Cartografia social nas narrativas dos territórios: o caso das populações ribeirinhas na Amazônia legal Outros Idiomas

ID:
61139
Resumo:
Objetivo do estudo: O objetivo deste artigo é compreender de que forma a cartografia social pode ser utilizada nas narrativas dos territórios urbanos. Para atingir este objetivo, aprofunda-se o marco-teórico do estudo, caracteriza-se a realidade dos ribeirinhos na Amazônia Legal,descreve-se o uso da cartografia social na comunidade investigada e averigua as narrativas colocadas na construção da cartografia social do território Metodologia/abordagem: Estudo de caso em uma comunidade ribeirinha na Amazônia Legal, Brasil, em 2018 e pesquisa atualizada em 2020. O estudo contemplou as seguintes fases: 1) seleção da comunidade a ser feito o mapeamento sugerido; 2) contato com os líderes da comunidade para marcar dois encontros na produção da cartografia; destacando que esses líderes foram escolhidos a partir da faixa etária e campo social inserido; 3) produção coletiva da cartografia social; 4) demarcação, via GPS, a localidade sugerida no mapa pelos líderes da comunidade; 5) organização, catalogação e impressão da cartografia social gerada; e, 6) análise dos resultados e conclusões Originalidade/Relevância: A memória é construída por meio da materialização da história vivida na medida em que a construção da cartografia social é elaborada pela própria comunidade duas conduções pontuais se sucedem. Assim, este é um estudo original na medida em que propõem a aplicação da cartogrfia em ambientes urbanos. Principais resultados: Na medida em que território se torna palco de conflitos devido às relações entre os atores sociais, a cartografia social vem auxiliar as comunidades na manutenção de identidades culturais. A cartografia identificou dois tipos de memórias. A primeira trata do reconhecimento do território da comunidade a partir das suas narrativas “oficiais” daquelas transcritas e reproduzidas pelos atores políticos do Estado-Nação. A segunda, a partir da experiência vivida naquele território na medida em que a construção desses mapas se sucedem e se nota a coexistência de duas percepções de um território sobreposto do mesmo espaço: uma posta e, outra, vivida. Contribuições teóricas/metodológicas: Refere-se a aplicação da cartografia social no ambiente urbano para compreender suas narrativas.
Citação ABNT:
ARAUJO JUNIOR, E. M.Cartografia social nas narrativas dos territórios: o caso das populações ribeirinhas na Amazônia legal. International Journal of Professional Business Review, v. 5, n. 2, p. 153-162, 2020.
Citação APA:
Araujo Junior, E. M.(2020). Cartografia social nas narrativas dos territórios: o caso das populações ribeirinhas na Amazônia legal. International Journal of Professional Business Review, 5(2), 153-162.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/61139/cartografia-social-nas-narrativas-dos-territorios--o-caso-das-populacoes-ribeirinhas-na-amazonia-legal/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português