Estudo sobre os aspectos mais relevantes para selecionar uma moradia na cidade de São Paulo na ótica dos moradores Outros Idiomas

ID:
61141
Resumo:
Objetivo do estudo: Este trabalho tem por objetivo realizar um estudo sobre as moradias precárias na região central de São Paulo com foco nos cortiços a fim de identificar quais os aspectos mais relevantes para selecionar uma moradia, na ótica dos moradores. Metodologia/abordagem: A metodologia utilizada foi de caráter descritivo, apresentando uma pesquisa objetiva, constituída de pesquisa de campo. A pesquisa foi aplicada na região central de São Paulo em três bairros com residências precárias, sendo entrevistadas 101 pessoas. Principais resultados: A pesquisa demonstra que a localização da habitação, na ótica dos moradores, é o fator mais relevante, pois muitos não tem condições de pagar transportes e, ainda, há moradores que por motivo de trabalho não tem como deixar menores em casa. Contribuições teóricas/metodológicas: Sabe-se que a localização habitacional é um dos fatores que faz os indivíduos viverem nessas habitações, além de outros fatores mais pessoais. Contudo, os habitantes consideram importante estarem próximos aos elementos de sua maior utilização, principalmente o trabalho e a escola. Relevância/originalidade: Há dois aspectos que se destacam no trabalho, o primeiro é o fato de pesquisar diretamente as pessoas que são público-alvo para os planos sociais de habitação. O segundo é o fato de demonstrar que para os moradores a localidade é algo fundamental para as políticas habitacionais. Contribuições: A pesquisa pode auxiliar a compreensão dos gestores dos fatores de maior relevância para as pessoas de baixa renda selecionarem a sua habitação e, também, colabora para sensibilizar a opinião pública sobre o fato de que a localização é um dos principais aspectos a serem considerados, em especial para a população de baixa renda da cidade de São Paulo.
Citação ABNT:
LOPES, J. R.; SANTOS, F. A. Estudo sobre os aspectos mais relevantes para selecionar uma moradia na cidade de São Paulo na ótica dos moradores. International Journal of Professional Business Review, v. 5, n. 2, p. 179-193, 2020.
Citação APA:
Lopes, J. R., & Santos, F. A. (2020). Estudo sobre os aspectos mais relevantes para selecionar uma moradia na cidade de São Paulo na ótica dos moradores. International Journal of Professional Business Review, 5(2), 179-193.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/61141/estudo-sobre-os-aspectos-mais-relevantes-para-selecionar-uma-moradia-na-cidade-de-sao-paulo-na-otica-dos-moradores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Alvarenga, D das N.; Reschilian, P. R. (2018). Financeirização da moradia e segregação socioespacial: Minha Casa, Minha Vida em São José dos Campos, Taubaté e Jacareí/SP. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 10. http://cicese.redalyc.org/articulo.oa?id=193157811 001

Azevedo, S.; Andrade, L. (2011). Tentativas de mudança: do Banco Hipotecário ao Instituto Brasileiro de Habitação. In: Habitação e poder: da Fundação da Casa Popular ao Banco Nacional Habitação. p. 21-36. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais. http://books.scielo.org

Baravelli, J. (2015). Subsídio e déficit habitacional no programa MCMV. Revista de Ciências Humanas, 49(1), 199. doi: https://doi.org/10.5007/21784582.2015v49n1p199

Bassul, J. R. (2002). Reforma urbana e Estatuto da Cidade. Eure, 28(84), 133-144. https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext &pid=S0250-71612002008400008

Duarte, Hugo Garcez. (2015). Dignidade da pessoa humana e direito à moradia: reflexões frente ao conceito de Estado Democrático de Direito. Jus.com.br. https://jus.com.br/artigos/42532/dignidade-dapessoa-humana-e-direito-a-moradia-reflexoesfrente-ao-conceito-de-estado-democratico-dedireito

Ferrara, L. N. (2018). Urbanização de assentamentos precários em área de mananciais: um balanço da atuação do poder público e os desafios que permanecem na região metropolitana de São Paulo. Oculum Ensaios, 15. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=351757994005.

Kohara, L. (2012). Cortiços: o mercado habitacional de exploração a pobreza: Cortiços: o mercado habitacional de exploração a pobreza. Carta Maior. https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/DireitosHumanos/Corticos-o-mercado-habitacional-deexploracao-da-pobreza/5/25899

Krause, B.; Lima Neto, C. (1990). Texto para discussão. Brasília/Rio de Janeiro: Ipea.

Marguti, B. O. (2018). Políticas de Habitação: A Nova Agenda Urbana e o Brasil: insumos para sua construção e desafios a sua implementação. http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/862 8/1/Pol%C3%ADticas%20de%20habita%C3%A7%C3%A3o.pdf

Maslow, A. H. (1943). A Theory of Human Motivation. Toronto. https://www.citehr.com/8556-theory-humanmotivation-1943-pdf-download.html.

Nascimento, M. M.; Bautista Gómez, D. C.; Souto Cavalcanti, R. L. (2017). Distribuição acesso a público espaço e serviços em essenciais políticas dos adquirido habitação social. Journal of Public Policy, 21. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=3211524540 11

Onasterio, L.; Lopes, D. (2018). Texto para discursão: 1. Brasil. 2. Aspectos Econômicos. 3. Aspectos Sociais. I. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. CDD 330.908. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=19472&catid=337.

Pelli, V. S. (2007). Habitar, Participar, Pertencer: acceder a la vivienda – incluirse en la sociedad. Florida/Buenos Aires.

Ramos, J da Silva; Angye, C. N. (2016). A Construção de Políticas Públicas em Habitação e o Enfrentamento do Déficit Habitacional no Brasil: Uma Análise do Programa Minha Casa Minha Vida. Desenvolvimento em Questão, 14. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=75243198004

Rolnik, R. (2018). Ocupações cresceram também na extrema periferia: Ocupações cresceram também na extrema periferia. https://raquelrolnik.wordpress.com/2018/05/18/ocupacoes-crescem-tambem-na-extrema-periferia-desao-paulo/.

Rufino, M. B. C. (2016). Transformação da periferia e novas formas de desigualdades nas metrópoles brasileiras: um olhar sobre as mudanças na produção habitacional. Cadernos Metrópole, 18. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=4028448390 09

Santana, G. (2013). Marketing da 'Sustentabilidade' Habitacional. Rio de Janeiro: Mauad.

Sarlet, I. W. (2010). A eficácia e efetividade do direito à moradia na sua dimensão negativa (defensiva): análise crítica à luz de alguns exemplos. In: Souza Neto, C. P. de; Sarmento, D. (coords.). Direitos Sociais fundamentos, judicialização e direitos sociais e espécie. Rio de Janeiro: Lumen Juris.

Serva, L. (2017). Cortiço têm muito a ensinar a nossas cidades. Folha de São Paulo. https://www1.folha.uol.com.br/colunas/leaoserva/2018/01/1953999-corticos-tem-muito-a-ensinar-anossas-cidades.shtml

Silveira, T. E. G. et al. (2009). Métodos de pesquisa. http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/der ad005.pdf

Torres, C. A. (2008). Marketing (conceitos & definições): marketing, administração mercadológica. https://administradores.com.br/artigos/marketingconceitos-definicoes

Vila, S. B.; Ornsein, S. W. (2013). Qualidade Ambiental na Habitação a Avaliação Pós-ocupação. São Paulo: Oficina de textos. https://books.google.com.br/books?id=MrgWDAAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=ptBR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false.

Vilas Boas, B.; Conceição, A. (2018). Déficit de moradias no país já chega a 7,7 milhões de moradias no país já chega a 7,7 milhões. Globo.com. https://valor.globo.com/brasil/noticia/2018/05/03/deficit-de-moradias-no-pais-ja-chega-a-77-milhoes.ghtml

Abreu, A. C. (2016). Crise do capital e pública orçamento da habitação social no Brasil. Public Policy Magazine, 20. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=3211464170 19