Capacidades Dinâmicas e Micropráticas da Média Gerência Outros Idiomas

ID:
62756
Resumo:
O objetivo deste artigo é apresentar resultados de estudo destinado a investigar como a média gerência influencia no desenvolvimento das três dimensões das capacidades dinâmicas (CD), especificamente, da percepção, do aproveitamento e da reconfiguração. Para tanto, foi necessário identificar as micropráticas desempenhadas pela média gerência nas quatro empresas investigadas e analisar como tais práticas contribuem para o desenvolvimento das três dimensões das capacidades dinâmicas. Em relação ao método, foi realizada pesquisa de natureza qualitativa com base no método de estudo de casos múltiplos aplicado em quatro empresas brasileiras que operam em ambientes competitivos e dinâmicos. Quanto aos instrumentos de coleta de dados, foram conduzidas dezoito entrevistas em profundidade com membros da média e alta gestão das empresas selecionadas e realizada observação não participante. Os achados empíricos indicam que o desenvolvimento das três dimensões das capacidades dinâmicas (de percepção, de aproveitamento e de reconfiguração) se apresenta como resultado de micropráticas desempenhadas pelos membros da média gerência. Portanto, a capacidade da média gerência de observar e analisar o ambiente externo e interno capturando dados relevantes; de apoiar o processo decisório da alta gestão; de incentivar o compartilhamento interno de informações fazendo circular o conhecimento nas diferentes instâncias da organização; de explorar novas possibilidades de retornos para a firma; de identificar necessidades de investimentos, entre outras habilidades identificadas, influenciam a capacidade dinâmica das organizações. Ao desempenhar atividades relacionadas a tais capacidades, a média gerência interage com a alta gestão e com os subordinados de diversas formas no dia-a-dia da organização, conforme demonstrado na maioria das micropráticas identificadas na pesquisa empírica. Os resultados apontam também que as interações entre alta e a média gestão contribuem para o desenvolvimento das dimensões das capacidades dinâmicas. Isso porque as micropráticas desempenhadas de forma conjunta entre tais instâncias hierárquicas podem aumentar a efetividade das dimensões de percepção, aproveitamento e reconfiguração. Em relação à sua contribuição teórica, o trabalho supre um gap teórico da literatura sobre estratégia organizacional ao evidenciar a relação existente entre micropráticas da média gerência e o desenvolvimento de capacidades dinâmicas nas suas três dimensões. Nessa linha, ao analisar o desenvolvimento de capacidades dinâmicas sob a perspectiva da média gerência, este estudo extrapola a literatura na área que investiga esse fenômeno predominantemente sob a ótica da alta gestão das organizações. Finalmente, no campo empírico, o estudo pôde contribuir com reflexões sobre como a média gerência pode auxiliar a cúpula estratégica no alinhamento da organização às demandas do ambiente.
Citação ABNT:
CRUZ, M. A.; DINIZ, D. M.; CORRÊA, V. S. Capacidades Dinâmicas e Micropráticas da Média Gerência. Revista de Administração da Unimep, v. 19, n. 1, p. 185-207, 2021.
Citação APA:
Cruz, M. A., Diniz, D. M., & Corrêa, V. S. (2021). Capacidades Dinâmicas e Micropráticas da Média Gerência. Revista de Administração da Unimep, 19(1), 185-207.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/62756/capacidades-dinamicas-e-micropraticas-da-media-gerencia/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português