Inovação no transporte público: a implantação da bilhetagem eletrônica na Região Metropolitana de Porto Alegre Outros Idiomas

ID:
7129
Resumo:
Considerando-se o aumento da complexidade no cenário competitivo, a palavra-chave da era pós-industrial é inovação que, para ser alcançada, exige novas estratégias, capacidades e competências. Diante deste cenário, o presente estudo compreendeu a análise das melhorias obtidas com a implementação do sistema de bilhetagem na Região Metropolitana de Porto Alegre no intuito de verificar se as melhorias proporcionadas pela bilhetagem eletrônica possuem características que a definam como uma inovação. Foram coletados dados de natureza qualitativa por entrevistas e análise documental, referentes a fatores circunstanciados em processos eletrônicos de controle de passagens de transporte coletivo urbano nas cidades abrangidas pela pesquisa. A pesquisa baseou-se no modelo teórico sobre inovação, de forma a nortear as atividades de investigação descritas. Constatou-se que os efeitos característicos de uma inovação estão em consonância com os resultados da bilhetagem nos casos analisados, fazendo deste sistema uma forma de se alcançar a inovação. Seguindo os preceitos escolhidos para este trabalho, é pertinente reforçar que foram considerados inovadores os efeitos causados pela bilhetagem, e não o sistema em si, pois a bilhetagem é um meio para se alcançar a inovação, e não uma inovação per se.
Citação ABNT:
LUBECK, R. M.; WITTMANN, M. L.; BATTISTELLA, L. F.; SILVA, M. S. Inovação no transporte público: a implantação da bilhetagem eletrônica na Região Metropolitana de Porto Alegre. Gestão & Regionalidade, v. 28, n. 82, p. 35-48, 2012.
Citação APA:
Lubeck, R. M., Wittmann, M. L., Battistella, L. F., & Silva, M. S. (2012). Inovação no transporte público: a implantação da bilhetagem eletrônica na Região Metropolitana de Porto Alegre. Gestão & Regionalidade, 28(82), 35-48.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7129/inovacao-no-transporte-publico--a-implantacao-da-bilhetagem-eletronica-na-regiao-metropolitana-de-porto-alegre/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARRAS, Richard. Towards a theory of innovation in services. Research Policy, v.15, n. 4, p.161-173, North-Holland, August, 1986.

BAUER, Martin W.&GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2002.

BERNARDES, Roberto & ANDREASSI, Tales. Apresentação. In: BERNARDES, Roberto & ANDREASSI, Tales (orgs.). Inovação em serviços intensivos em conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2007.

BERNSTEIN, Boaz & SINGH, Prakash J. An integrated innovation process model based on practices of Australian biotechnology firms. Technovation, v. 26, n. 5-6, p. 561572, 2006.

BIKFALVI, Andrea. Innovation, entrepreneurship and outsourcing: essays on the use of knowledge in business environments. 2007. Doctoral Dissertation (PhD). Programme Innovación Empresarial–Department of Business Administration and Product Design. Universty of Girona. Girona, Spain

CAMACHO, José A. &RODRIGUEZ, Mercedes. How innovative are services? An empirical analysis for Spain.The Service Industries Journal, v. 25, n. 2, p. 253-271, March, 2005.

CHESBROUGH, Henry & CROWTHER, Adrienne Kardon. Beyond high tech: early adopters of open innovation in other industries. R & D Management, v. 36, n. 3, p. 229-236, June, 2006.

COOPER, Donald R.&SCHINDLER, Pamela S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed.Porto Alegre: Bookman, 2003.

CORIAT, Benjamin & WEINSTEIN, Olivier. Organizations, firms and institutions in the generation of innovation. ResearchPolicy, v. 31, p. 273-290, February, 2002.

COSTA, Jaciane Cristina; LUBECK, Rafael M. & JÚNIOR-LADEIRA, Wagner. Gestão da inovação em serviços e relacionamento estratégico no transporte público. Recadm –Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 6, n.1, p. 1-12, Campo Largo,janeiro/junho, 2007.

DAVENPORT, Thomas H. Process innovation: reengineering work through information technology. Cambridge: Harvard Business School Press, 1992.

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DO RIO GRANDE DO SUL– DETRAN - RS. Estatísticas de trânsito do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Detran/RS, 2011

DJELLAL, Faridah & GALLOUJ, Faïz. Innovation and employment effects in services: a review of the literature and an agenda for research. The Service Industries Journal, v. 27, n. 3, p. 193214, April, 2007.

DRUCKER, Peter F. O advento da nova organização .In: HARVARD BUSINESS REVIEW (org.). Gestão do conhecimento. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001.p. 9-26.

FRANCIS, Dave & BESSANT, John. Targeting innovation and implications for capability development. Technovation, v.25, n.3, p. 171-183, Amsterdam, March, 2005.

GALLAUGHER, John M. Strategic positioning and resourcebased thinking: cutting through the haze of punditry to understand factors behind sustainable, successful internet businesses. International Journal of E-Business Research, v. 3, n. 3, p. 14-25, 2007.

GALLOUJ, Faïz & SANSON, Katia. Economia da inovação: um balanço dos debates recentes. In: BERNARDES, Roberto & ANDREASSI, Tales. Inovação em serviços intensivos em conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2007.p. 3-27.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GODOY, Arilda Schmidt. A pesquisa qualitativa e sua utilização em Administração de Empresas. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 4, p. 65-71, São Paulo, julho/agosto, 1995.

HAIR Júnior, Joseph F.; MONEY, Arthur; BABIN, Barry & SAMOUEL, Phillip. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAMDANI, Daood. Serviços, criação de conhecimento e inovação. In: BERNARDES, Roberto e ANDREASSI, Tales. Inovação em serviços intensivos em conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2007.p. 29-56.

HIPP, Christiane. Service peculiarities and the specific role of technology in service innovation management. International Journal of Services Technology and Management, v. 9, n. 2, p. 154-173, 2008.

IBGE – FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Contagem da população, 2011. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

JACOBY, Ryan & RODRIGUEZ, Diego. Innovation, growth, and getting to where you want to go.Design Management Review, v. 18, n. 1, p. 10-15, Winter, 2007.

JONG, Jeroen P. J. de & VERMEULEN, Patrick A. M. Organizing successful new service development: a literature review. Management Decision, v. 41, n. 9,p. 844-865, June, 2003.

KEUPP, Marcus Matthias & GASSMANN, Oliver. Determinants and archetype users of open innovation. R&D Management, v. 39, n. 4, p. 331-341, September, 2009.

LEE, Joosung J.; GEMBA, Kiminori & KODAMA, Fumio. Analyzing the innovation process for environmental performance improvement. Technological Forecasting e Social Change, v. 73, n. 3, p. 290-301, March, 2006.

LIN, Liang-Hung. & LU, Iuan-Yuan. Process management and technological innovation: an empirical study of the information and electronic industry in Taiwan. International Journal of Technology Management, v. 37, n.1, p. 178192, 2007.

LOUNSBURY, Michael & CRUMLEY, Ellen T. New practice creation: an institutional perspective on innovation. Organizational Studies, v. 28, n. 7, p. 993-1.012. Sage Publications, July, 2007.

LUBECK, Rafael M.; WITTMANN, Milton Luiz & JÚNIOR-LADEIRA, Wagner. Rede interoganizacional: inovação em serviços a partir da implantação da bilhetagem eletrônica em empresas de transporte público da região metropolitana de Porto Alegre. Revista Redes, v. 14, n. 3, p. 186-210, Santa Cruz do Sul, setembro/dezembro, 2009.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, v. 22, n. 37, p. 7-32, Porto Alegre, 1999.

MORICONI, Palmira (coord. editorial). Manual de Oslo. Proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Brasília: Finep/ Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento – Departamento Estatístico da Comunidade Europeia, 2004.

NELSON, Richard R. & WINTER, Sidney G. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas. 2005.

RICHARDSON, Roberto J. (coord.). Pesquisa social: métodos e técnicas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SCHUMPETER, Joseph A. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1985.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1942.

SHETH, Jagdish N. & RAM, Sundaresan. Bringing innovation to market: how to break corporate and customer barriers. New York: Wiley & Sons, 1987.

SIMMIE, James & STRAMBACH, Simone. The contribution of KIBS to innovation in cities: an evolutionary and institutional perspective. Journalof Knowledge Management, v. 10, n. 5; p. 26-40, September, 2006.

SIMÕES, Sonia P. Significado e possibilidades da análise de conteúdo. Tecnologia Educacional, v. 20, n. 102/103, p. 54-57, Rio de Janeiro, setembro/dezembro, 1991.

SMITH, Roger. The evolution of innovation. Research Technology Management,v. 51, n. 3, p. 51-55, May, 2008.

SOUZA JÚNIOR, Roberto Tadeu de. Sistema de transporte público de passageiros do RS: uma análise sob a ótica REFERÊNCIAS regulatória. Marco Regulatório. Revista da Agergs – Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul, v. 9, p. 47-70, Porto Alegre, junho, 2006.

SUNDBO, Jon & GALLOUJ, Faïz. Innovation as a loosely coupled system in services. International Journal of Services Technology and Management. v. 1, p. 15-36, feb., 2000.

TARAFDAR, Monideepa & GORDON, Steven R. Understanding the influence of information systems competencies on process innovation: a resource-based view. The Journal of Strategic Information Systems, v. 16, n. 4, p. 353-392, December, 2007.

TETHER, Bruce. Do services innovate (differently)? Insights from the European innobarometer Survey. Industry and Innovation, vol. 12, n. 2, p. 153-184, Copenhagen,2005.

TURBAN, Efraim; MCLEAN, Ephraim & WETHERBE, James C. Tecnologia da informação para gestão: transformando os negócios na economia digital. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.