Importância do agronegócio para o crescimento econômico de Brasil e Estados Unidos Outros Idiomas

ID:
7127
Resumo:
O Acordo Agrícola da Rodada Uruguai não conteve o protecionismo na agricultura mundial, tornando-se tema importante nos fóruns de negociações multilaterais da OMC. Este trabalho objetiva estimar e comparar o grau de importância dos setores agroindustriais na geração de crescimento econômico no Brasil e nos EUA. Para isso, usaram-se as matrizes de insumo-produto de Brasil e EUA na estimação de índices de Rasmussen-Hirschman e de índices puros de ligação. Esses indicadores mostram que setores da agricultura, pecuária e agronegócio são importantes para a geração do crescimento econômico em ambos os países, mas com maiores impactos no crescimento da economia brasileira.
Citação ABNT:
FIGUEIREDO, A. M.; SANTOS, M. L. D.; LIMA, J. F. Importância do agronegócio para o crescimento econômico de Brasil e Estados Unidos. Gestão & Regionalidade, v. 28, n. 82, p. 5-17, 2012.
Citação APA:
Figueiredo, A. M., Santos, M. L. D., & Lima, J. F. (2012). Importância do agronegócio para o crescimento econômico de Brasil e Estados Unidos. Gestão & Regionalidade, 28(82), 5-17.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7127/importancia-do-agronegocio-para-o-crescimento-economico-de-brasil-e-estados-unidos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BANCO DA AMAZÔNIA S/A – BASA. Matrizes insumo-produto Amazônia, região Norte e seus estados. Belém: Basa, 2004. CD-ROM.

BEA – BUREAU ECONOMIC ANALYSIS. Annual industry accounts. BEA, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 de janeiro de 2006.

BRASIL. MDIC – Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio Exterior. Estatísticas de exportação e importação brasileira 1989 a 2007. Brasília: MDIC, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 de janeiro de 2007.

BULMER-THOMAS, Victor. Input-output analysis in development countries. New York: John Wiley & Sons, 1982. 297p.

CASTRO, Eduardo Rodrigues de. Efeitos dos gastos com a equalização das taxas de juros do crédito rural na economia brasileira. 2004. 81f. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) – Universidade Federal de Viçosa. Viçosa: UFV.

CEPEA – CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA.PIB do agronegócio. Cepea-USP/CNA, 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 de junho de 2006.

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. Faostat Database. FAO, 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 de janeiro de 2006.

FEIJÓ, Carmem Aparecida; RAMOS, Roberto Luís O.; YOUNG, Carlos Eduardo F.; LIMA, Fernando Carlos C. & GALVÃO, Olímpio J. de A. Contabilidade social: o novo sistema de contas nacionais do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002. 413p.

FIGUEIREDO, Adelson Martins. Impactos dos subsídios agrícolas dos Estados Unidos no crescimento do agronegócio brasileiro. 2007. 305f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Universidade Federal de Viçosa. Viçosa: UFV.

GONÇALVES, José Sidnei & SOUZA, Sueli Alves M. de. Agregação de valor nos agronegócios e diferenças estruturais entre as exportações setoriais paulistas e brasileira, 1997-2005. Análises e Indicadores do Agronegócio, v. 1, n. 8, p. 1-4, São Paulo, agosto, 2006. Disponível em: . Acesso em: 07 de fevereiro de 2007.

GUILHOTO, Joaquim José M.; FURTUOSO, Maria Cristina O. & BARROS, Geraldo Sant’Anna de C. O agronegócio na economia brasileira – 1994 a 1999. Piracicaba: CNA, 2000. 139p.

GUILHOTO, Joaquim José M. & SESSO FILHO, Umberto A. Estrutura produtiva da Amazônia: uma análise de insumoproduto. Belém: Banco da Amazônia, 2005. 320p.

GUILHOTO, Joaquim José M.; SILVEIRA, Fernando G.; ICHIHARA, Sílvio M. & AZZONI, Carlos Roberto. A importância do agronegócio familiar no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 44, n. 3, p. 355-383, Brasília, julho/ setembro, 2006.

GUILHOTO, Joaquim José M. Um modelo computável de equilíbrio geral para planejamento e análise de políticas agrícolas (Papa) na economia brasileira. 1995. 258f. Tese (Livre-Docência em Microeconomia) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo. Piracicaba: Esalq/USP.

GUILHOTO, José Joaquim M.; SONIS, Michael; HEWINGS, Geoffrey John D. & MARTINS, Eduardo B. Índices de ligações e setores-chave na economia brasileira: 1959/80. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 24, n. 2, p. 287-314, Rio de Janeiro, agosto, 1994.

HADDAD, Paulo Roberto; FERREIRA, Carlos Maurício de C.; BOISIER, Sérgio & ANDRADE, Thompson A. Economia regional: teorias e métodos de análise. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 1989. 694p.

HIRSCHMAN, Albert O. The strategy of economic development. New Haven: Yale University Press, 1958.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Séries históricas. Ipea, 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 de abril de 2006.

JANK, Marcos Sawaya. Agricultura e política agrícola nos Estados Unidos da América. 2002. 243f. Tese (LivreDocência em Economia, Administração e Sociologia) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo. Piracicaba: Esalq/USP.

KRUGMAN, Paul R. Intraindustry specialization and the gains from trade. Journal of Political Economy, v. 89, n. 5, p. 959-973, October. 1981.

KRUGMAN, Paul R. & OBSTFELD, Maurice. Economia internacional: teoria e política. 5. ed. São Paulo: Makron Books, 2001. 797p.

LINDER, Staffan B. An essay on trade and transformation. New York: John Wilwy & Sons; Stockholm: Almqvist & Wiksell, 1961.

MIRANDA, Sílvia Helena G. de. Quantificação dos efeitos das barreiras não tarifárias sobre as exportações brasileiras de carne bovina. 2001. 233f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo. Piracicaba: Esalq/USP.

MONTOYA, Marco Antônio. A análise insumo-produto internacional no Mercosul: desenvolvimento econômico e interdependência estrutural. Passo Fundo: Ediup, 1999. 208p.

MYINT, Hla. The “classical theory” of international trade and the underdeveloped countries. Economic Journal, v. 68, n. 270, p. 317-337, June, 1958.

OMC – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO. WTO agriculture negotiations: the issues, and where we are now. OMC, December, 2004. Disponível em: . Acesso em: 22 de janeiro de 2005.

RASMUSSEN, Paul Norregaard. Studies in intersectoral relations. Amsterdam: North Holland, 1956.

SIMÕES, Roberto & FERREIRA, Ricardo Cotta. Entraves comerciais às exportações de carne bovina. Informe Agropecuário, v. 21, n. 205, p. 23-29, Belo Horizonte, julho/agosto, 2000.

USDA/ERS – UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE/ ECONOMIC RESEARCH SERVICE. CCC Net Outlays by Commodity and Function – Table 35. Washington, DC: U.S Government, July, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 de dezembro de 2006.

VERNON, Raymond. International investment and international trade in the product cycle. Quarterly Journal of Economics, v. 80, n. 2, p. 190-207, May, 1966.

VIEIRA, Wilson da Cruz. Notas sobre a construção de matrizes de contabilidade social. Economia Rural, v. 9, n. 2, p. 30-37, Viçosa, 1998.