Reputação corporativa e nível de disclosure das empresas de capital aberto no Brasil Outros Idiomas

ID:
6239
Resumo:
O objetivo deste artigo é analisar se a reputação corporativa pode ser considerada um dos direcionadores do nível de disclosure voluntário das empresas de capital aberto no Brasil. O desenvolvimento da pesquisa se deu através de investigação empírica, sendo analisadas 115 observações referentes a 23 companhias brasileiras para o período de 2000 a 2004. No processo de análise dos dados foram utilizadas regressões com dados em painel, sendo adotada a abordagem de efeitos aleatórios, pois, para fins deste estudo, essa foi a abordagem que se apresentou mais adequada. Constatou-se, pelos resultados, que a reputação corporativa possui uma associação positiva com a quantidade de disclosure voluntário, sugerindo que as empresas de capital aberto no Brasil que possuem forte reputação fornecem aos stakeholders uma quantia maior de disclosure voluntário, deste modo a reputação corporativa seria um dos direcionadores do nível de disclosure voluntário das companhias brasileiras. Adicionalmente, este estudo fornece evidências de que o tamanho da empresa também afeta a quantidade de disclosure voluntário, assim empresas maiores evidenciam mais, possivelmente devido a menores custos de divulgação.
Citação ABNT:
CRUZ, C. V. O. A.; LIMA, G. A. S. F. Reputação corporativa e nível de disclosure das empresas de capital aberto no Brasil. Revista Universo Contábil, v. 6, n. 1, p. 85-101, 2010.
Citação APA:
Cruz, C. V. O. A., & Lima, G. A. S. F. (2010). Reputação corporativa e nível de disclosure das empresas de capital aberto no Brasil. Revista Universo Contábil, 6(1), 85-101.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/6239/reputacao-corporativa-e-nivel-de-disclosure-das-empresas-de-capital-aberto-no-brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALENCAR, Roberta Carvalho de; LOPES, Alexsandro Broedel. Custo do capital próprio e nível de disclosure nas empresas brasileiras. In: CONGRESSO USP CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 5., 2005, São Paulo. Anais ... São Paulo: FEA/USP, 2005. CD ROM.

BROMLEY, D. B. Comparing corporate reputations: League tables, quotients, benchmarks, or case studies? Corporate Reputation Review, v. 5, p. 35-50, 2002. doi:10.1057/palgrave.crr.1540163

BUSHMAN, Robert M.; PIOTROSKI, Joseph D.; SMITH, Abbie J. What determine corporate transparency? Journal of Accounting Research, v. 42, n. 2, Mayo. 2004. doi:10.1111/j.1475-679X.2004.00136.x

CHAJET, C. Corporate reputation and the bottom line. Corporate Reputation Review , n. 1, p. 19-23, 1997.

DEEPHOUSE, D. L.; CARTER, S. M. An examination of differences between organizational legitimacy and organizational reputation. Journal of Management Studies, v. 42, n. 2, p. 329-360, 2005. doi:10.1111/j.1467-6486.2005.00499.x

ENG, L. L.; MAK, Y. T. Corporate governance and voluntary disclosure. Journal of Accounting and Public Policy, n. 22, p. 325-345, 2003. doi:10.1016/S0278-4254(03)000371

GOTSI, M.; WILSON, A. M. Corporate reputation: seeking a definition. Corporate Communications, Bradford, v. 6, n. 1, p. 24-30, 2001. doi:10.1108/13563280110381189

GUJARATI, D. Econometria básica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

HASSELDINE, J.; SALAMA, A. I.; TOMS, J. S. Quantity versus quality: the impact of environmental disclosures on the reputations of UK Plcs. British Accounting Review, Kidlington, v. 37, n. 2, p. 231-248, jun./2005. doi:10.1016/j.bar.2004.10.003

HEALY, P.M.; PALEPU, K.G. Information asymmetry, corporate disclosure, and the capital markets: a review of the empirical disclosure literature. Journal of Accounting and Economics, v. 31, p. 405-440, 2001. doi:10.1016/S0165-4101(01)00018-0

HELM, Sabrina. The role of corporate reputation in determining investor satisfaction and loyalty. Corporate Reputation Review, v. 10, n. 1, p. 22-37, 2007. doi:10.1057/palgrave.crr.1550036

IDOWU, Samuel O; PAPASOLOMOU, Ioanna. Are the corporate social responsibility matters based on good intentions or false pretences? An empirical study of the motivations behind the issuing of CSR reports by UK companies. Corporate Governance, Bradford, v. 7, n. 2, p. 136-147, 2007. doi:10.1108/14720700710739787

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985.

LANZANA, Ana Paula. Relação entre disclosure e governança corporativa das empresas brasileiras. 2004. 165f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

LIMA, Gerlando Augusto Sampaio Franco de. Utilização da teoria da divulgação para avaliação da relação do nível de disclosure com o custo da dívida das empresas brasileiras. 2007. 108f. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

MARTINS, Gilberto de Andrade; LINTZ, Alexandre. Guia para elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. São Paulo: Atlas, 2000.

MCGUIRE, JB; SCHNEEWEIS, T; BRANCH B. Perceptions of firm quality: a cause or result of firm performance. Journal of Management, v. 16, p. 167-180, 1990. doi:10.1177/014920639001600112

MICHELON, Giovanna. Sustainability disclosure and reputation: a comparative study. Università Degli Studi di Padova. Marco Fanno working paper. Sep./2007.

OLIVEIRA, Sérgio Luiz de. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.

PATTEN, Dennis M. Exposure, Legitimacy and Social Disclosure. Journal of Accounting and Public Policy. New York, v. 10, n. 4, p. 297-308, winter, 1991. doi:10.1016/02784254(91)90003-3

ROBERTS, Peter W.; DOWLING, Grahame R. Corporate reputation and sustained superior financial performance. Strategic Management Journal, v. 23, n. 12, p. 1077-1093, dec. 2002. doi:10.1002/smj.274

SALOTTI, Bruno Meirelles; YAMAMOTO Marina Mitiyo. Divulgação voluntária da Demonstração dos Fluxos de Caixa no mercado de capitais brasileiro. In: EnANPAD, 30., Salvador, 2006. Anais … Rio de Janeiro: ANPAD, 2006. CD ROM.

SANDBERG, K. Kicking the tires of corporate reputation. Harvard Management Communication Letter, v. 5, p. 3-4, 2002.

TOMS, J. S. Firm resources, quality signals and the determinants of corporate environmental reputation; some UK evidence. British Accounting Review, Kidlington, v. 34, p. 257-282, 2002. doi:10.1006/bare.2002.0211

YAMAMOTO, M. M.; SALOTTI, B. M. Informação contábil: estudos sobre a sua divulgação no mercado de capitais. São Paulo: Atlas, 2006.