias-para-o-setor-metal-mecanico-no-contexto-de-aglomeracao-territorial/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, F. A.; SILVA, A. S. B. Índices de concentração: evidências empíricas à indústria de transformação cearense. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 35., 2015, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: Enegep, 2015.

ANDRADE, M. A. R.; HOFFMANN, V. E. Redes interorganizacionais: um estudo das pequenas e médias empresas no setor calçadista do Vale do Rio Tijucas. Revista de Administração e Inovação, v. 7, n. 2, p. 193-216, 2010.

ANDREASSI, T.; SBRAGIA, R. Relações entre indicadores de P&D e de resultado empresarial. Revista de Administração, v. 37, n. 1, p. 72-84, 2002.

BARALDI, E.; GRESSETVOLD, E.; HARRISON, D. Resource interaction in inter-organizational networks: Foundations, comparison, and a research agenda. Journal of Business Research, v. 65, n. 2, p. 266-276, 2012.

BARNEY, J. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.

BARNEY, J. B. Strategic Factor Markets: Expectations, Luck, and Business Strategy. Management Science, v. 32, n. 10, p. 1.231-1.241, 1986.

BARNEY, J. B.; CLARK, D. N. Resource-based theory: creating and sustaining competitive advantage. Oxford: Oxford University Press, 2007.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. Economia das organizações: entendendo a relação entre as organizações e a análise econômica. In: CLEGG, S. R.; Hardy, C.; NORD, W. R. (org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2004. p. 131-179. V. 3.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva: conceitos e casos. São Paulo: Pearson, 2017.

BARNEY, J. B.; WRIGHT, P. M. On becoming a strategic partner: The role of human resources in gaining competitive advantage. Human Resource Management, v. 37, n. 1, p. 31-46, 1998.

BEUREN, I. M.; MARCELLO, I. E. Relação da importância dos recursos estratégicos com as medidas de desempenho em empresas brasileiras. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 15, n. 1, p. 64-82, 2016.

BRITO, E. P. Z.; BRITO, L. A. L.; MORGANTI, F. Inovação e o desempenho empresarial: lucro ou crescimento? Revista de Administração de Empresas, v. 8, n. 1, 2009.

BRITO, E. P. Z.; BRITO, L. A. L.; PORTO, C. E.; SZILAGYI, E. M. A relação entre aglomeração produtiva e crescimento: a aplicação de um modelo multinível ao setor industrial paulista. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 4, p. 615-632, 2010.

BRUSCO, S. The idea of the industrial district: its genesis. In: PYKE, F.; BECATTINI, G.; SENGENBERGER, W. Industrial districts and inter-firm co-operation in Italy. International Institute for Labour Studies, 1990.

BULGACOV, S.; ARREBOLA, M. C.; GOMEL, M. M. Recursos compartilhados: uma aplicação da visão baseada em recursos em um condomínio tecnológico no Paraná. Revista de Ciências da Administração, v. 14, n. 32, p. 92-106, 2012.

CARVALHO, D. M.; PRÉVOT, F.; MACHADO, J. A. D. O uso da teoria da visão em recursos em propriedades rurais: uma revisão sistemática da literatura. Revista de Administração, v. 49, n. 3, p. 506-518, 2014.

CICONET, I.; ANTUNES, J. A. V.; RUFFONI, J. Características das atividades para a geração da inovação no arranjo produtivo local metalmecânico automotivo da região de Caxias do Sul (RS). Revista Brasileira de Gestão e Inovação, v. 1, n. 3, p. 1-26, 2014.

CZAJKOWSKI, A.; CUNHA, S. K. Organização e coordenação da rede de cooperação em aglomerados de turismo rural. Turismo: Visão e Ação, v. 12, n. 1, p. 92-113, 2010.

DALBERTO, C. R.; CIRINO, J. F.; STADUTO, J. A. R. Especialização versus diversificação: economias de aglomeração e seus impactos sobre os salários industriais em Minas Gerais. Gestão & Regionalidade, v. 32, n. 95, p. 143-159, 2016.

EXPÓSITO-LANGA, M.; TOMÁS-MIQUEL, J. V.; MOLINA-MORALES, F. X. Innovation in clusters: exploration capacity, networking intensity and external resources. Journal of Organizational Change Management, v. 28, n. 1, p. 26-42, 2015.

GEROLAMO, C. M.; CARDOZA, E.; VAICARI, F.; CARPINETTI, R. C. L. Aglomeração de pequenas e médias empresa como ambiente propício à melhoria de desempenho – caracterização do arranjo produtivo local do setor de confecção de bordados de Ibitinga. Rev. Cent. Ciênc. Admin., Fortaleza, v. 11, n. 1, p. 82-92, 2005.

GOLD, S.; SEURING, S.; BESKE, P. Sustainable supply chain management and inter-organizational resources: a literature review. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, v. 17, n. 1, p. 230-245, 2010.

GOULART, F. D.; ZIBER, A. M. A liderança setorial na cadeia do biodiesel: uma análise à luz do conceito de vantagem competitiva. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 18, n. 4, p. 332-341, 2016.

GRONUM, S.; VERRENNE, M. L.; KASTELLE, T. The role of networks in small and medium‐sized enterprise innovation and firm performance. Journal of Small Business Management, v. 50, n. 2, p. 257-282, 2012.

HANSEN, L. D.; MELO, L. O. R. Aglomeração de micro e pequenas empresas no Nordeste brasileiro. Revista Ciência e Administração, v. 14, n. 2, p. 304-323, 2008.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica: competitividade e globalização. São Paulo: Cengage Learning, 2019.

HUNG, R. Y. Y.; YANG, B.; LIEN, B. Y.; MCLEAN, G. N.; KUO, Y. Dynamic capability: Impact of process alignment and organizational learning culture on performance. Journal of World Business, v. 45, n. 3, p. 285294, 2010.

KARIAA, N.; WONGB, C. Y.; ASAARIC, M. H. A. H. Typology of resources and capabilities for firms’ performance. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 65, p. 711-716, 2012.

LAIMER, C. G.; LAIMER, V. R. Relações de cooperação na perspectiva da visão baseada em recursos. Revista de Administração da Unimep, 7 (3), p. 93-110, 2009.

LAIMER, C. G.; MARTINS, E. S.; LAIMER, V. R. A visão baseada em recursos como modelo para a vantagem competitiva sustentável: um estudo de caso. Revista de Administração e Ciências Contábeis do IDEAU, v. 1, n. 1, p. 27-40, 2006.

LAIMER, C. G.; WEBBER, C. C.; FERRON, F. Recursos y desempeño en las empresas brasileñas de servicios. In: ASAMBLEA ANUAL DEL CLADEA – CONSEJO LATINOAMERICANO DE ESCUELAS DE ADMINISTRACIÓN, 51., 2016, Medellín (Colômbia). Memorias […]. Bogotá (Colômbia): Ascolfa, 2016. V. 1.

LEMOS, C. Notas preliminares do projeto arranjos locais e capacidade inovativa em contexto crescentemente globalizado. Rio de Janeiro: Mimeo, 1997.

LI, H.; ZUBIELQUI, G. C.; O’CONNOR, A. Entrepreneurial networking capacity of cluster firms: a social network perspective on how shared resources enhance firm performance. Small Business Economics, v. 45, n. 3, p. 523-541, 2015.

LIMA, G. B.; CARVALHO, D. T. Aglomerações industriais na cadeia têxtil: observações sobre a internacionalização do pólo TEC TEX. Revista Brasileira de Estratégia, v. 4, n. 2, p. 169-180, 2011.

LUBECK, M. R.; WITTMANN, L. M.; SILVA, S. M. A final, quais variáveis caracterizam a existência de cluster arranjos produtivos locais (APLs) e dos sistemas locais de produção e inovação (SLPIs). Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 11, n. 1, p. 120-151, 2012.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2012.

MARCO-LAJARA, B.; CLAVER-CORTÉS, E.; ÚBEDA-GARCÍA, M.; ZARAGOZA-SÁES, P. C. A dynamic analysis of the agglomeration and performance relationship. Journal of Business Research, v. 69, n. 5, p. 1.874-1.879, 2016.

MARITAN, C.; PETERAF, M. A. Building a bridge between resource acquisition and resource accumulation. Journal of Management, v. 37, n. 5, p. 1.374-1.389, 2011.

MARSHALL, A. Princípios de economia. 2. ed. São Paulo: Nova Cultura, 1985.

MASCENA, K. M. C.; FIGUEIREDO, F. C.; BOAVENTURA, J. M. G. Clusters e APL’s: análise bibliométrica das publicações nacionais no período de 2000 a 2011. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 5, p. 454-468, 2013.

NEUMANN, L.; HEXSEL, A.; BALESTRIN, A. Desafios à cooperação em aglomerados produtivos: um estudo de caso no segmento de malhas do sul do Brasil. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 8, n. 3, p. 220-230, 2011.

OGUNYOMI, P.; BRUNING, N. S. Human resource management and organizational performance of small and medium enterprises (SMEs) in Nigeria. The International Journal of Human Resource Management, v. 27, n. 6, p. 612-634, 2016.

PENROSE, E. The theory of the growth of the firm. Oxford: Oxford University Press, 1959.

PETERAF, M. A. The cornerstones of competitive advantage: a resource‐based view. Strategic Management Journal, v. 14, p. 3, p. 179-191, 1993.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. 13. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1999.

PUGAS, P. G. O.; FERNANDES, R. S. Externalidades positivas em aglomerações de empresas: um estudo no aglomerado de fundição da cidade de Cláudio (MG), Brasil. Gestão & Regionalidade, v. 30, n. 89, p. 49-62, 2014.

RIBEIRO, J. S. A. N.; SOARES, M. A. C.; JURZA, P. H.; ZIVIANI, F.; NEVES, J. T. R. Gestão do conhecimento e desempenho organizacional: integração dinâmica entre competências e recursos. Perspectivas em Gestão e Conhecimento, v. 7, número especial, p. 4-17, 2017.

RUIZ-ORTEGA, M. J.; PARRA-REQUENA, G.; GARCÍA-VILLAVERDE, P. M. Do territorial agglomerations still provide competitive advantages? A study of social capital, innovation, and knowledge. International Regional Science Review, v. 39, n. 3, p. 259-290, 2016.

SARACENI, A. V.; ANDRADE JR., P. P.; RESENDE, L. M. Gestão de conhecimento em aglomerados de empresas: rede de valor como instrumento para fortalecer o intercâmbio de conhecimento. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 6, n. 1, p. 89-107, 2013.

SILVA, P. M. Aglomerados e turismo: análise da produção científica nacional e internacional sobre o tema. Turismo: Visão e Ação, v. 16, n. 2, p. 338-357, 2014.

SILVEIRA, A.; DREHER, M. T.; ULLRICH, D. R. Desenvolvimento do arranjo produtivo local em turismo sustentável: entendimento dos empreendedores sobre a nova Rússia, Blumenau, SC. Revista de Negócios, v. 10, n. 4, p. 276-287, 2005.

SOUZA, N. J. Desempenho e perspectivas da indústria gaúcha, 1990/2006. In: ENCONTRO DE ECONOMIA – PUCRS, 3., 2006, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: PUCRS, 2006.

TAVARES, B.; ANTONIALLI, M. L.; CALEGARIO, L. L. C.; CASTRO, C. C.; LIMA, C. F. T. A. A. A heterogeneidade entre pequenas empresas: identificando modelos de gestão em uma aglomeração produtiva. Revista de Administração, v. 8, n. 3, p. 515-531, 2015.

TEECE, D. J. Towards an economic theory of the multiproduct firm. Journal of Economic Behavior & Organization, v. 3, n. 1, p. 39-63, 1982.

THOMAZ, C. J.; BRITO, Z. P. E.; MARCONDES, C. R.; FERREIRA, M. C. F. Benefícios da aglomeração de firmas: evidências do arranjo produtivo de semijoias de Limeira. Revista de Administração, v. 46, n. 2, p. 191-206, 2011.

VENKATRAMAN, N; RAMANUJAM, V. Measurement of business performance in strategy research: A comparison of approaches. Academy of Management Review, v. 11, n. 4, p. 801-814, 1986.

WANG, C. L.; AHMED, P. K. Dynamic capabilities: a review and research agenda. International Journal of Management Reviews, v. 9, n. 1, p. 31-51, 2007.

WERNERFELT, B. The use of resources in resource acquisition. Journal of Management, v. 37, n. 5, p. 1.369-1.373, 2011.

WERNERFELT; B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v. 5, n. 2, p. 171-180, 1984.

WILKE, E. P.; DIETTRICH, L. C. Recursos estratégicos: estudo de caso em hotel UPSCALE. Revista Reuna, v. 25, n. 1, p. 20-34, 2020.